TATTOO

25 anos após morte, filme conta história de dor e glória do primeiro anão pop

Divulgação/HBO

Peter Dinklage no papel do ator também anão Hervé Villechaize: sucesso, depressão e tragédia - Divulgação/HBO

Peter Dinklage no papel do ator também anão Hervé Villechaize: sucesso, depressão e tragédia

RUI DANTAS - Publicado em 04/10/2018, às 05h19

Quase quatro décadas antes do sucesso de Peter Dinklage, o Tyrion Lannister de Game of Thrones, o francês Hervé Villechaize foi catapultado ao posto de primeiro anão a se tornar uma celebridade pop mundial. Ele fez sucesso com o personagem Tattoo, da série A Ilha da Fantasia. A história de Villechaize, marcada por dor e glória, é retratada no telefilme Meu Jantar com Hervé, que a HBO vai estrear no Brasil em 24 de novembro, 25 anos depois da morte do ator.

Exibida nos Estados Unidos pela ABC e no Brasil pela Globo, A Ilha da Fantasia marcou época na virada dos anos 1970 para os 1980. A cada episódio, Tattoo e o misterioso Mr. Rourke (Ricardo Montalban) recebiam convidados em uma mítica ilha do Pacífico. O lugar tinha o mágico poder de realizar os seus desejos dos visitantes, por mais excêntricos que fossem.

A abertura invariavelmente era a mesma: Tattoo corria em direção à praia acenando e gritando "O avião! O avião!". A história, no entanto, mudava a cada capítulo, com convidados diferentes, que tinham desejos distintos. A última temporada estreou há exatos 35 anos, em 5 de outubro de 1983.

Ao longo de quase sete anos, a série foi indicada para prêmios importantes, como o Emmy, o Oscar da TV.  Em 1982,  Hervé Villechaize foi nomeado ao Globo de Ouro de melhor ator coadjuvante.

Envaidecido pelo reconhecimento, Villechaize se desentendeu com os produtores de A Ilha da Fantasia, porque ganhava menos do que Ricardo Montalban. Ele recebia US$ 25 mil, ou quase R$ 100 mil por episódio. Em vez de ter sua solicitação aceita, acabou demitido em 1983. Na sequência, o ator se separou da modelo Camille Hagen, tornou-se alcoólatra e e entrou em sua derrocada final.

A HBO vai recontar a história de Villechaize a partir de um encontro entre o diretor do filme, o jornalista Sacha Gervasi, que queria entrevistar o ator para uma reportagem em 1993, em Los Angeles. Menos de uma semana depois da conversa, aos 50 anos, Villechaize se matou com um tiro na cabeça. Não suportava as dores provocadas pelo tipo de nanismo do qual era portador.

Montalban e Villechaize em A Ilha da Fantasia

O intérprete de Villechaize é o anão mais famoso da TV mundial na atualidade, Peter Dinklage. Ele e o diretor Gervasi foram acusados nos Estados Unidos de “whitewashing”, isto é, de embranquecer a caracterização de Villechaize. O verdadeiro Tattoo tinha aparência latina e seria representante dessa comunidade.

O roteiro retrata Gervasi como o jornalista Danny Tate (vivido pelo ator Jamie Dornan, de 50 Tons de Cinza). Como ocorrido na vida real, após a entrevista, os dois saem por Los Angeles, em uma jornada alucinada que sintetiza os momentos derradeiros da vida de Villechaize.

Meu Jantar com Hervé ainda conta com a participação especial do ator Andy García, de Intocáveis (1987), Quando um Homem Ama Uma Mulher (1994), entre outros sucessos. Ele vive Mr. Rourke, papel imortalizado por Montalban.

Tudo sobre

Globo Peter Dinklage

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

Enquete

Na casa de que famoso você passaria a quarentena?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook