Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

Piores políticos

Odorico Paraguaçu e vilão de House of Cards lideram corruptos da TV

Divulgação/TV Globo

Paulo Gracindo interpreta o prefeito corrupto Odorico Paraguaçu na novela O Bem-Amado (1973) - Divulgação/TV Globo

Paulo Gracindo interpreta o prefeito corrupto Odorico Paraguaçu na novela O Bem-Amado (1973)

JOÃO DA PAZ e PAULO PACHECO

Publicado em 3/10/2014 - 16h46
Atualizado em 5/10/2014 - 7h54

Na ficção, a política é ainda mais suja do que na realidade. Nas novelas, prefeitos enganam o povo com obras injustificáveis, como um cemitério sem mortos em O Bem-Amado (1973) e uma mina sem ouro em Fera Ferida (1993). Nas séries, os escândalos vão de lavagem de dinheiro em House of Cards a gastos com prostitutas em The Good Wife. No dia da eleição, o Notícias da TV lista os dez políticos mais corruptos da dramaturgia. Fica o alerta:

Lima Duarte e Paulo Gracindo em O Bem-Amado, novela de 1973 (Foto: Divulgação/TV Globo)

Odorico Paraguaçu (O Bem-Amado): Interpretado por Paulo Gracindo, o prefeito de Sicupira tentou a todo custo inaugurar o cemitério prometido durante a campanha, mas ninguém morria. Chegou até a pedir ao cangaceiro Zeca Diabo (Lima Duarte) para assassinar alguém, porém o bandido tinha se tornado um homem correto. O político também foi acusado de espionagem por instalar um microfone no confessionário da igreja e descobrir os segredos dos moradores. Uma grande crítica à má política em plena Ditadura Militar.

Kevin Spacey em cena de House of Cards, série da Netflix (Foto: Divulgação)

Frank Underwood (House of Cards): Vice-presidente dos Estados Unidos, o político vivido por Kevin Spacey tentou todas as artimanhas para chegar ao topo do poder. Na pior delas, armou um esquema de lavagem de dinheiro para prejudicar o presidente Garrett Walker. Com o escândalo, Garrett é obrigado a renunciar e passar a Presidência para para Underwood.

Du Moscovis, Letícia Spiller e José de Abreu em Senhora do Destino (Foto: Divulgação/TV Globo)

Reginaldo (Senhora do Destino): O vereador interpretado por Eduardo Moscovis elegeu-se prefeito da Vila de São Miguel e aproveitou para desviar dinheiro público em benefício próprio. Mau-caráter, forjou ao lado da mulher, Viviane (Letícia Spiller), o sequestro do filho e a prisão da mãe, Maria do Carmo (Susana Vieira), contrária à ambição do primogênito. Morreu apedrejado por moradores.

Chris Noth em cena de The Good Wife, série da rede norte-americana CBS (Foto: Divulgação)

Peter Florrick (The Good Wife): Vivido por Chris Noth, o promotor público do Estado de Illinois (EUA) utiliza verba do governo para contratar prostitutas. Seu rival, Glenn Childs (Titus Welliver), vaza um vídeo íntimo de Peter, forçando-o a deixar o cargo e levando-o para a cadeia. Porém, a prisão não afeta a vida política do advogado. Ele consegue se eleger governador graças ao trabalho do chefe de campanha, Eli Gold (Alan Cumming).

Milton Gonçalves toma ovada em cena de A Favorita, de 2008 (Foto: Divulgação/TV Globo)

Romildo Rosa (A Favorita): O político interpretado por Milton Gonçalves veio de família pobre, mas enriqueceu por meio de conchavos e trocas políticas. Deputado temido, tem ligações com traficantes e fatura com a venda ilegal de armas. Odiado pelo povo, chegou a tomar ovadas em um comício. Arrependeu-se dos crimes que cometeu após sua filha, Alícia (Taís Araújo), ser morta por uma bala perdida.

Tony Goldwyn em cena de Scandal, série da rede ABC, exibida pelo canal Sony (Foto: Divulgação)

Fitzgerald Thomas Grant III (Scandal): Para se eleger presidente dos Estados Unidos, o candidato vivido por Tony Goldwyn frauda uma urna eletrônica e produz dossiês falsos contra o rival, Samuel Reston (Tom Amandes), com ajuda da consultora de mídia Olivia Pope (Kerry Washington). As falcatruas dão certo, e Fitzgerald vence a eleição.

Ary Fontoura em cena de A Indomada, novela de 1997 (Foto: Divulgação/TV Globo)

Pitágoras Willian Mackenzie (A Indomada): O político interpretado por Ary Fontoura chegou a ser ministro, mas foi exonerado após se envolver em escândalos. Como deputado na cidade de Greenville, ajudou a transformar o genro, Ypiranga (Paulo Betti), em prefeito, também corrupto. Uniu-se à vilã Altiva (Eva Wilma) para prejudicar a sobrinha, Helena (Adriana Esteves). Reapareceu na novela Porto dos Milagres (2001).

Peter Riegert em cena de The Sopranos, série da HBO (Foto: Divulgação)

Ronald Zellman (The Sopranos): Braço direito do mafioso Tony Soprano (James Gandolfini) no meio político no Estado norte-americano de New Jersey, Zellman (Peter Riegert) foi deputado estadual. Estava na folha salarial da família Soprano como um funcionário da máfia. A principal atuação do político foi facilitar a lavagem de dinheiro da organização criminosa.

Tarcísio Meira em cena de Fera Ferida, novela de 1993 (Foto: Divulgação/TV Globo)

Feliciano Mota da Costa (Fera Ferida): Prefeito vivido por Tarcísio Meira, convenceu a população de Tubiacanga a doar dinheiro para a construção de uma mina de ouro. O povo sentiu-se enganado e organizou uma revolta. Feliciano foge com a família, é perseguido por um pistoleiro e morre afogado ao lado da mulher, Laurinda (Lucinha Lins). As mentiras do político viraram piada na cidade.

Aidan Gillen em cena de The Wire, série exibida nos Estados Unidos pela HBO (Foto: Divulgação)

Tommy Carcetti (The Wire): Ainda na campanha para prefeito de Baltimore (EUA), Carcetti (Aidan Gillen) prometeu diminuir a violência. Ele consegue ser eleito, mas não vê dificuldade em reduzir a criminalidade. Para tentar ser governador de Maryland, decide forjar as estatísticas criminais para mostrar à população que cumpriu a promessa. O eleitorado acreditou, e Carcetti ganhou a eleição.


► Curta o Notícias da TV no Facebook e fique por dentro de tudo na televisão

Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

Quem deve ser a nova Juma Marruá?