Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

NA RECORD

Ex-parceiro de ET, Rodolfo se surpreende com volta à TV: 'Aposentado'

Divulgação/Record

Segurando seu microfone gigante característico, o repórter Rodolfo Carlos grava matéria para a Record

O repórter Rodolfo Carlos em gravação para a Record: ele estará no programa de Geraldo Luís

REDAÇÃO

redacao@noticiasdatv.com

Publicado em 16/1/2021 - 6h42

O repórter Rodolfo Carlos de Almeida, que fez sucesso no fim dos anos 1990 e início dos anos 2000 por sua parceria com Cláudio Chirinian, o ET (1963-2010), se surpreendeu com o convite para voltar à TV --ele estará no A Noite É Nossa, novo programa de Geraldo Luís, que estreia nesta quarta-feira (20) na Record. "Eu já me considerava aposentado", disse.

Rodolfo não tinha emprego na TV há mais de cinco anos, mas decidiu sair da "aposentadoria precoce" ao ser chamado para a nova atração. "O programa se tornou irresistível. Geraldo Luís vai suprir a falta que o público sente da alegria dos programas animados", declarou ele à colunista Naiara Andrade, do jornal Extra.

Rodolfo ficou conhecido por usar um microfone gigante e acordar famosos ao lado do ET no Domingo Legal, do SBT. Em 2015, já sem o companheiro, voltou ao quadro na atração que Gugu Liberato (1959-2019) comandou na Record. A morte do apresentador, aliás, deixou o repórter à base de remédios.

Comandado por Geraldo Luís, o A Noite É Nossa vai misturar humor e informação, e contará histórias exclusivas, com repórteres espalhados pelo Brasil. Celia Pinho, conhecida como a "rainha do Pará", será outra aposta da Record para deixar o programa com a cara do povo.

Rodolfo Carlos começou a carreira no jornalismo popular, no início da década de 1990. Produziu reportagens policiais para Gil Gomes e de direito do consumidor para Celso Russomanno no extinto Aqui Agora, do SBT. Trabalhou com Carlos Massa, o Ratinho, na CNT e depois na Record, onde formou a dupla com ET, personagem que criou em uma "reportagem". Sua marca era um microfone gigante.

Em 1998 voltou para o SBT e passou a trabalhar no Domingo Legal. As encenações de tentativas de acordar Silvio Santos e outros artistas renderam ao antigo programa de Gugu Liberato picos de 30 pontos e vários momentos de primeiro lugar no Ibope. No auge da popularidade, lançou um CD com ET e vendeu mais de 270 mil cópias.

Em julho de 2009, não concordou com a proposta do SBT de reduzir seu salário e rompeu contrato de pessoa jurídica com a emissora. Desde então, Rodolfo só conseguiu trabalhos esporádicos na TV. Em 2010, ficou três meses no programa de Sonia Abrão, na RedeTV!. 

Nos últimos anos, Rodolfo enfrentou uma depressão e foi trabalhar na roça, cultivando produtos orgânicos, para curá-la. Há dois anos, em entrevista ao Notícias da TV, ele contou que estava se afastou das redes sociais para cuidar do pai, com câncer.

No final de 2017, o repórter, desempregado, endividado e com o pai doente, desistiu da ação trabalhista milionária que movia contra o SBT desde 2009 e decidiu fazer um acordo com a emissora, encerrando o processo.


Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

O que você quer ver no retorno de Amor de Mãe?