Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

NOVA PLATAFORMA

Com Ana Maria Braga e Bial da favela, TV quer ampliar vozes das comunidades

REPRODUÇÃO/+FAVELATV

Montagem com Monica Faria e Gilson Rodrigues, apresentadores da +Favela TV

Monica Faria e Gilson Rodrigues, da +Favela TV; canal pretende ampliar vozes das comunidades

ERICK MATHEUS NERY

erick@noticiasdatv.com

Publicado em 28/5/2022 - 6h20

Conversar sem estereótipos com os moradores das comunidades brasileiras é o objetivo da +FavelaTV, canal virtual voltado para este público. De olho em mais de 17 milhões de pessoas, a iniciativa chega com transmissões esportivas, conteúdos musicais e de empreendedorismo, além de atrações na linha dos programas de Ana Maria Braga e Pedro Bial, da Globo.

"O mercado de mídia em favelas já existia, de uma forma tímida. Eram produtos mais convencionais, wi-fi em uma dimensão pequena, ativações, panfletagens. Enxergávamos possibilidades muito maiores, outras ideias foram surgindo, e a televisão veio no bojo disso, quando começamos a perceber a necessidade de fazer uma comunicação mais efetiva com a comunidade", explica Marx Rodrigues, CEO da Sou+Favela, empresa de mídia responsável pelo canal de TV.

Em entrevista ao Notícias da TV, o executivo reforça a necessidade de a televisão mostrar a realidade do país: "Um Brasil que tem mais da metade da população negra, em que 65% da população das favelas é negra. Como que o morador vai entender essa conexão? Aí veio a ideia da TV. Os artistas que saem das favelas e aparecem na TV já são o produto final. E esse início? E a forma como os jovens podem criar essa identificação e pensar em um futuro diferente? [O projeto] Vira um canal poderoso para mostrar o cotidiano".

Com um estúdio próprio em Paraisópolis, o canal  conta com transmissão linear 24 horas e uma plataforma de vídeos on-demand. Os conteúdos são disponibilizados de forma gratuita no site oficial da +FavelaTV. A iniciativa foi formatada nos últimos três meses e conta com um plano de negócios ambicioso para os próximos anos.

"Quando começamos o projeto da TV, tinha uma dimensão pequena. Justamente por causa da resposta do mercado, resolvemos dar uma dimensão muito maior logo de cara. O mercado quer se comunicar, tem consciência da nova linguagem e entende que a forma mais assertiva de fazer comunicação é através de formatos genuínos, canais próprios da favela", diz.

Temos um plano de negócios muito sólido. Nos próximos dois anos, certamente o ecossistema de comunicação estará empregando três mil pessoas e com uma receita de mais de R$ 120 milhões por ano. Nos sentimos confortáveis com esse plano.

"Nos preocupamos em trazer a linguagem da favela. Trabalhamos com um conteúdo que é interessante para a favela, mas é da favela para fora. Toda a parte de produção e pauta é feita por moradores de favelas", ressalta Maurício Alvarenga, diretor geral da +FavelaTV. O profissional conta com passagens pela Turner Internacional e Paramount Global.

Programação diversa

Uma das principais atrações do canal é o Gilson Rodrigues Entrevista, talk show na linha do Conversa com Bial apresentado pelo presidente do G10 Favelas, bloco de líderes e empreendedores de impacto nas comunidades brasileiras.

O programa conta com entrevistas da empresária e ex-jurada do Shark Tank Brasil Cris Arcangeli, da jornalista Ticiana Villas Boas, do prefeito de São Paulo Ricardo Nunes (MDB), entre outras personalidades. "Tentamos trazer entrevistados que tenham alguma coisa para agregar à comunidade, que falem de inclusão, empoderamento, empreendedorismo, questões raciais e sociais", pontua Alvarenga.

Para a reportagem, Gilson Rodrigues brinca que "imita" um entrevistador dentro da atração: "Sou super tímido, falaram que a melhor forma de resolver esse problema é imitar alguém descolado, que apresenta bem. Então estou imitando esses apresentadores que dão certo. Daqui a pouco, eu aprendo".

Conhecido como "prefeito" de Paraisópolis, o líder comunitário afirma que o canal quer desmistificar a forma como as comunidades são retratadas na televisão. "Precisamos contar as nossas histórias e experiências, nos vermos na tela. Sempre brinco que, quando você vai ver um comercial, até o cachorro é loiro. A gente precisa criar esse processo de mudança e esse novo olhar para que as pessoas da favela possam se enxergar como exemplo, para além das notícias de violência", destaca.

Monica Rodrigues vira a Ana Maria Braga da comunidade no Comida de Favela, programa com receitas rápidas e fáceis para minimizar o desperdício. No Equilibra Mente, Luciana Vertullo ensina práticas básicas de ioga. Daniel Carvalho comanda o Favela Music, atração que mostra histórias e curiosidades da cena cultural das periferias. Graças a uma parceria com a NSports, os melhores momentos da Série C do Brasileirão também são exibidos na grade do canal. 


Leia também

Enquete

Pantanal perde audiência: novela está chata?

Mais lidas


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.