LADO SUJO DA FAMA

Atrizes de Fuller House e Desperate Housewives são presas por suborno nos EUA

Reprodução/Netflix

Lori Loughlin interpreta a tia Becky na comédia Fuller House, disponível na Netflix: golpe milionário - Reprodução/Netflix

Lori Loughlin interpreta a tia Becky na comédia Fuller House, disponível na Netflix: golpe milionário

REDAÇÃO - Publicado em 12/03/2019, às 13h15 - Atualizado às 14h05

As atrizes Felicity Huffman, de Desperate Housewives (2004-2012) e American Crime (2015-2017), e Lori Loughlin, de Fuller House, foram presas na manhã desta terça-feira (12) em Los Angeles, acusadas de subornar faculdades norte-americanas para que suas filhas fossem aceitas como estudantes das prestigiadas instituições.

Segundo o site Deadline, elas devem comparecer a uma reunião no tribunal durante a tarde e serão soltas na sequência, aguardando o julgamento do caso. Elas podem ser condenadas a passar até cinco anos atrás das grades.

De acordo com a investigação do FBI divulgada nesta terça (12), Lori chegou a pagar US$ 500 mil (R$ 1,9 milhão) para que suas duas filhas fizessem parte da equipe de remo da USC (Universidade do Sul da Califórnia), o que facilitaria a admissão delas na faculdade.

O FBI, no entanto, informa que as herdeiras da atriz, Olivia Jade Giannulli e Isabella Rose Giannulli, sequer praticavam o esporte e nunca chegaram a participar de um treino na universidade. Elas chegaram a posar para fotos em um aparelho que simula o movimento de remadores para que a farsa ganhasse corpo.

Situação similar ocorreu com Felicity e seu marido, o também ator William H. Macy. Os dois são acusados de pagarem cerca de US$ 15 mil (R$ 57 mil) para que a filha mais velha, Sophia Grace Macy, entrasse em uma universidade. O suborno foi disfarçado como uma doação para a instituição.

De acordo com o site TMZ, a jovem teve o dobro de tempo para realizar o SAT (espécie de Enem norte-americano) do que todos os outros candidatos. Com isso, conseguiu melhorar sua nota em quase 400 pontos em relação a um exame prévio.

Felicity e Macy pensaram em repetir a estratégia com a segunda filha, Georgia Grace, mas desistiram do golpe antes de seguir adiante com ele. 

As duas atrizes fazem parte de um esquema muito maior, que envolve 50 indiciados em todo o país e subornos de até US$ 6 milhões (R$ 22,8 milhões). No total, foram pagos mais de US$ 25 milhões (R$ 95 milhões).

De acordo com a polícia, a lista de golpistas inclui ainda executivos de grandes empresas (inclusive de órgãos públicos) e o estilista Mossimo Giannulli, marido de Lori Loughlin.

Representantes e assessores de Felicity, Lori, Giannulli e William H. Macy ainda não se pronunciaram sobre as acusações.

Entenda o esquema

Segundo a polícia, um homem chamado William Rick Singer teria criado uma organização não-lucrativa de fachada, que servia para lavar o dinheiro dos pais que quisessem utilizar seus serviços para emplacar seus filhos na faculdade.

Singer, então, agia de duas formas diferentes: fraudava as provas de admissão dos alunos, pagando corretores para aumentarem as notas, ou criava falsos perfis atléticos para os possíveis estudantes, o que facilitava suas inclusões nas escolas.

O golpista ainda instruía os pais a usarem as doações para sua "caridade" na restituição do imposto de renda. Os investigadores disseram que nem todos os alunos estavam cientes do esquema.

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

Enquete

Qual sua novela preferida atualmente?

Últimas notícias

Notícias da TV
Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook