Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

Balanço 2016

Análise: Globo exibe sexo entre homens, mas diminui romances gays

Reprodução/TV Globo

André (Caio Blat) e Tolentino (Ricardo Pereira) em cena de sexo em Liberdade, Liberdade - Reprodução/TV Globo

André (Caio Blat) e Tolentino (Ricardo Pereira) em cena de sexo em Liberdade, Liberdade

MÁRCIA PEREIRA

Publicado em 27/12/2016 - 6h42

Novela das onze de 2016, Liberdade, Liberdade apresentou a primeira cena de sexo entre dois homens na teledramaturgia brasileira. André (Caio Blat) e Tolentino (Ricardo Pereira) descobriram que se amavam e sofreram muito, porque a relação entre pessoas do mesmo sexo era crime em 1808, época em que se passava a trama. A Globo avançou ao tratar um assunto tabu com naturalidade e delicadeza, mas foi conservadora nas demais produções.

Após quatro tramas com romances homossexuais em destaque, a emissora não teve mais nenhum casal homoafetivo brilhando no horário nobre ou nas suas outras duas faixas de novelas.

Os homossexuais não foram extintos, a não ser em Velho Chico, trama cujo autor, Benedito Ruy Barbosa, assumiu publicamente que "odeia história de bicha". Mas faltou mostrar o lado romântico para os poucos personagens homoafetivos interpretados fora da novela das onze ao longo de 2016.

Na TV aberta, somente a Globo vem trilhando em seus folhetins a abertura de um diálogo com a sociedade sobre a diversidade sexual. SBT e Record investiram nos segmentos infantil e religioso, respectivamente.

Em janeiro de 2014, quando o casal Nico (Thiago Fragoso) e Félix (Mateus Solano) conquistou o público com direito a beijo no último capítulo de Amor à Vida, a tendência parecia ser a de que esse assunto não seria mais um tabu. Beijo entre homens e entre mulheres passaria a ser algo normal nas novelas.

reprodução/tv Globo

Teresa (Fernanda Montenegro) e Estela (Nathalia Timberg) dão selinho em Babilônia

No mesmo ano, o casal Clarina (Clara e Marina, Giovanna Antonelli e Tainá Müller), de Em Família, ganhou torcida nas redes sociais, teve casamento e beijo. 

Em seguida foi a vez de Cláudio (José Mayer) e Leonardo (Klebber Toledo) darem selinho e se assumirem como casal em Império. A ruptura aconteceu quando beijos entre Teresa (Fernanda Montenegro) e Estela (Nathalia Timberg) afugentaram a audiência mais conservadora em Babilônia.

Muitas mudanças foram feitas na trama, e o personagem de Marcos Pasquim voltou para o armário para evitar mais rejeição. A Regra do Jogo até trouxe um casal homossexual, mas sem apelo de romance. Úrsula (Júlia Rabello) e Duda (Giselle Batista) pertenciam ao núcleo cômico, e o namoro delas foi desvirtuado com uma traição de Duda com o cunhado, Vavá (Marcello Novaes).

De lá para cá, há um jejum homoafetivo no horário nobre. Atualmente no ar, A Lei do Amor tem Gledson (Raphael Ghanem) louco para se apaixonar, e Wesley (Gil Coelho) pronto para ser seu par romântico. O envolvimento entre os dois está previsto na sinopse da trama. Se esse amor vai sair do papel? Talvez nem os autores tenham certeza. 


► Curta o Notícias da TV no Facebook e fique por dentro de tudo na televisão

► Siga o Notícias da TV no Twitter: @danielkastro

Últimas de Liberdade, Liberdade


Outras Novelas

Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

O que você espera ver na TV em 2021?