Foco nas mulheres

Ex-canal do esporte, Band desiste de transmitir Copa do Mundo da Rússia

Lucas Figueiredo/CBF

Neymar em treino para o último amistoso da seleção brasileira, em novembro na Inglaterra - Lucas Figueiredo/CBF

Neymar em treino para o último amistoso da seleção brasileira, em novembro na Inglaterra

DANIEL CASTRO - Publicado em 22/02/2018, às 06h12

A Band desistiu de transmitir a Copa do Mundo de 2018, a ser realizada em junho e julho na Rússia. A emissora, que vinha negociando o sublicenciamento de 32 jogos com a Globo e a venda de cotas de patrocínio, decidiu abrir mão do evento, caro e de curta duração, para concentrar seus recursos em uma programação voltada para a mulher e para a família.

Será a terceira vez neste século que a Band, autointitulada o canal do esporte nos anos 1990, deixará de exibir a maior competição de futebol do planeta _a emissora não transmitiu as Copas de 2002 e 2006.

Assim, a Globo voltará a ter a exclusividade total sobre o torneio de seleções na TV aberta. Na TV por assinatura, os jogos serão exibidos apenas por Sportv e Fox Sports. BandSports, que mostrou o Mundial de 2006 mesmo sem a Band, e a ESPN não irão para a Rússia.

O Notícias da TV apurou que a transmissão da Copa não consta do roteiro do almoço de lançamento da programação de 2018 da Band, a ser apresentada a jornalistas, publicitários e anunciantes na próxima terça-feira (27), em São Paulo. Uma alta fonte na Band confirmou a desistência.

A decisão representa uma mudança de rota. A transmissão da Copa pela Band chegou a ser dada como certa no final do ano passado, foi até noticiada. O cenário ficou diferente com a reestruturação da cúpula da emissora, no último trimestre, e as demissões do vice-presidente Marcelo Meira e do diretor artístico Diego Guebel.

O novo vice, André Aguera, optou por uma reorientação da programação. A emissora agora terá mais programas voltados para a mulher e para a família. Em março, estreiam o Melhor da Tarde, com Catia Fonseca, e o também feminino Superpoderosas, além de uma atração dominical a ser comandada por José Luiz Datena.

A estratégia é abrir o leque de opções de grade e de receitas publicitárias. Com programas mais duradouros e muito mais baratos do que uma Copa do Mundo, a emissora pode atrair mais anunciantes. Com o mesmo investimento, pode fazer muito mais dinheiro.

"Nós estamos buscando uma grade que atinja todos os integrantes da família. É um novo conceito de programação para este ano", disse ao Notícias da TV no início deste mês o novo diretor de Conteúdo da Band, Gillhermo Pendino.

A informação de que a Band não irá mais transmitir a Copa ainda não foi comunicada internamente. Profissionais da área de esportes estão com os passaportes em dia, continuam aguardando a convocação para trabalhar na Rússia, apesar de, no final de janeiro, a emissora ter dado um sinal de que o Mundial estava fora de seus planos, com a dispensa do narrador Téo José.

Apesar de não ter os direitos de transmissão dos jogos, a Band não irá ignorar a Copa. A exemplo do que aconteceu em 2006, no Mundial da Alemanha, estão em estudos novas mesas-redondas para analisar as disputas, além de reforço de cobertura nos programas esportivos e telejornais.

Leia também

 

+ Lidas

Enquete

O novo Vídeo Show tem chance de sucesso?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook