Grupo acabou

Li Martins relembra vaias e diz que Rouge não tem chance de voltar: 'Já deu'

Reprodução

A cantora Li Martins durante participação no programa RF com Você, da Rede Família, no dia 1º

A cantora Li Martins durante participação no programa RF com Você, da Rede Família, no dia 1º

REDAÇÃO - Publicado em 02/11/2019, às 11h56

A cantora Li Martins, famosa como uma das integrantes do Rouge, contou um pouco de sua história no grupo durante participação no programa RF com Você, da Rede Família ontem (1º). Ela lembrou que, assim como aconteceu com Ludmilla nesta semana, também já foi vaiada no Prêmio Multishow. As cantoras do Rouge chegaram a se reunir e fazer shows nos últimos anos, mas Li diz que não há chance de um retorno definitivo.

"O Rouge não voltou, a gente acabou lá atrás. [A turnê mais recente] Foi só uma comemoração de 15 anos. Essa comemoração foi um barulho muito grande, gravadora quis renovar contrato, vários empresários quiseram contratar shows, e a gente cogitou realmente voltar. Mas, quando a gente resolveu não voltar, que era o que estava previsto, isso causou uma frustração muito grande nas pessoas", disse.

"Mas realmente acho que já deu. A gente percebeu que o Rouge foi lá atras, o mercado mudou, o Rouge não se encaixa mais no mercado fonográfico de hoje. Não funciona mais. Ou a gente teria que mudar e se adaptar ao mercado ou a gente parava mesmo. E foi essa a decisão", explicou.

O Rouge surgiu a partir de um reality show de 2002 do SBT, chamado Popstars, em que especialistas do mercado fonográfico selecionaram cinco jovens cantoras para formar o grupo. 

Li lembrou que essa formação "artificial" fazia com que muitas pessoas não levassem as integrantes a sério. Ela afirmou que ouviu comentários preconceituosos de jornalistas e que o Rouge foi vaiado numa edição do Prêmio Multishow. 

 "Em muitos programas de televisão, a gente passava pelos corredores das emissoras e ouvia as pessoas rirem, jornalistas que chamavam a gente de ratos de laboratório, falavam que a gente não cantava. Quando nós estivemos no palco do Prêmio Multishow, foi uma vitória para a gente, porque era uma luta estar ali. Mas nós fomos vaiadas. Porque só tinha artistas do rock, de MPB, era outro contexto", lembra.

Ela também demonstrou certo ressentimento com fãs que só lhe reconhecem pelo Rouge e acham que Li ficou "sumida" desde o fim do grupo, em 2006. "As pessoas ainda me param na rua e perguntam: 'Por que você parou de cantar?", disse, virando os olhos, irritada.

Nos últimos anos, ela tem atuado em peças de teatro musical, como A Bela e a Fera e O Fantasma da Ópera. Neste ano, também ganhou o posto de jurada no quadro Shadow Brasil, do Programa Raul Gil. Atualmente, Li está em turnê com a peça Uma Saudação a Celine Dion.

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

Enquete

Quem é o personagem mais trouxa da TV?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook