Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

DESPLUGADA

Em má fase na Record, Xuxa fracassa também no YouTube

Reprodução/YouTube

A apresentadora Xuxa Meneghel em vídeo de seu canal no YouTube: a loira não emplacou - Reprodução/YouTube

A apresentadora Xuxa Meneghel em vídeo de seu canal no YouTube: a loira não emplacou

LUCIANO GUARALDO

Publicado em 18/1/2017 - 14h08

Xuxa Meneghel atravessa uma fase difícil na carreira: sem conseguir levantar a audiência de seu programa na Record, ela também encontra dificuldades para emplacar no YouTube. Há quatro meses na plataforma de vídeos, seu Canal X tem apenas 90 mil seguidores e faz menos sucesso do que Giovanna Ewbank. O brasileiro mais popular do site, Whindersson Nunes, já passa dos 16 milhões.

Os 25 vídeos publicados por Xuxa somam até agora 3,7 milhões de visualizações. O mais assistido, aliás, não foi produzido especificamente para o canal: com 1,6 milhão de views, o líder é o vídeo em que a "rainha dos baixinhos", após problemas com o jatinho que a levaria ao Piauí em dezembro, avisa aos fãs que passa bem.

O valor pago a criadores de conteúdo no YouTube varia de acordo com o engajamento do público. Mas, se for considerada a quantia média e amplamente divulgada de US$ 1 a cada mil visualizações, Xuxa recebeu apenas US$ 3.700 (quase R$ 12 mil) nesses quatro meses _algo irrisório diante das cifras milionárias com que ela está acostumada.

A loira leva a pior se comparada a outros famosos que também se aventuram na internet _e que têm trajetórias televisivas muito menos relevantes que a dela. Caso de Giovanna Ewbank, cujo vídeo publicado na terça-feira (17), no qual entrevista o marido Bruno Gagliasso, teve 900 mil visualizações em pouco mais de um dia e chegou a figurar entre os destaques do site.

Outros cases de sucesso no YouTube são a jovem Maisa Silva, que soma 2,3 milhões de seguidores e 118 milhões de visualizações, e o apresentador Celso Portiolli, com 2,2 milhões de seguidores e 43 milhões de views.

Sucesso para os outros
Se o Canal X deixa a desejar, Xuxa tem obtido bons números para terceiros. Em maio do ano passado, participou de um esquete do Porta dos Fundos em que visitou a casa de uma suposta fã (Thati Lopes), que não fazia ideia de quem a loira era. Deu certo: a cena ultrapassou 11,5 milhões de visualizações e rendeu uma continuação, na qual Xuxa foi "assassinada".

Outro sucesso virtual com a apresentadora foi a campanha de divulgação de Stranger Things, da Netflix. Lançado em agosto de 2016, o vídeo em que Xuxa volta à década de 1980 para ler cartinhas e acaba se deparando com a emocionante história de Joyce (vivida por Winona Ryder na série) teve 13 milhões de visualizações no Facebook e mais de 1 milhão no YouTube.

Transição difícil
Xuxa, porém, não é a única celebridade da TV que está sofrendo para fazer a transição para a internet: Adriane Galisteu, há um ano no YouTube, tem 135 mil seguidores e poucos vídeos seus ultrapassaram as 50 mil visualizações. Já a musa das redes sociais Sophia Abrahão, que faz sucesso no Instagram, tem clipes que não chegam a 5.000 views.

Uma das pioneiras entre os famosos no YouTube, Antonia Fontenelle e seu canal Na Lata também têm dificuldade para atingir 50 mil visualizações por publicação. Dos 54 vídeos já postados por Cleo Pires, apenas três passaram dessa marca. Para o galã Caio Castro, a situação é pior: só um vídeo chegou a esse número _seu melhor vídeo é menos visto que o pior de Celso Portiolli.


► Curta o Notícias da TV no Facebook e fique por dentro de tudo na televisão

► Siga o Notícias da TV no Twitter: @danielkastro

Leia também

Enquete

Você gostou de Tadeu Schmidt no comando do BBB22?

Web Stories

+
Final de Malhação na Globo tem sequestro, incêndio e final feliz; saiba tudoPor que Ludmilla e Anitta brigaram? Entenda a treta que respingou no BBB 22BBB22: Cinco vezes em que Naiara Azevedo atraiu o ranço do público na primeira semanaFaustão na Band abala concorrentes com ibope histórico e equipe provoca RecordAntes da estreia, BBB22 já rendeu treta entre famosos, tentativa de redenção e mais

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas