Confinamento

De racismo a estupro: cinco vezes em que Big Brother virou caso de polícia

Reprodução/Globo

Laércio e Cássio: dois participantes que foram investigados após o programa da Globo - Reprodução/Globo

Laércio e Cássio: dois participantes que foram investigados após o programa da Globo

REDAÇÃO - Publicado em 23/01/2017, às 05h00

A intenção deles ao entrar no Big Brother Brasil era sair com o prêmio milionário do reality show, mas alguns participantes conseguiram levar para casa apenas problemas com a polícia. A exposição no programa da Globo deixou em evidência atitudes de ex-brothers que configuravam crimes como abuso de menor, racismo e maus-tratos.

O caso mais memorável é de Laércio de Moura, participante da edição de 2016 que está preso até hoje sob a acusação de ter incentivado uma garota de 13 anos a consumir bebida alcóolica e ter relações sexuais com ele. Já Cássio Lannes, do BBB 14, foi investigado por racismo após o público tomar conhecimento de suas declarações nas redes sociais.

Relembre cinco participantes do BBB que viraram caso de polícia:

Reprodução/globo

Cássio Lannes,investigado por comentários racistas após participar da edição de 2014 do BBB

BBB 14: Acusação de racismo
Foi após uma conversa com Tatá Werneck (que interpretava a personagem Valdirene em Amor À Vida) no início do BBB 14 que a situação de Cássio Lannes se complicou. Ele contou para ela que respondia a um processo criminal e havia sido acusado de assassinato por ter "atravessado uma afrodescendente" durante uma relação sexual.

Tatá não continuou a conversa, mas o público nas redes sociais ficou indignado e encontrou muitos tweets racistas do participante, nos quais ele dizia frases como "Saudade de quando ter escravos não era crime". O Ministério Público do Rio de Janeiro recebeu denúncias contra ele e o investigou, mas Cássio não chegou a ser punido pela Justiça.

reprodução/globo

Do confinamento do BBB,em janeiro de 2016, Laércio foi para a prisão em maio do mesmo ano

BBB 16: Acusação de pedofilia
Nos primeiros dias dentro da casa do BBB, Laércio de Moura revelou que gostava de meninas mais novas (menores de idade), o que deixou Ana Paula indignada, e ela o acusou de ser pedófilo. Fora da casa, internautas descobriram que Laércio curtia páginas de exaltação a etnia branca, uso de armas e atração sexual por adolescentes.

O participante começou a ser investigado quando o BBB ainda estava no ar. Em maio, ele foi preso, acusado de ter oferecido bebida alcóolica e de ter abusado de uma menina de 13 anos. A polícia encontrou conversas dele com a garota que supostamente comprovaram o assédio. Laércio continua preso e divide a cela com estupradores.

Reprodução/globo

Daniel Echaniz foi expulso do BBB 12 após suspeitas de que ele teria estuprado participante

BBB 12: Acusação de estupro na casa
Durante o BBB 12, Daniel Echaniz foi acusado de estupro de vulnerável. As câmeras da casa mostraram ele na cama com Monique. A "sister" estava embriagada, e movimentos intensos debaixo do edredom indicavam que Echaniz estaria transando com ela sem seu consentimento.

O público pressionou, e a Globo decidiu expulsar o brother para que ele respondesse à denúncia na Justiça. Monique continuou no programa e deu um depoimento no confessionário em que afirmou não ter sofrido violência sexual. Echaniz, então, foi considerado inocente e o caso foi arquivado.

reprodução/globo

Serginho, o angolano do BBB 1, foi descoberto e autuado pela Polícia Federal no reality show

BBB 1: Acusação de situação ilegal de imigrante
O cabeleireiro Sérgio Tavares, conhecido como Serginho, teve problemas com a Polícia Federal na primeira edição do BBB, em 2002. Angolano, ele estava com o visto vencido para morar no Brasil e só poderia continuar aqui se permanecesse empregado no salão de beleza em que trabalhava. Como havia se demitido para entrar no BBB, ficou ilegal no país.

Mesmo com a disputa entre Polícia Federal e advogados de defesa acontecendo fora da casa, Serginho se manteve no programa e foi o quarto colocado no reality show. Ele conseguiu regularizar sua situação e mora até hoje no Brasil. 

reprodução/globo

Dhomini voltou ao BBB em 2010 e se complicou após contar história mentirosa no programa

BBB 10: Acusação de maus-tratos com animais
Dhomini venceu o BBB 3, mas quando voltou ao programa em 2010, já sem o dinheiro do prêmio que havia ganhado, causou confusão ao contar uma história. O participante relatou que havia quebrado todos os dentes de seu cachorro com um machado, o que atiçou a ira dos protetores dos direitos dos animais.

Um inquérito contra ele foi aberto pela Delegacia de Repressão aos Crimes Contra o Meio Ambiente de Goiás. Se a história fosse verdadeira, Dhomini poderia responder por maus-tratos e incitação de violência. A polícia, no entanto, concluiu que tudo o que o participante havia falado era mentira, e o caso foi encerrado.


► Curta o Notícias da TV no Facebook e fique por dentro de tudo na televisão

► Siga o Notícias da TV no Twitter: @danielkastro

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Para utilizá-lo, você deve estar logado no Facebook. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

 

+ Lidas

Bloco de Notas

Tamanho avião

Emilia Clarke aparece bem pequeninha em cima de Drogon, em imagem de GoT  - Divulgação/HBO Uma das novas fotos da sétima temporada de Game of Thrones mostra como estão grandes os dragões de Daenerys Targaryen (Emilia Clarke). Eles terão o tamanho de um Boeing 747, modelo de avião muito utilizado ... Leia +

Leia todas as notas

Enquete

O que a Globo quer com denúncias contra o presidente Temer?

Redes sociais

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook