PARA TODOS OS GOSTOS

Depois de bolos e churrasco, reality vai eleger até quem faz melhor cerveja

Divulgação/EndemolShine

Modelo observa cerveja em foto usada pela Endemol para divulgação de Mestre Cervejeiro - Divulgação/EndemolShine

Modelo observa cerveja em foto usada pela Endemol para divulgação de Mestre Cervejeiro

LUCIANO GUARALDO, de Belo Horizonte - Publicado em 29/08/2017, às 05h50

Atual fenômeno da TV brasileira, as competições culinárias não devem sair de cena tão cedo. No embalo do MasterChef, surgiram vários reality shows que procuram quem faz os melhores bolos, churrascos, doces, salgados e pratos gourmet. Para o ano que vem, há até um formato que promove uma disputa entre fabricantes de cervejas artesanais.

Chamado de Mestre Cervejeiro, o reality está sendo produzido pela EndemolShine Brasil em parceria com uma marca catarinense de cervejas, que vai bancar a realização do programa. As gravações devem acontecer até 9 de outubro, embora a atração só vá ao ar em 2018 _a Endemol ainda negocia a exibição com canais pagos.

"É um assunto muito segmentado, um programa que interessa a um público de nicho. O desafio é transformar algo que parece impossível em um produto atraente e que gera engajamento e audiência", explicou Eduardo Gaspar, diretor de criação da EndemolShine, durante a MAX (Minas Gerais Audiovisual), feira de fomento à produção criativa que aconteceu na semana passada em Belo Horizonte.

Em Mestre Cervejeiro, nove pessoas competem por um prêmio que inclui a fabricação de sua cerveja por até um ano, com seu nome no rótulo. Além disso, o ganhador receberá uma viagem com acompanhante para Munique, na Alemanha, onde conhecerá o circuito cervejeiro local.

A proliferação de realities culinários é notável: a Band estreia na terça que vem (5) a segunda temporada do MasterChef Profissionais, o SBT exibe atualmente BBQ Brasil e Bake Off Brasil, a Globo tem o quadro Jogo de Panelas dentro do Mais Você e a Record grava em setembro a segunda temporada do Batalha de Confeiteiros, com o Cake Boss Buddy Valastro, prevista para ir ao ar no início de 2018.

A TV paga conta com outra infinidade de programas nacionais e estrangeiros, desde o Que Seja Doce e o Cozinheiros em Ação, do GNT, até as diversas versões mundiais do MasterChef exibidas pelo canal TLC. Mas o panorama era bem diferente até a estreia do fenômeno culinário na Band.

"Eu demorei dois anos para emplacar o Hell's Kitchen no SBT. Na época, ninguém acreditava em reality de gastronomia. Escutei de todas as emissoras que os brasileiros não entenderiam o que faz um chef", diz Daniela Busoli, dona da produtora Formata. "O MasterChef provou o contrário e abriu essa porteira."

Daniela era diretora da Fremantle e ajudou a implantar o Cozinha Sob Pressão no Brasil em 2014. Na época, o SBT barrou o título Hell's Kitchen por medo de que a referência ao inferno assustasse ou irritasse a população de um país, em sua maioria, católico. O nome original só foi incorporado na terceira temporada, quando o formato estava testado e aprovado.

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

Enquete

Qual próxima reprise da Globo você mais quer ver?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook