Elas no comando

Destemidas, ousadas e geniais: Mulheres que quebram tudo no cinema e na TV

Divulgação

Nicole Kidman, Gal Gadot e Taraji P. Henson interpretam mulheres fortes no cinema e na TV - Divulgação

Nicole Kidman, Gal Gadot e Taraji P. Henson interpretam mulheres fortes no cinema e na TV

FERNANDA LOPES - Publicado em 08/03/2018, às 06h10

O empoderamento feminino registrado nos últimos anos tem tido forte impacto em Hollywood. Cada vez mais as mulheres aparecem à frente de suas histórias no cinema e na TV, sem dar espaço a clichês e estereótipos machistas. Premiadas no Emmy e no Globo de Ouro, produções dirigidas e protagonizadas por mulheres mostram que elas têm potencial para abalar estruturas e fazerem o que quiserem, seja como super-heroínas, nerds ou donas de casa.

O filme Mulher-Maravilha (2017), por exemplo, causou furor ao exibir a protagonista em intensas cenas de ação contra inimigos. O longa teve a maior bilheteria da história para um filme de origem de super-herói (US$ 821,9 milhões, cerca de R$ 2,6 bilhões) e é a produção mais lucrativa dirigida por uma mulher, Patty Jenkins.

Na TV, Big Little Lies teve destaque absoluto entre as minisséries do ano passado. Produzida e protagonizada por Reese Witherspoon e Nicole Kidman, expôs a violência doméstica e rendeu 14 prêmios à HBO no Emmy, no Globo de Ouro e no SAG Awards.

No Dia Internacional da Mulher, que marca a luta por mais respeito e oportunidades, o Notícias da TV destaca sete produções de cinema e TV com mulheres fortes e inspiradoras. Todas estão disponíveis no Now, plataforma de vídeo sob demanda para clientes da Net e da Claro TV. Confira:

divulgação/fox

Janelle Monáe, Taraji P. Henson e Octavia Spencer, protagonistas de Estrelas Além do Tempo

Estrelas Além do Tempo (2017)
Vencedor do SAG Awards (prêmio do sindicato norte-americano de atores) na categoria melhor elenco e indicado a três Oscars, Estrelas Além do Tempo conta a trajetória real de mulheres negras que trabalhavam na Nasa nos anos 1960 e foram fundamentais para o desenvolvimento tecnológico e espacial nos Estados Unidos.

Físicas e matemáticas, elas faziam os cálculos de voos espaciais antes da existência dos computadores. Katherine Johnson, interpretada por Taraji P. Henson, foi uma das principais profissionais do projeto Apollo 11, que levou um homem à Lua pela primeira vez.

O filme mostra como ela, a supervisora Dorothy Vaughan (Octavia Spencer) e a engenheira Mary Jackson  (Janelle Monáe) superaram o machismo e a segregação racial dos escritórios da Nasa. Está disponível no Now, para assinantes do pacote Telecine, sem custo adicional.

divulgação/showtime

A atriz Claire Danes interpreta a agente da CIA Carrie Mathinson na premiada série Homeland

Homeland
Em Homeland, o combate ao terrorismo nos Estados Unidos está centralizado nas mãos de uma mulher, a agente da CIA Carrie Mathinson (Claire Danes). A inteligência, o controle e a perspicácia da protagonista são qualidades colocadas à prova o tempo todo na série de espionagem, que está atualmente em sua sétima temporada. A atriz Claire Danes já ganhou dez prêmios pelo papel, e Homeland recebeu o troféu de melhor série de drama no Emmy em 2013.

divulgação/pandora filmes

Regina Casé e Camila Márdila em cena de Que Horas Ela Volta?, filme de Anna Muylaert

Que Horas Ela Volta? (2015)
Considerado um dos cem melhores filmes brasileiros pela Abraccine (Associação Brasileira de Críticos de Cinema), Que Horas Ela Volta? mostra uma realidade brasileira constantemente apagada: a da empregada doméstica.

Val (Regina Casé) trabalha em um casarão de uma família rica em São Paulo e, por conta do emprego, não pôde ver a filha crescer em Pernambuco. Quando a jovem vai à capital paulista para estudar, cria diversos transtornos para a mãe e os donos da casa, por ter valores diferentes e não aceitar a subserviência.

A crítica social gerou debates sobre a desigualdade e a hipocrisia no Brasil. O longa, dirigido por Anna Muylaert, tem todo o foco nas mulheres e em suas vidas profissionais e familiares, sob perspectiva até então inédita no cinema nacional. O longa está disponível para locação no Now por R$ 6,90.

divulgação/hbo

Shailene Woodley, Reese Witherspoon e Nicole Kidman formaram parceria na série da HBO

Big Little Lies
Baseada no livro de Liane Moriarty, Big Little Lies chegou às mãos de Reese Witherspoon em 2014. Ela e Nicole Kidman gostaram da oportunidade de contar uma boa história sobre mulheres e trabalharam como produtoras-executivas da minissérie. Reese assumiu, já há alguns anos, as rédeas de sua carreira e abriu a própria produtora, cujo principal objetivo é desenvolver conteúdo que tenha protagonistas femininas relevantes.

Em Big Little Lies, ela vive Madeline Mackenzie, uma rica dona de casa que é a líder de seu grupo de amigas e tenta ajudá-las em suas questões familiares, além de lidar com os problemas da própria casa. Chama a atenção o drama de Celeste (Nicole), que apanha do marido e tenta se desvencilhar do relacionamento.

Big Little Lies foi a queridinha da última temporada de premiações. Ganhou dois SAGs, oito Emmys e quatro Globos de Ouro, em categorias como melhor minissérie, atriz (para Nicole Kidman), ator coadjuvante (Alexander Skarsgård) e atriz coadjuvante (Laura Dern). 

divulgação/warner bros.

A atriz Gal Gadot em cena de Mulher-Maravilha, que bateu recorde de bilheteria em 2017

Mulher-Maravilha (2017)
O filme de super-herói mais comentado de 2017 foi protagonizado por uma mulher. Diana (Gal Gadot) vivia em uma ilha com outras dezenas de amazonas e treinava para enfrentar um inimigo do Olimpo, mas conheceu um soldado e tomou a frente em campos de batalha para acabar com a Primeira Guerra Mundial (1914-1918). A heroína deixa centenas de homens e até deuses gregos para trás com seus poderes.

Sucesso em bilheterias, Mulher-Maravilha também foi bem avaliado pela crítica _tem 76% de resenhas favoráveis de acordo com o site Metacritic, que compila as análises dos principais veículos de entretenimento dos Estados Unidos. Uma sequência já está em produção, com previsão de estreia para novembro de 2019. O longa está disponível para locação no Now com 50% de desconto, por R$ 7,45.

divulgação/fox

Marilyn Barnett (Andrea Risenborough) e Billie Jean King (Emma Stone) viraram namoradas

A Guerra dos Sexos (2017)
O filme conta a história real da batalha entre dois atletas de tênis, uma mulher feminista e gay e um homem aposentado e machista. Cansada de ganhar muito menos do que os homens tenistas nos Estados Unidos, Billie Jean King (Emma Stone) organizou seu próprio torneio nos anos 1970 e chamou a atenção da mídia e de Robert Riggs (Steve Carrell), ex-atleta do esporte e viciado em apostas.

Os dois protagonizaram a batalha dos sexos, uma partida para definir quem é o melhor do tênis, um homem ou uma mulher. Com muitas discussões sobre feminismo e os direitos das mulheres, o filme levanta bandeiras ao mesmo tempo em que gera humor com um vilão paspalho e drama com a descoberta da homossexualidade: Billie Jean tem um romance com sua cabeleireira durante a concentração para os jogos. A Guerra dos Sexos está disponível para locação no Now por R$ 14,90.

divulgação/hbo

Sansa (Sophie Turner) mandou matar um inimigo na sétima temporada de Game of Thrones

Game of Thrones
Mulheres cheias de personalidade e poder não faltam em Game of Thrones. Cersei (Lena Headey), Sansa (Sophie Turner) e Daenerys (Emilia Clarke) são as grandes chefonas da série atualmente _os homens têm sido seus meros servos, parceiros sexuais ou conselheiros.

Principal atração da HBO, Game of Thrones é um fenômeno na cultura pop e já levantou muitos debates sobre temas relevantes da sociedade, como estupro e objetificação do corpo da mulher. A série retorna para sua oitava e última temporada apenas em 2019.

Notícias da TV Recomenda

Estrelas Além do Tempo

Estrelas Além do Tempo

Ficha técnica: Hidden Figures. Drama. EUA, 2017, 127 min. Direção: Theodore Melfi. Elenco: Taraji P. Henson, Octavia Spencer, Janelle Monáe. Disponível no Now.

Por que assistir: Indicado ao Oscar nas categorias de melhor filme, roteiro adaptado e atriz coadjuvante (Octavia), foi muito elogiado por contar fatos esquecidos da história norte-americana. As cenas em que as mulheres lutam para serem reconhecidas e se esforçam para entregar seus trabalhos são chocantes e fiéis à realidade da década de 1960. O filme também dá bom panorama sobre a corrida espacial norte-americana e o desenvolvimento tecnológico.

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

Enquete

O que você espera de O Sétimo Guardião?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook