Preconceito

Ator de Empire diz que foi agredido por ser gay e negro: 'Me xingaram de tudo'

Reprodução/Fox

Jussie Smollett, o Jamal da série Empire, foi agredido por supostos partidários de Donald Trump - Reprodução/Fox

Jussie Smollett, o Jamal da série Empire, foi agredido por supostos partidários de Donald Trump

REDAÇÃO - Publicado em 14/02/2019, às 12h51

O ator Jussie Smollett, astro da série Empire, agredido fisicamente em 29 de janeiro na cidade de Chicago, disse que a violência ocorreu por ele ser gay, negro e fazer forte oposição ao presidente norte-americano Donald Trump em suas redes sociais. Ele deu sua primeira entrevista na manhã desta quinta (14), ao programa Good Morning America, da rede ABC.

Smollett contou que os agressores o xingaram de "faggot" e "nigger", dois adjetivos considerados extremamentes homofóbicos e racistas, enquanto o chutavam. Segundo o ator, eles foram embora bradando apoio ao presidente.

Rumores nas redes sociais no dia do incidente diziam que os criminosos estavam vestindo bonés de apoio a Trump, com a frase "Make America Great Again" (Faça os Estados Unidos Melhores Novamente, em tradução livre), mas o ator negou essa informação. "Eu não precisaria aumentar a história, eles me xingaram de tudo, então não preciso de um boné para ter certeza de que eram racistas", comentou. 

Na série Empire, Jussie Smollett interpreta um dos personagens mais importantes do drama, Jamal Lyon, herdeiro da gravadora Empire. A história do personagem é contada desde a infância, com flashbacks que mostram como ele era maltratado pelo pai, Lucious (Terrence Howard), por ser gay. Um dos momentos mais importantes da trama é quando o personagem assume sua homossexualidade. 

Empire, que está em sua quinta temporada, é um dos maiores sucessos recentes na televisão aberta norte-americana. No Brasil, é transmitida pela Globo e também está disponível em streaming no Globoplay e Fox Premium.

"Se eu tivesse dito que tinha sido atacado por algum mexicano, muçulmano ou outro negro, acredito que teria recebido muito mais apoio", lamentou Smollett ao rebater as críticas que surgiram nas redes sociais dizendo que ele teria inventado o incidente ou que a motivação não teria sido preconceituosa.

A demora de Smollett para comunicar o crime à polícia e sua relutância em entregar o celular para a perícia também foram fatos utilizados para desmerecer a agressão. O ator disse que fez isso ao ser tomado pelo orgulho, porque preza por passar a imagem de que não é uma pessoa fraca. "Nós vivemos em uma sociedade em que um homem gay é considerado fraco e eu não sou. Não somos."

Ainda não há vídeos do momento da agressão, mas Jussie Smollett espera que algum registro apareça para mostrar a jovens da comunidade LGBT que ele revidou as agressões e não ficou parado. "Quero que uma criança gay veja que eu revidei. Eles que fugiram, eu não", completou.

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

Enquete

Qual é seu programa favorito gravado na quarentena?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook