GOTTINO, REIPERT E LOMBARDI

Trio que abalou a Globo e o SBT ganha pouco e tem contrato frágil

Reprodução/RecordTV

Reinaldo Gottino, Fabíola Reipert e Renato Lombardi no Balanço Geral SP, da Record - Reprodução/RecordTV

Reinaldo Gottino, Fabíola Reipert e Renato Lombardi no Balanço Geral SP, da Record

DANIEL CASTRO - Publicado em 12/01/2017, às 06h15

Trio que abalou a liderança do Vídeo Show e que vem tirando o sono de Silvio Santos, os jornalistas Reinaldo Gottino, Fabíola Reipert e Renato Lombardi são presas fáceis. Eles ganham muito pouco para os padrões da TV brasileira e têm vínculos frágeis com a Record de São Paulo.

Gottino, o mais "caro" dos três, ganha cerca de R$ 60 mil mensais. Sua multa de rescisão contratual é de apenas três meses de salário, ou R$ 180 mil. Fabíola recebe mensalmente R$ 35 mil e é celetista, com registro em carteira profissional como a maioria dos trabalhadores. Ela pode deixar a emissora no momento em que quiser, sem pagar nenhuma multa. O especialista em segurança pública Renato Lombardi ganha R$ 15 mil.

Os três atuam no Balanço Geral SP, no ar das 12h às 14h45. Gottino ancora todo o programa há três anos e conta com os comentários de Lombardi. Nos últimos 45 minutos, eles dividem espaço com a fofoqueira Fabíola Reipert no quadro A Hora da Venenosa.

Desde outubro de 2015, o programa da Record é uma pedra no sapato da Globo. O chapa-branca Vídeo Show é constantemente derrotado pelas picantes notícias do "mundinho pantanoso das celebridades", como Fabíola se refere à sua matéria-prima. Muito eventualmente, o Balanço Geral também derrota o Jornal Hoje e o Globo Esporte. Nas férias de Gottino e Fabíola, a audiência cai, e vespertino da Globo tem um breve respiro.

A disputa acirrada pela liderança entre Record e Globo chamou a atenção de Silvio Santos. Em agosto, ele lançou no mesmo horário do A Hora do Venenosa o Fofocando. Dois meses depois, a atração ganhou o reforço do jornalista Léo Dias, fofoqueiro de primeira linha como Fabíola, e passou a ter notícias exclusivas. Mas não foi páreo. O Fofocando iniciou 2017 em novo horário, às 8h. Deve sair do ar em breve.

Nesta semana, o SBT esboçou lançar novo ataque contra os venenos da Record. Chegou a anunciar a estreia de um telejornal, apresentado por Dudu Camargo (o Homem do Saco do Fofocando) e com comentários de Léo Dias, no mesmo horário do Hora da Venenosa e do Vídeo Show. A estreia foi cancelada em poucas horas, mas a ideia do novo telejornal não morreu.

No meio dessa movimentação toda, emissários de executivos do SBT sondaram na Record quanto ganham e quando terminam os contratos de Gottino e Fabíola Reipert. Descobriram que desarmar a concorrente é tão fácil quanto roubar pirulito de uma criança _desde que os jornalistas aceitem, obviamente.


► Curta o Notícias da TV no Facebook e fique por dentro de tudo na televisão

► Siga o Notícias da TV no Twitter: @danielkastro

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Para utilizá-lo, você deve estar logado no Facebook. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

 

+ Lidas

Bloco de Notas

Pedofilia em debate

Finn Wolfhard em cena de Stranger Things: ex-agente dele é acusado de assédio - Divulgação/Netflix O ator Finn Wolfhard, o Mike da série Stranger Things, demitiu seu agente, Tyler Grasham, depois que o homem foi acusado de pedofilia e assédio sexual a um cineasta quando este ainda adolescente. Grasham tem ... Leia +

Leia todas as notas

Enquete

O que você achou do final de A Força do Querer?

Redes sociais

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook