Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

LUTAS CRUZADAS

Ativista e gay em Aruanas, Vitor Thiré instiga haters: 'Espero que assistam'

REPRODUÇÃO/GLOBOPLAY

O ator Vitor Thiré, de terno, fala em um microfone no plenário da Câmara dos Deputados como André em cena de Aruanas

André (Vitor Thiré) em Aruanas; ator vê oportunidade de questionar o preconceito em série

DANIEL FARAD

vilela@noticiasdatv.com

Publicado em 24/1/2022 - 6h40

Vitor Thiré não tinha a menor dúvida de que colocaria o dedo em diversas feridas ao dar continuidade à história de André na segunda temporada de Aruanas. O ativista não provoca o público apenas ao expor o desgoverno e a corrupção por trás do desastre ambiental brasileiro. Ele também se impõe como uma pessoa LGBTQIA+ em sua plenitude, em que seus afetos não são jogados para segundo plano ou suprimidos dentro da história.

Em entrevista ao Notícias da TV, o ator diz que até aqui nunca se deparou com comentários nas redes que diminuíssem a importância do trabalho, mas instiga eventuais "críticos" a conferirem o resultado:

O feedback do público até agora é o melhor possível. Todos dizendo o quanto a série é necessária, fundamental e atemporal no que diz respeito ao tema. Só elogios. Ela denuncia crimes ambientais reais e procura dialogar com seres inteligentes, cidadãos pensantes e capazes de agir em prol do nosso planeta. Espero de coração, inclusive, que haters assistam e, com isso, o deixem de ser.

André ganhou mais camadas na nova leva de episódios, que abriu espaço para ele se realizar afetivamente ao lado de Theo (Daniel de Oliveira). O romance não é apenas sugerido, mas marcado por diversas trocas de afetos --incluindo beijos.

Thiré, destaca que a repercussão das sequências foi bastante positiva, ainda que o preconceito seja uma realidade para a comunidade LGBTQIA+:

Eu acredito e vejo que cada vez mais as pessoas, em geral, estão se dando conta que o que importa é o amor, é a alegria e o afeto. Um beijo gay, numa cena espetacular, para o mundo inteiro ver, tende a normalizar a relação homoafetiva. Sonho com o dia em que isso deixará de ser destaque, notícia, e passe a ser algo comum. Como um beijo hétero.

Do Globoplay para a Netlfix

Thiré ainda dá expediente duplo nos serviços de streaming com o filme Intervenção, que figurou entre os dez mais vistos da Netflix brasileira nas últimas semanas. Ele interpreta o bandido Fió, que não só faz parte do ciclo de violência como é uma das vítimas dele em uma comunidade no Rio de Janeiro.

Uma das sacadas da produção, que aborda a rotina de dois policiais em uma UPP (Unidade de Polícia Pacificadora), é aproveitar a presença do ator para questionar o racismo da própria indústria --que empurra artistas negros para papéis marginalizados.

Nós, artistas, temos a função de colocar uma lente de aumento numa questão para que as pessoas vejam o quanto aquilo está errado e precisa ser corrigido. O racismo estrutural precisa ser destruído. E eu, como homem branco, preciso dizer que o racismo é um problema nosso. Nós, brancos, temos a obrigação de sermos antirracistas.

Leia também

Enquete

Qual a melhor novela no ar atualmente?

Web Stories

+
A Favorita: Veja 7 atores da novela que sumiram da GloboPão Pão, Beijo Beijo chega no Viva 39 anos depois: Quais atores já morreram?Resumo de Pantanal: Madeleine sofre tragédia, e Bruaca se choca com podridão do maridoGkay já fez harmonização facial? Veja antes e depois da influenciadoraNovela Pantanal: Descubra quem é Guito, o ator que interpreta Tibério na trama

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas