Cacau Oliver

Ex-BBB e panicat inspiram aspirantes à fama, diz mago das subcelebridades

Divulgação/Record TV e Globo

Sabrina Sato, Grazi Massafera e Juju Salimeni: três ícones da TV para as subcelebridades - Divulgação/Record TV e Globo

Sabrina Sato, Grazi Massafera e Juju Salimeni: três ícones da TV para as subcelebridades

FERNANDA LOPES - Publicado em 27/06/2017, às 05h34

Assessor de imprensa conhecido por divulgar subcelebridades que se deram bem na mídia, como Joana Machado e Andressa Urach, Cacau Oliver é constantemente assediado nas redes sociais por jovens que querem ficar famosas. Em outubro, ele será a estrela do reality show Criador de Celebridades, do canal E!, que mostrará a rotina de trabalho em sua agência. No programa, Oliver revelará que as aspirantes à fama que recebe têm três referências básicas.

"Quando a pessoa chega falando que quer contratar minha assessoria, faço uma pergunta: 'Quem você se imagina sendo na televisão?' As campeãs são Sabrina Sato, Juju Salimeni e Grazi Massafera. São os três perfis de pessoas em que elas [aspirantes a celebridades] se imaginam. Aí vou tentando identificar [em que perfil a pessoa se encaixa melhor]", antecipa ao Notícias da TV.

Nenhuma das três beldades da TV ganhou fama ao se tornar um "factoide" de Oliver. Grazi Massafera e Sabrina Sato ficaram conhecidas após participarem do Big Brother (na quinta e na terceira edição, respectivamente). Já Juju estreou no Pânico na TV! em 2008, como assistente de palco em trajes mínimos.

Todas reinventaram suas carreiras: Grazi se tornou uma atriz bem-sucedida, Sabrina virou apresentadora e Juju é reconhecida como modelo e ícone fitness. Para Oliver, não há problema algum em em mudar de carreira, estilo de vida ou personalidade depois de se tornar uma pessoa pública. O importante é conseguir destaque e atenção da mídia em primeiro lugar.

"Eu acredito que tudo muda, ninguém nasceu famoso. Mas tem que ter um factoide. Com o passar do tempo a pessoa vai se transformando, vai deixando aflorar o que ela tem de melhor", explica.

reprodução/instagram

O assessor de imprensa Cacau Oliver, estrela do reality show Criador de Celebridades, do E!

Mago das subcelebridades
A carreira de Cacau Oliver também se modificou bastante. Natural do Maranhão e formado em jornalismo, ele se mudou para São Paulo para trabalhar como produtor do quadro Banheira do Gugu, do Domingo Legal, nos anos 1990.

"Na faculdade de jornalismo, todo mundo queria ser a Fátima Bernardes ou o William Bonner. Eu sempre quis ser o Nelson Rubens (risos). Sempre que via um artista, ficava pensando: 'Nossa, como essa pessoa conseguiu isso, como ela chegou nesse patamar?'. Nunca vi artista como fã, sempre queria ganhar dinheiro. Acredito que meu diferencial é que eu olho as pessoas como um produto. Não de forma negativa, eu olho o potencial delas", declara.

Em 15 anos de trabalho como assessor e agenciador, ele já "inventou" subcelebridades com títulos bizarros: Andressa Urach começou como "vice-Miss Bumbum", a modelo Jéssica Lopes ficou conhecida como "Peladona de Congonhas", e Ju Isen, antes famosa como "musa das manifestações", ganhou vida nova na mídia ao mostrar o ânus, com o corpo todo pintado de verde, na transmissão de Carnaval da RedeTV! em fevereiro deste ano.

Pela peculiaridade de suas agenciadas, o próprio Oliver chamou a atenção da mídia. Ele participou de programas como o Na Moral (2012-2013), da Globo, e deu entrevista para mais de 40 documentários.

O mago das subcelebridades acredita que não há limite para quem quer ser famosa acima de tudo. Mas jura que, ainda que vire estrela de reality show, prefere atuar nos bastidores.

"Nunca procurei ser famoso, tanto que todos os programas de TV que eu fiz foram para mostrar meu trabalho. O Criador de Celebridades está mostrando meu trabalho. Estou criando famosos, eu não sou um deles. A pessoa acha que ser famosa é chegar ali e tirar o roupão. Não é só isso. Até para isso você tem que ter criatividade. Acho que todas as figuras que marcaram minha história pensaram muito em como fazer [fama], eu só dou uma forcinha", brinca.

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Para utilizá-lo, você deve estar logado no Facebook. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

 

+ Lidas

Bloco de Notas

Crimes na floresta

Ciro Guerra recebe Prêmio Fênix pela direção do filme Abraço da Serpente, de 2015 - Reprodução A Netflix anunciou que fará uma série ambientada na floresta amazônica. Ainda sem nome definido, a produção se passará na fronteira da Colômbia com o Brasil e mostrará um jovem detetive e seu parceiro durante ... Leia +

Leia todas as notas

Enquete

Você pretende assistir Apocalipse, nova novela da Record?

Redes sociais

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook