Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
X
Instagram
Youtube
TikTok

REVOLTA

Fora do BBB 24, Leidy Elin detona fanatismo por Davi Brito: 'Levam tudo ao extremo'

REPRODUÇÃO/INSTAGRAM e TV GLOBO

Montagem de Leidy Elin no Instagram e Davi Brito no BBB 24

Leidy Elin e Davi Brito; ex-sister se revoltou com fanatismo e alfinetou torcida de brother

REDAÇÃO

redacao@noticiasdatv.com

Publicado em 4/4/2024 - 9h35

Eliminada do BBB 24 com rejeição, Leidy Elin foi bombardeada com informações do mundo exterior assim que saiu do confinamento --e não gostou de saber sobre o fanatismo por Davi Brito. A ex-sister descobriu que teve sua conta de Instagram derrubada por admiradores do motorista de aplicativo e se revoltou. "É um absurdo", declarou.

Quando jogou as roupas do baiano na piscina em um ato de raiva dentro do Big Brother Brasil, Leidy despertou a ira dos fãs de Davi nas redes sociais. Além de ser atacada e xingada, a trancista teve sua conta do Instagram derrubada durante 53 horas após denúncias em massa.

"Uma loucura. O pau quebra lá dentro, e depois todo mundo conversa, brinca... As pessoas aqui fora levam tudo ao extremo. O próprio Davi vai se assustar quando sair. Esse fanatismo é um absurdo", comentou, em entrevista ao jornal Extra.

Ela, no entanto, reconheceu que errou ao ter tomado a atitude extrema de atirar as peças de roupa do brother na água, mas não voltaria atrás nas discussões e brigas.

"Passei do limite. Não convivo tanto nem com minha mãe. Estava 24 horas com pessoas que não conhecia. Me exaltei, pesei a mão em jogar as roupas do Davi na piscina", admitiu.

"Mas das discussões com ele eu não me arrependo. A gente não se dava. O programa é o tempo todo um julgando o outro. As pessoas aqui falam: 'Leidy, como é que tira mancha de cloro da roupa?' (risos). Tô levando tudo com leveza", afirmou.

Desabafo sobre racismo

Recentemente, Leidy abordou os ataques racistas que sofreu nas redes sociais enquanto ainda estava confinada no Big Brother Brasil. A sister afirmou que, apesar de já esperar, não estava preparada.

"Esperava porque entendo que o Brasil ainda é um país muito racista. Mas não me preparei psicologicamente e judicialmente para isso. Só agora estou tendo todo o acompanhamento necessário", destacou em entrevista à revista Quem.

Mesmo que ela tenha saído com rejeição do programa, ela sentiu o carinho da torcida. "Estou tendo uma recepção muito calorosa. As pessoas não param de tirar foto. Hater existe? Existe, mas pessoalmente é tudo totalmente diferente", complementou.


Mais lidas


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.