UNIFICAÇÃO DE ESTRUTURAS

Repórteres da Globo terão de produzir para internet e temem novas demissões

Reprodução/TV Globo

A repórter Cinthia Toledo com microfone com logotipos da Globo e do G1 no SP1 de terça (17) - Reprodução/TV Globo

A repórter Cinthia Toledo com microfone com logotipos da Globo e do G1 no SP1 de terça (17)

DANIEL CASTRO - Publicado em 18/10/2017, às 10h51 - Atualizado às 14h18

Um raro clima de insegurança tomou conta das Redações da Globo nesta semana. Após a demissão de dezenas de profissionais da área esportiva, novos cortes são esperados no jornalismo da emissora mais rica e estável do país. O terror nos bastidores tem um forte motivo: o processo de unificação de estruturas que levou às dispensas no departamento de esporte também está ocorrendo nas Redações dos telejornais.

Desde o final de abril, repórteres e correspondentes da Globo estão obrigados a produzir conteúdos exclusivos para o canal pago GloboNews, e vice-versa. O próximo passo será gravar vídeos e escrever textos para o portal de internet do grupo, o G1.

Desde a semana, repórteres de telejornais locais de São Paulo e Rio de Janeiro estão indo para as ruas com canoplas de microfone que trazem os logotipos da TV Globo, da GloboNews e do G1. 

Ainda não há uma ordem interna determinando a produção de conteúdo para as três plataformas (houve apenas uma experiência com o repórter Bruno Tavares, recentemente), mas os jornalistas já sabem que isso vai acontecer, é questão de tempo. Foi assim com a GloboNews.

Primeiro, instituiu-se a canopla com o logotipo do canal de notícias. Depois, os chefes da GloboNews passaram a pedir "por favor" para os repórteres da Globo gravarem passagens (quando o repórter aparece em ambiente externo) e offs (locuções cobertas por imagens) exclusivos.

Desde abril, por determinação do diretor-geral de jornalismo, Ali Kamel, a produção de vídeos para Globo e GloboNews é obrigatória, conforme o Notícias da TV informou em primeira mão.

Telejornais de rede, como o Jornal Hoje, já veiculam reportagens gravadas por repórteres da GloboNews. Agora, se há repórter da Globo cobrindo um assunto, não se escala um repórter da GloboNews para fazer a mesma coisa, e vice-versa.

Essa otimização de produção, inevitavelmente, levará a cortes, como os realizados nesta semana na área de esporte. Entre os demitidos, estão Cesar Seabra, diretor regional de esportes da Globo em São Paulo, que ajudou no processo de unificação das estruturas. Também foram dispensados a apresentadora Vanessa Riche e o comentarista Rivelino Teixeira, ambos do Sportv.

Procurada, a Globo afirmou, via área de Comunicação, que "não haverá cortes no jornalismo". "A integração já existe, e os profissionais já trabalham em um só ambiente", complementou.

Ontem (17), em nota oficial, a emissora confirmou as demissões na área de esportes, sem revelar números e nomes. Argumentou que o projeto de unificação de estruturas da área, também revelado pelo Notícias da TV em primeira mão, "não nasceu com o objetivo de cortar pessoas e sim de rever a forma de atuação das diferentes áreas que atendem ao Esporte, criando uma visão sinérgica".

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Para utilizá-lo, você deve estar logado no Facebook. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

 

Notícias da TV Recomenda

This Is Us

This Is Us

Ficha técnica: Drama, EUA, 2016. Criação: Dan Fogelman. Elenco: Milo Ventimiglia, Mandy Moore, Sterling K. Brown, Chrissy Metz e Justin Hartley. Disponível no Fox Life e no Now.

Sinopse: This Is Us apresenta a história de três pessoas nascidas no mesmo dia, dois homens e uma mulher. A trama navega entre os anos 1980 e os dias atuais, mostrando a infância de cada uma delas em contraste com a vida adulta. No Now, o primeiro episódio está disponível gratuitamente.

Por que assistir: Com um roteiro surpreendente, ótimos diálogos e intepretações de alto nível, o drama familiar carrega na emoção e pode levar o telespectador às lágrimas. Discute temas como adoção, racismo e obesidade. É uma das maiores audiências dos Estados Unidos e grande sucesso de 2016. O drama reafirmou as carreiras de Sterlin K. Brown (vencedor do Emmy), Milo Ventimiglia e Justin Hartley, além de revelar Chrissy Metz.

Assista agora no NOW

+ Lidas

Bloco de Notas

Direto em streaming

Cress Williams interpreta Raio Negro na nova série: estreia direto na Netflix - Divulgação/The CW Black Lightning, a próxima série de super-heróis da TV de Greg Berlanti, mesmo produtor de Flash e Supergirl, vai chegar ao Brasil direto na Netflix. Os episódios serão lançados semanalmente, a partir de 23 de ... Leia +

Leia todas as notas

Enquete

Quem você quer que ganhe a Dança dos Famosos?

Redes sociais

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook