BIA FERES

Nadadora supera dor e chega à final do Dancing Brasil com três costelas quebradas

Blad Meneghel/Record

A nadadora Bia Feres faz expressão de dor e superação durante dança de trios do Dancing Brasil com os professores Paulo Victor Souza e Rafa Scauri

Bia Feres com o professor Paulo Victor Souza (à esq.) e Rafa Scauri na dança de trios do Dancing Brasil

LUCIANO GUARALDO - Publicado em 11/09/2019, às 05h07

A quinta temporada do Dancing Brasil chega ao fim na noite desta quarta (11), e a nadadora Bia Feres, independentemente do resultado, já conquistou um "prêmio": ela sai do reality show com uma nova paixão pela dança e três costelas quebradas. "Eu entreguei tudo de mim, acho que minha vontade é muito maior do que qualquer obstáculo", filosofa.

Bia até poderia ter tirado uma folga do reality show da Record por causa dos problemas de saúde --o regulamento do Dancing Brasil permite uma semana de repouso, na qual o participante automaticamente fica livre da eliminação. Cátia Paganote, Maria Paula e Alinne Prado se valeram da licença médica neste ano.

"Estou ensaiando com as costelas quebradas, torci o pé... Sugeriram que eu parasse para descansar, mas eu não quis. Falei: 'Não vou parar e não quero que ninguém saiba [que estou machucada]. Agora já é a final, depois desta quarta-feira dá para pensar em me tratar (risos)", conta a esportista de 31 anos, que ficou conhecida por causa das apresentações de nado sincronizado ao lado da irmã gêmea, Branca.

A dupla de nadadoras, aliás, só se separou por causa do convite para o Dancing Brasil --enquanto Bia foi para a pista de dança, Branca foi escalada pelo canal BandSports para cobrir os Jogos Pan-Americanos de Lima.

"A Record queria uma das duas, mas nós tivemos que escolher por conta. Eu queria muito, minha irmã também. Mas, como ela vai se casar, preferiu organizar tudo e deixou o reality para mim. E está sendo uma loucura, mas muito especial. Esse programa é a coisa mais maravilhosa que eu já fiz na minha vida", elogia.

Paixão pela dança

Bia chega à final com uma vantagem sobre os concorrentes, o músico Vinicius D'Black e a ginasta Daniele Hypólito: ela tem a melhor média nas notas dadas pelos jurados e pelo público, 35,0 pontos, contra 33,7 dos outros dois finalistas. A nadadora admite, porém, que nunca pensou que chegaria tão longe na competição.

"Eu nunca dancei na vida, então não imaginava que estaria na final. Mas entreguei minha alma, meu coração. Eu e o PV [Paulo Victor Souza, o professor] fizemos uma trajetória linda, e acho que a minha química com ele tem a ver com minha dedicação. Quem me conhece sabe o quanto sou dedicada, apaixonada. Parece que esse programa fez surgir um novo amor na minha vida, que é a dança", explica.

A declaração pode até parecer exagerada, mas Bia jura que se redescobriu na pista. Inclusive, já avisa que vai continuar a dançar mesmo depois da final do reality. "Vou sair do programa já matriculada na aula de stiletto [técnica de dança com salto alto] da Bruna Bays, professora do Victor Sarro. Já convoquei minhas amigas, vamos todas juntas formar uma turma (risos). A dança agora é minha vida."

A final da quinta temporada do Dancing Brasil vai ao ar nesta quarta-feira, às 22h30, na Record. O programa tem apresentação de Xuxa Meneghel, com reportagem de Junno Andrade. O campeão da temporada ganha R$ 500 mil e um troféu. Já o professor de quem vencer leva para casa um carro zero quilômetro.

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

Enquete

Você gostou de Órfãos da Terra?

Últimas notícias

Notícias da TV
Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook