WHEN WE RISE

Minissérie de diretor premiado em Cannes conta a história da luta por direitos gays

Fotos: Divulgação/ABC

Emily Skeggs e Austin P. McKenzie em When We Rise, que estreia nesta quarta (12) no Sony - Fotos: Divulgação/ABC

Emily Skeggs e Austin P. McKenzie em When We Rise, que estreia nesta quarta (12) no Sony

LUCIANO GUARALDO - Publicado em 12/07/2017, às 05h57

Criada por Dustin Lance Black (ganhador do Oscar de melhor roteiro por Milk: A Voz da Igualdade) e dirigida por Gus Van Sant (vencedor da Palma de Ouro em Cannes por Elefante), a minissérie When We Rise chega nesta quarta-feira (12) à TV brasileira.

Com um elenco inspirado, que mistura atores premiados e novatos promissores, os oito episódios da produção contam a história da luta por direitos gays nos Estados Unidos sem maniqueísmo, apresentando defeitos e qualidades tanto nos ativistas quando nos contrários. A trama retrata mais de quatro décadas, de 1972 a 2013, mas não apela para o didatismo ao representar cada etapa dos movimentos sociais.

Exibida entre fevereiro e março nos Estados Unidos, a minissérie estreia por aqui com uma minimaratona: o Canal Sony vai mostrar três episódios a partir das 20h. A exibição no Brasil, embora tardia, tem bom timing, já que acontece na noite anterior ao anúncio dos indicados ao Emmy. Elogiada pela crítica, a produção deve entrar na disputa com concorrentes de peso, como Feud, Big Little Lies, The Night Of e as terceiras temporadas de American Crime e Fargo.

A trama de When We Rise foca em três personagens, inspirados em pessoas reais: o sonhador Cleve Jones (Austin P. McKenzie/Guy Pearce), que se muda do Arizona para San Francisco em busca de representatividade na cidade, um reduto gay; a ativista lésbica Roma Guy (Emily Skeggs/Mary-Louise Parker); e o marinheiro negro Ken Jones (Jonathan Majors/Michael Kenneth Williams), que luta contra o racismo e a homofobia nas Forças Armadas.

A minissérie não hesita em representar, de forma brutal, como os gays eram tratados no passado: cenas de arquivo da década de 1970 mostram policiais agredindo mulheres durante uma passeata LGBT e políticos dizendo que os homossexuais vão para o inferno. Em imagens mais recentes, há até uma declaração do então presidente George W. Bush aprovando uma proposta de lei que afirmava que o termo "casamento" só se aplicaria à união entre um homem e uma mulher.

Os três protagonistas enfrentam a realidade violenta abertamente: Cleve é confrontado pelo pai, que deseja curá-lo de sua homossexualidade por meio de terapia de choque, e também sofre ao chegar a San Francisco e perceber que seu "paraíso dos direitos gays" se transformou em uma cidade destruída pelas drogas.

Rachel Griffiths, Mary-Louise Parker, Guy Pearce e Michael Williams: quatro décadas de luta

Já Roma Guy precisa superar a desconfiança das próprias lésbicas, que não querem se aliar aos gays (a quem resumem como drags e garotos de programa). E Ken precisa ocultar sua orientação sexual dos colegas militares ao mesmo tempo em que, extremamente religioso, tenta se aceitar.

Além de temas como cura gay e o "don't ask, don't tell" (política militar norte-americana em que gays seriam aceitos nas Forças Armadas desde que não declarassem sua orientação abertamente), os oito episódios também lidam com a evolução da Aids a partir da década de 1980, a transexualidade e a luta para que casais homoafetivos pudessem oficializar seu casamento.

When We Rise acerta por não fazer propaganda social sobre a homossexualidade nem transformar seus protagonistas em heróis de forma gratuita. Mostra personagens reais, que apresentam falhas de caráter, mas também têm disposição e força para seguir na luta mesmo quando tudo parece dar errado.

Atrás das câmeras, Dustin Lance Black e Gus Van Sant (duas vezes indicado ao Oscar) lideram um elenco que inclui vencedores do Oscar, do Emmy e do Globo de Ouro, como Whoopi Goldberg e Rachel Griffiths.

Nomes conhecidos dos fãs de séries, como Carrie Preston (de True Blood), David Hyde Pierce (de Frasier), T.R. Knight (de Grey's Anatomy) e Kevin McHale (de Glee) aparecem em papéis menores, mas com interpretações brilhantes.

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Para utilizá-lo, você deve estar logado no Facebook. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

 

Notícias da TV Recomenda

Planeta dos Macacos: A Guerra

Planeta dos Macacos: A Guerra

Ficha técnica: War for the Planet of the Apes. EUA/Canadá/Nova Zelândia, 2017, 140 min. Direção: Matt Reeves. Elenco: Andy Serkis, Woody Harrelson, Steve Zahn, Karin Konoval, Toby Kebbell. Disponível no Now.

Sinopse: Os macacos liderados por Caesar (Serkis) enfrentam os humanos do sanguinário Coronel (Harrelson) em uma batalha mortal. Depois de sofrer várias perdas, Caesar precisa lutar contra seus instintos mais sombrios para vingar sua espécie. Tem início uma nova guerra que vai redefinir o futuro do planeta.

Por que assistir: Indicado ao Oscar de efeitos visuais, o longa rendeu protestos contra a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, que optou por não indicar Serkis como melhor ator, já que a performance dele se deu por meio da captura de movimentos. Um dos mais badalados atores nesse segmento, Serkis dá show como Caesar, passando emoção na voz e nas expressões faciais do macaco com personalidade humana e muitos conflitos.

Assista agora no NOW

+ Lidas

Bloco de Notas

Mulheres em foco

Claudia Winkleman (à esq.) e Tess Daly, apresentadoras da BBC: salário menor - Reprodução/BBC A BBC, principal rede de TV do Reino Unido, anunciou um novo plano de carreira que melhorará a vida das funcionárias da empresa. Diretora da versão escocesa da emissora, Donalda MacKinnon será a responsável pelo ... Leia +

Leia todas as notas

Enquete

Com quem Maria Vitória deve ficar em Tempo de Amar?

Redes sociais

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook