FÉ E ALIMENTAÇÃO

Rezende desiste de quimioterapia e se entrega a tratamento alternativo

Reprodução/RecordTV

O jornalista Marcelo Rezende revela que tem câncer em entrevista no Domingo Espetacular - Reprodução/RecordTV

O jornalista Marcelo Rezende revela que tem câncer em entrevista no Domingo Espetacular

DANIEL CASTRO e LUCIANO GUARALDO - Publicado em 13/06/2017, às 06h13 - Atualizado às 13h10

O apresentador Marcelo Rezende, 65 anos, desistiu de fazer quimioterapia, considerado o tratamento mais eficiente no combate ao câncer. Segundo uma pessoa muito próxima ao jornalista, que pediu anonimato, Rezende está animado com um tratamento alternativo, baseado na alimentação.

Difundida no Brasil pelo cardiologista, nutrólogo e autor de livros de autoajuda Lair Ribeiro, a dieta que Rezende está seguindo é rica em proteínas e gorduras. Sem carboidratos, visa "matar as células de fome", reduzindo o fornecimento de glicose.

De acordo com os princípios da dieta cetogênica propagada por Ribeiro, as células cancerígenas só gostam de açúcares e não se alimentam de outra coisa. Cortar o consumo de glicose, portanto, faria os tumores regredirem.

Rezende enfrenta um câncer no pâncreas e no fígado. O anúncio foi feito em uma entrevista ao Domingo Espetacular, da Record, em 14 de maio, uma semana após ele se afastar do comando do Cidade Alerta. "Eu não tenho medo da morte. Tem gente que tem, mas eu não. Porque o homem que tem fé não tem medo, ele sabe que vai vencer", disse ele na entrevista.

O jornalista parou de fazer quimioterapia logo após revelar a doença publicamente. Como o tratamento tem muitos efeitos colaterais, é normal que seja realizado em ciclos, com até três semanas de descanso após sete dias de químio. Rezende completou o primeiro ciclo, mas não voltou após o descanso. A amigos, diz que não voltará a fazer químio, que prefere se arriscar num tratamento alternativo.

Nos últimos 30 dias, o apresentador do Cidade Alerta foi algumas vezes à região de Juiz de Fora, em Minas Gerais. A última viagem foi ontem (11). Na estrada, ele postou um vídeo em uma rede social dizendo que vai iniciar a terceira etapa de seu tratamento.

"Estou indo para o que eu chamo de 'Farmácia de Deus', um local onde estou sendo acolhido, cuidado e, mais do que isso, caminhando no sentido da cura", disse, visivelmente abatido e aparentemente mais magro.

"Não adianta você curar o físico sem ter à frente o espiritual. E eu cuido muito do lado espiritual, porque quem está fazendo essa travessia da cura é Deus, é Ele quem me conduz", afirmou o apresentador.

Antes, em 23 de maio, Rezende já havia publicado outro vídeo na estrada, ao lado do apresentador Geraldo Luís, seu amigo pessoal, e da filha Patrícia Andriessen, que mora na Holanda mas veio para o Brasil para ficar com o pai.

Na mensagem, ele anunciava que ia começar a busca pela cura espiritual: "Nós vamos ficar a semana inteira em oração, pedindo a Deus que nos abençoe. Eu agradeço o tanto que vocês estão orando por mim, é isso que me deixa forte para seguir em frente".

Uma semana antes, o apresentador fez um retiro espiritual, no qual ficou sete dias "apenas em oração, leituras de textos sagrados e reflexões sobre a vida". "Só não fiz jejum porque as drogas que me aplicam mais parecem que vão me matar do que me salvar", desabafou, em outra gravação.

Há cinco dias, Geraldo Luis postou uma foto na internet do livro Anticâncer - Prevenir e Vencer Usando Nossas Defesas Naturais, do médico francês David Servan-Schreiber (1961-2011).

Na obra, o autor conta a própria história: diagnosticado com câncer no cérebro, seguiu o tratamento com químio e radioterapia, que fizeram o tumor regredir. Porém, com a reincidência da doença, buscou tratamentos alternativos, com mudanças alimentares e de hábitos de saúde.

O livro de Servan-Schreiber segue muitos dos preceitos de Lair Ribeiro adotados por Marcelo Rezende nessa nova fase, inclusive a sugestão de cortar açúcar e carboidratos da dieta e iniciar o hábito de meditação.

O francês, no entanto, pregava que os tratamentos alternativos não poderiam substituir a medicina tradicional, mas complementá-la. Ou seja, Rezende deveria continuar o tratamento quimioterápico e aliá-lo à nova alimentação e às preces.

Taxa de mortalidade é alta
Mesmo se seguisse com a quimioterapia, Marcelo Rezende teria uma batalha difícil pela frente. O câncer no pâncreas é considerado um dos tipos mais agressivos. "É difícil diagnosticar a doença nos estágios iniciais e a probabilidade de metástase é grande", explica o médico Lucas dos Santos, oncologista do BP Mirante.

Santos diz ainda que a sobrevivência de pacientes com câncer no pâncreas é pequena. "Mesmo com diagnóstico precoce, no estágio 1, a taxa é de mais de 80% de mortalidade em até cinco anos", revela.

Como o caso de Rezende já inclui metástase para o fígado, o apresentador está no estágio 4, o mais avançado. Assim, a taxa de sobrevivência cairia para menos de 5%. "Isso não significa que ele está desenganado. Temos pacientes com a doença controlada a longo prazo, embora não falemos em uma cura. Mas o jogo não termina enquanto não chega o apito final", compara.

Santos não critica o uso de tratamentos alternativos, como meditação e dieta cetogênica, mas ressalta que eles devem ser feitos juntamente com a quimioterapia. "Não existem provas contundentes de que esses métodos tenham resultado no tratamento do câncer no pâncreas. Mas, como também não faz mal nenhum ao paciente, você não proíbe. Apenas não recomenda com o mesmo afinco com que indica a quimioterapia", explica.

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Para utilizá-lo, você deve estar logado no Facebook. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

 

+ Lidas

Bloco de Notas

Pedofilia em debate

Finn Wolfhard em cena de Stranger Things: ex-agente dele é acusado de assédio - Divulgação/Netflix O ator Finn Wolfhard, o Mike da série Stranger Things, demitiu seu agente, Tyler Grasham, depois que o homem foi acusado de pedofilia e assédio sexual a um cineasta quando este ainda adolescente. Grasham tem ... Leia +

Leia todas as notas

Enquete

Bibi merece redenção em A Força do Querer?

Redes sociais

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook