TV aberta vs TV paga

Net e Claro seguem Sky e cortam sinal de TVs em Brasília; SP deve ser a próxima

Adriana Spaca/Notícias da TV

José Felix, CEO da América Móvil no Brasil, durante evento do mercado de TV por assinatura - Adriana Spaca/Notícias da TV

José Felix, CEO da América Móvil no Brasil, durante evento do mercado de TV por assinatura

DANIEL CASTRO - Publicado em 27/03/2017, às 21h02 - Atualizado em 28/03/2017, às 05h15

Menos de 24 horas depois da Sky, a Net e a Claro tiraram a Record, o SBT e a RedeTV! de suas grades em Brasília e arredores. O corte aconteceu por volta da 0h30 desta terça-feira (28). Tudo indica que a mesma coisa acontecerá na Grande São Paulo nos próximos dias, após o apagão analógico na maior metrópole do país, previsto para as 23h59 desta quarta.

O Notícias da TV apurou que a estratégia das três redes abertas é justamente induzir as operadoras a cortarem seus sinais. Assim, esperam que os assinantes se voltem contra as empresas de TV por assinatura, protestando e cancelando seus contratos. Com as operadoras enfraquecidas, terão mais chances de negociar seus sinais por um bom preço.

As redes, que respondem por quase 20% da audiência da TV paga, avaliam que podem faturar de R$ 500 milhões a até R$ 3,5 bilhões por ano com as operadoras. Elas se inspiram na Fox, que conseguiu reajustar o valor de seus canais após tirá-los do ar na Sky, em janeiro.

Na última sexta (24), as três redes deram indicações claras de que querem levar a negociação ao limite. Passaram a exibir em seus intervalos comerciais e em telejornais o anúncio de que deixarão de ter seus conteúdos na TV paga na Grande São Paulo nesta quarta-feira. Acusam as operadoras de se recusarem a negociar um "valor justo" por seus sinais. Até a noite de ontem, no entanto, nenhuma operadora havia recebido proposta comercial, com uma sugestão de preço pelos sinais.

No mesmo dia, a Simba, empresa formada pelas três emissoras, enviou às operadoras uma notificação lembrando que elas precisam de autorização das redes para transmitirem seus sinais digitais nas cidades em que não há mais TV analógica. Nenhuma operadora tem essas autorização da Record, SBT e RedeTV!.

Baseadas nessa notificação, Sky, Net e Claro decidiram cortar seus sinais de Brasília. Juntas, elas somam mais de 15 milhões dos 18,6 milhões de assinantes do país.

Brasília foi a primeira grande capital a ter o chamado apagão analógico, em novembro do ano passado. Assim como em São Paulo, mais da metade dos lares do Distrito Federal recebe TV aberta via cabo ou satélite.

Com o fim da TV analógica, as emissoras de TV aberta podem cobrar por seus sinais, amparadas na lei 12.485, de 2011. A Globo cobra por sua programação desde 2014.

A postura das operadoras também tem sido dura. Elas argumentam que não podem pagar pelas redes abertas o que vem sendo veiculado pela imprensa. Legalmente, não podem reajustar os pacotes de assinaturas já existentes, a não ser pela inflação. A única forma de absorver os novos custos, dizem, seria um crescimento da base de assinantes, mas o setor está em crise desde 2014. Encolheu mais de 1 milhão de assinantes nos últimos anos.

Sobre a guerra entre as TVs abertas e operadoras de TV paga, leia também:

Guerra das TVs movimenta interesses milionários: saiba o que está em jogo

Bispo da Universal manda obreiros ameaçarem operadoras de TV paga

Redes fazem teatro de guerra e exageram ao anunciar corte de sinal na TV paga

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Para utilizá-lo, você deve estar logado no Facebook. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

 

+ Lidas

Bloco de Notas

Hilary Swank na TV

A atriz Hilary Swank no filme de faroeste Dívida de Honra, lançado em 2014 - Divulgação/Roadside Attractions A atriz Hilary Swank, duas vezes vencedora do Oscar, será uma das protagonistas de Trust, minissérie do canal FX programada para estrear em janeiro de 2018. O drama de dez episódios narrará o sequestro de ... Leia +

Leia todas as notas

Enquete

Qual é o maior problema do Dancing Brasil?

Redes sociais

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook