Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

A Favorita: Flora ou Donatela? Verdadeira assassina vira trama de ponta-cabeça

REDAÇÃO

redacao@noticiasdatv.com

Publicado em 24/5/2022 - 18h22

Leia a seguir a transcrição do vídeo de A Favorita. Relembre quem é a verdadeira vilã da trama: 

A Favorita quase virou o patinho feio da emissora quando estreou, em junho de 2008. Após sofrer com baixa audiência nos três primeiros meses, a trama do então novato João Emanuel Carneiro conseguiu virar queridinha após uma reviravolta. Para conseguir o milagre, o autor apostou na velha tática do "quem matou?", e numa virada antecipada no folhetim. Ficou curioso para relembrar quem é a verdadeira vilã da história? Fique ligadinho aqui para saber tudo! 

A Favorita mostra a rivalidade entre Flora e Donatela, que eram parceiras antigas na dupla sertaneja Faísca e Espoleta. Depois de cumprir uma pena de 18 anos de reclusão pelo assassinato de seu marido, Marcelo Fontini, Flora deixa a prisão. Ela busca provar a sua inocência, além de tentar se reaproximar da filha Lara, criada por Donatela.  

O segredo sobre quem matou Marcelo é o tema dos primeiros meses do folhetim. O público tem dificuldades para descobrir quem é a vilã, até ser surpreendido com a revelação. Cada uma das personagens tem a própria versão sobre a morte de Marcelo, e o público não sabe quem está falando a verdade. Flora foi acusada pelo crime, mas afirma ter sido injustiçada. Donatela, por sua vez, defende que a rival mereceu cada ano na cadeia.

As versões se confrontam o tempo inteiro, mas o público tende a comprar a história de Flora, com seu ar angelical e busca por justiça. Nas cenas que foram ao ar no capítulo da versão original, número 56, Donatela enfrenta a antagonista e a ameaça com uma arma. Com os nervos à flor da pele, a ex-presidiária afirma que a mocinha não tem coragem de matá-la, uma vez que não é uma assassina como ela. É aí que ocorre a virada na história e o público se envolve com a novela ao descobrir quem é a vilã. 

A verdade é que Flora, que diz ser a vítima da história, foi a responsável pela morte de Marcelo. Carneiro alterou a lógica do gênero por não deixar claro quem seria a mau-caráter e a mocinha da produção logo no início. Até a semana da revelação de que Flora é a vilã, A Favorita tinha dificuldades para ficar acima dos 40 pontos de audiência de forma regular, patamar considerado o ideal para os folhetins do horário nobre em 2008. 

No capítulo da reviravolta, a novela superou os 45 pontos de média. Na época, Favorita teve a pior estreia da história na faixa das nove, com 35 pontos de média, tanto é que a obra passou por uma estratégia de relançamento dois meses depois. 

A revelação da vilã e da mocinha fez a trama voltar ao eixo e recuperar o público da faixa que tinha sido perdido, tanto é que o folhetim chegou ao fim com status de novelão. Mais de dez anos depois de seu encerramento, A Favorita passa longe de ser um dos maiores fracassos da faixa na história.

E aí, gostou de relembrar esse super momento da novela que está em cartaz no Vale a Pena Ver de Novo? Quer saber mais detalhes? Então fique  de olho no Notícias da TV para não perder nada!


Assista também

Web Stories

+
Resumo de Cara e Coragem: Pat e Moa se beijam, e Samuel é vítima de tragédiaBaixarias e desrespeito: A Record perdeu o controle do Power Couple 2022?38 anos depois: O que aconteceu com os atores de Amor com Amor se Paga?Separação de Simone e briga com o ex-marido: O que aconteceu com Simaria?Vingança sangrenta: Alcides será castrado por Tenório no remake de Pantanal?

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas