Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

ESTREIA NA GLOBO

Para ator, Cine Holliúdy é série para 'brasileiro fazer as pazes consigo mesmo'

Divulgação/TV Globo

O ator Matheus Nachtergaele com braços abertos e sorriso em cena como o personagem Olegário na série Cine Holliúdy

O ator Matheus Nachtergaele em cena como o personagem Olegário na série Cine Holliúdy, da Globo

FERNANDA LOPES

Publicado em 7/7/2020 - 5h12

Reestreia nesta terça (7), na Globo, a série Cine Holliúdy, que retrata a influência do cinema e da televisão numa cidade do interior do Nordeste. A atração até tem suas críticas sociais, mas apresenta tom bem mais leve do que Aruanas, que ocupava a faixa até a semana passada. Para o ator Matheus Nachtergaele, Cine Holliúdy mostra o melhor da comédia nacional, capaz de fazer o público olhar para si mesmo com outros olhos.

"Tenho orgulho de Cine Holliúdy, é desde sua origem uma obra pro brasileiro fazer as pazes consigo mesmo. É uma declaração de amor à comédia, ao povo nordestino", diz ele. Segundo Nachtergaele, por retratar o interior do Brasil de forma divertida e respeitosa às regionalidades, a série traz à TV o melhor do país, em contraponto ao que ele enxerga na política atual.

"Desde o golpe [o impeachment de Dilma Rousseff, em 2016], começou uma sensação de que não gostamos mais de quem somos, que culminou com a eleição do aspecto mais sombrio da elite brasileira. O baixo clero mais preconceituoso e obscuro subiu ao poder quando estávamos nos desapaixonando pelo Brasil", afirma, em crítica ao presidente Jair Bolsonaro.

Marcio Wilson, um dos autores da série, concorda com a visão de Nachtergaele. "A gente conta o Brasil, e o brasileiro está precisando rir de si mesmo. Com a gravidade do que tem acontecido, isso [o riso] não tem acontecido. A gente está precisando de um pouco de humor pra entender o que está acontecendo na sociedade", afirma.

Exibida pela primeira vez em 2019, Cine Holliúdy conta a história de Francis (Edmilson Filho), dono de um cinema na fictícia Pitombas, no Ceará, que vê seu negócio ameaçado pela chegada da primeira televisão ao local, na década de 1970.

Ao mesmo tempo, chega à cidade também a bela Marylin (Leticia Colin), que sonha em se tornar atriz de cinema. O vilão da história é o prefeito Olegário (Matheus Nachtergaele), que não vê problemas no possível fim do único cinema da região.

"Cine Holliúdy conta a história da resistência do sonho. O protagonista é um sonhador e promove a resistência, da maneira mais exemplar, mais heroica do brasileiro. O Brasil precisa da comédia pra continuar sonhando. E não pode perder a esperança", diz o autor Claudio Paiva.

A primeira temporada de Cine Holliúdy será reprisada na Globo às terças, após Fina Estampa. A segunda temporada já está confirmada e teria suas gravações iniciadas neste ano, mas as produções foram interrompidas pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19). Não há previsão para a retomada dos trabalhos.

Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

O que você quer ver no retorno de Amor de Mãe?