Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

APÓS 12 ANOS

Anahí nostálgica e Christian empoderado: Saiba como foi o show do RBD

REPRODUÇÃO/LIVE SER O PARECER

Imagem de Christopher von Uckermann, Maite Perroni, Anahí e Christian Chávez, da esquerda para a direita, durante live do RBD

Christopher von Uckermann, Maite Perroni, Anahí e Christian Chávez durante live do RBD

PAOLA ZANON

paola@noticiasdatv.com

Publicado em 26/12/2020 - 22h58

Anahí, Christian Chávez, Maite Perroni e Christopher von Uckermann se reuniram na noite deste sábado (26) em uma live que marcou o retorno do RBD, 12 anos após seu último show. Além da nostalgia, o quarteto homenageou Dulce María e Alfonso Herrera, que não estiveram presentes.

A música que abriu o show foi a mesma que deu o nome ao retorno: Ser o Parecer. No repertório, além da inédita Siempre he Estado Aqui, os rebeldes apresentaram novas versões de canções clássicas da novela adaptadas para quatro vozes, em vez de seis.

A apresentação aconteceu ao vivo, em um estúdio chroma key que alternava a imagem de fundo a cada música, além de exibir vídeos dos shows antigos e cenas de Rebelde (2004-2006), onde Poncho e Dulce María também apareciam. Segundo Anahí, a equipe que trabalhou para que a live acontecesse contou com mais de 90 pessoas. 

Dulce e Poncho

A homenagem aconteceu com Anahí, Maite, Christian e Christopher sentados lado a lado, em banquinhos, na frente de um telão exibindo vídeos de Dulce e Poncho. O quarteto dedicou aos dois a música No Pares, originalmente cantada apenas pela intérprete de Roberta. 

Em seu Instagram, Herrera avisou que havia comprado os ingressos para assistir à live e desejou sucesso aos ex-companheiros de grupo. No Twitter, Dulce disse que seu coração sempre fará parte do RBD e agradeceu o carinho dos fãs, antes do início do show.

Christian empoderado

Christian se assumiu gay em 2007, mas não costumava falar muito sobre o assunto antes do fim do grupo. Na live de hoje, no entanto, o cantor se soltou ao cantar Tu Amor sozinho após um breve discurso empoderado. "O amor é um direito universal", declarou ele. Nas redes sociais, os fãs elogiaram e apoiaram sua postura livre.

Performances individuais

Além do solo de Chávez, os outros três também tiveram apresentações individuais. Christopher cantou uma versão de Inalcanzable ao piano, arrancando suspiros de fãs nas redes sociais. Maite, por sua vez, interpretou sozinha a música Empezar Desde Cero, e Anahí levou todos às lágrimas com sua performance de Sálvame, uma das músicas mais famosas do grupo.

Antes de cantar, todos eles fizeram um discurso ligando as letras das músicas que iriam interpretar ao momento que o mundo vive com a pandemia do novo coronavírus. O quarteto incentivou os fãs a não desanimarem, apesar de todas as dificuldades encontradas em 2020.

Nostalgia

Mantendo a tradição de 12 anos atrás, a música que encerrou o show foi Rebelde. O quarteto surgiu com blazers vermelhos, que lembravam o uniforme do Elite Way School, colégio em que seus personagens estudavam na novela de mesmo nome da música.

Anahí, inclusive, apareceu com usando a icônica estrelinha na testa que sua personagem, Mía Colucci, costumava usar na trama mexicana.


Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

O que você quer ver no retorno de Amor de Mãe?