Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

JORGE IGGOR E MAURO BETING

Narrador e comentarista se revoltam após mais um caso de racismo no futebol

REPRODUÇÃO/FACEBOOK WATCH

Montagem de Jorge Iggor e Mauro Beting, ambos de camisa

Jorge Iggor e Mauro Beting se revoltaram com caso de racismo no jogo Istanbul x PSG

REDAÇÃO

redacao@noticiasdatv.com

Publicado em 8/12/2020 - 19h20

O narrador Jorge Iggor e o comentarista Mauro Beting se indignaram com mais um caso de racismo no futebol. Nesta terça-feira (8), os dois ficaram revoltados durante a transmissão da partida entre Paris Saint-Germain e Istanbul Basaksehir e condenaram com veemência a atitude do quarto árbitro da partida, que teria cometido injúria racial contra um membro da comissão técnica da equipe turca.

Aos 14 minutos do primeiro tempo, o quarto árbitro, o romeno Sebastian Coltescu, teria ofendido o camaronês Pierre Webó, que é ex-jogador e atua como assistente técnico do Istanbul. Revoltado com o episódio, Webó reclamou do tratamento e foi expulso. Os jogadores das duas equipes se mobilizaram e resolveram deixar o gramado em protesto contra o ato racista.

"Hoje nós chegamos ao ponto mais baixo, rasteiro, inadmissível da intolerância, da estupidez entre as relações humanas. Todos os episódios anteriores de ofensas raciais que nós vimos, de todo o tipo de intolerância, são repugnantes, mas hoje foi pior", começou o narrador da Turner.

"Hoje a gente chegou ao lugar mais baixo, porque uma autoridade, que está aí para aplicar a lei do jogo, ofender o jogador, é de dar nojo", esbravejou Jorge Iggor.

"E ainda vai ter gente dizendo que não existe racismo no mundo. Tem gente que tem o cinismo, a petulância de negar o óbvio, de negar a realidade diante dos nossos olhos, que a gente vê nos estádios, no farol, em qualquer lugar. Esta aí, é para esfregar na cara de quem acha que isso é balela, conversa fiada. Sinta na pele, perceba os episódios que vemos todos os dias. Constate porque a realidade está aí", completou o locutor.

Represália

Também presente na trasmissão da partida, que foi exibida no Facebook Watch do Esporte Interativo, Mauro Beting se negou a comentar o duelo da última rodada da fase de grupos da Champions League caso ele fosse retomado. A Uefa, que organiza a competição, informou que a partida estava suspensa momentaneamente e cogitou reiniciar o confronto hoje.

"Se tiver jogo, não vai ter mais comentarista. Se voltar, reitero, não vou fazer o jogo", disse, categoricamente, o comentarista. "Todas as vida importam, mas as que foram maltratadas e escravizadas durante séculos importam mais", explicou.

"A gente precisa debater isso. E você, infeliz, que vai falar que é lacração, que sua mente continue lacrada. Defender as suas ideias não é lacração, não é esquerda contra direita, é desumanidade contra humanidade. O esporte congrega todo mundo, e quando se tem crimes como esse não se deve ter jogo. Não pode forçar a barra. É imperdoável se houver jogo", completou Beting.

A tendência é de que PSG x Instanbul seja remarcado. A Uefa ainda não emitiu uma decisão oficial. Segundo a imprensa francesa, boa parte dos jogadores, incluindo o atacante Demba Ba, que foi quem confrontou o juiz e defendeu seu colega de clube, só voltaria ao campo se o quarto árbitro fosse retirado.

"É um personagem histórico nessa noite. É o cara que liderou esse movimento. Peitou o árbitro e não aceitou que tivesse jogo. Foi fundamental", afirmou Jorge Iggor sobre Demba Ba.

Veja os vídeos com as declarações de Jorge Iggor e Mauro Beting:


Leia também

Enquete

Você gostou dos primeiros capítulos de Verdades Secretas 2?

Web Stories

+
Como aconteceu acidente com Alec Baldwin que matou fotógrafa no set de novo filmeCinco casais que se formaram no Casamento às Cegas Brasil e você não sabiaElenco de Verdades Secretas 2: Conheça os novos personagens da novelaOutubro Rosa: Conheça cinco famosas que venceram o câncer de mamaAlém de José de Abreu: Sete atores brasileiros que se aventuraram na política

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas