LUIZ GAMA

Band demite radialista por comentário homofóbico contra âncora da Globo

REPRODUÇÃO/GOIÁS 24H

Jornalista Luiz Gama sentado em um escritório em foto divulgada pelo site Goiás 24H, em junho de 2018

Luiz Gama, locutor da BandNews FM em Goiás, que foi demitido após publicar comentário ofensivo na internet

KELLY MIYASHIRO - Publicado em 18/11/2019, às 14h19

A BandNews FM Goiânia demitiu o radialista Luiz Gama após o jornalista publicar comentários homofóbicos contra o âncora da Globo Matheus Ribeiro. "A rádio combate com convicção quaisquer manifestações de preconceito, intolerância ou discriminação", disse a empresa em nota divulgada na manhã desta segunda-feira (18).

No comunicado, a Band reforçou que não faz juízo de valor sobre posicionamentos pessoais de seus funcionários, ainda mais quando feitos fora do ambiente de trabalho, mas que não iria compactuar com a atitude de Luiz Gama. Na semana passada, o radialista escreveu em seu Twitter que um jornalista da Globo estava "fazendo fama por queimar a rosca".

"O conjunto de ideias e posicionamentos de seu grupo de jornalistas, âncoras e comentaristas, fazem da Band News FM uma forte aliada na defesa de valores importantes para uma sociedade saudável, equilibrada e justa", justificou a rádio. 

Na sequência, a publicação diz que a BandNews FM Goiânia conversou com a equipe Feras do Esporte, da qual Luiz Gama fazia parte, antes de tomar sua decisão. "Em comum acordo, iniciamos renovação de quadro funcional no sentido de afastar o funcionário Luiz Gama, que adotou caminho contrário a esta postura", informou. 

Confira a nota da BandNews FM na íntegra: 

 
 
 
View this post on Instagram

NOTA - Não cabe à BandNews FM Goiânia fazer juízo ou patrulhamento sobre posições pessoais de seus funcionários quando adotadas fora do ambiente da programação ou da produção jornalística. ⠀ . Por outro lado, o conjunto de ideias e posicionamentos de seu grupo de jornalistas, âncoras e comentaristas, fazem da Band News FM uma forte aliada na defesa de valores importantes para uma sociedade saudável, equilibrada e justa. Com tal postura, a Band News FM Goiânia combate com convicção quaisquer manifestações de preconceito, intolerância ou discriminação. ⠀ . Desta forma, mesmo se tratando de iniciativa exterior, individual, dissociada do posicionamento da emissora e dos ideais que ela defende, informamos que não se manterá como parte da equipe qualquer funcionário que tenha comportamento adverso a estes valores. ⠀ . Em comum acordo com a equipe Feras do Esporte, iniciamos renovação de quadro funcional no sentido de afastar o funcionário (Luiz Gama) que adotou caminho contrário a esta postura. ⠀ . Siga: @bandnewsfmgoiania ⠀ . #bandnewsfmgoiania #bandnewsfm #naohomofobia #naoracismo @uoloficial @hugogloss @uoltvefamosos @matheusribeirotv @folhadespaulo @catracalivre @metropolesdf @jornalopopular

A post shared by BandNews FM Goiânia (@bandnewsfmgoiania) on


Entenda o caso 

Em 13 de novembro, Luiz Gama escreveu em seu Twitter que o presidente Jair Bolsonaro estava certo em acabar com o DRT (Documento de Registro Técnico, usado como registro profissional), e por querer o fim da exigência de diploma para jornalistas, antes de tecer falas preconceituosas. 

"Afinal, tem uma [jornalista] fraquíssima em rede nacional só por causa da cor de pele e outro comunzão [comunista] fazendo fama só porque avisou que queima a rosca", escreveu o radialista, sem citar nomes. 

Em seguida, Luiz Gama também disse que virou moda "queimar a rosca", um termo considerado ofensivo para definir a prática de sexo por homossexuais. "Putz! Onde o Brasil vai parar? Um apresentador de telejornal de qualidade média virou a bola da vez no jornalismo nacional só porque revelou que sua rosquinha está à disposição. A qualidade profissional que se f…", disparou o funcionário da Band.

Apesar de não ter citados nomes, o Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado de Goiás emitiu uma nota de repúdio, e o presidente do SindJor Goiás, Cláudio Curado, disse que fica evidente quem seriam os alvos de Luiz Gama.

"Ele faz referência a uma jornalista negra promovida nacionalmente. E não há outra no Jornalismo senão a apresentadora da TV Globo", explicou o representante à reportagem, fazendo alusão que Maju Coutinho, primeira apresentadora negra do Jornal Hoje, seria o alvo.

"Na outra referência, ele citou um termo negativo sobre a sexualidade de uma pessoa. E o único que apresentou um telejornal nacional que se assumiu como homossexual foi um apresentador local goiano", completou o presidente do sindicato. Nas últimas semanas, Matheus Ribeiro, apresentador da afiliada da Globo em Goiás, virou notícia após ser o primeiro âncora gay a assumir a bancada do Jornal Nacional

No sábado (16), a advogada de Matheus Ribeiro, Maria Thereza Alencastro Veiga, disse ao Notícias da TV que já abriu uma queixa contra Luiz Gama por racismo (que inclui o crime de homofobia). 

"Também vou abrir um processo por danos morais e pedir uma indenização. Não é sobre o dinheiro. O Matheus é uma pessoa formidável, que tem uma grande projeção, e precisa denunciar esse tipo de crime", disse a representante.

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

Enquete

Você está gostando de Amor de Mãe?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook