Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

FELIPE HIRSCH

Globo contrata diretor de teatro vencedor de mais de cem prêmios

Reprodução/TV Cultura

O diretor de teatro Felipe Hirsch em entrevista ao Provocações, da TV Cultura, em 2013 - Reprodução/TV Cultura

O diretor de teatro Felipe Hirsch em entrevista ao Provocações, da TV Cultura, em 2013

DANIEL CASTRO

Publicado em 26/7/2017 - 5h34

A Globo contratou Felipe Hirsch, 45 anos, diretor de teatro que acumula mais de cem prêmios em sua prestigiadíssima carreira. Ele vai desenvolver com Júlio Fischer uma minissérie sobre a bossa nova, movimento musical que surgiu no final dos anos 1950, defendido por nomes como Tom Jobim (1927-1994), Vinicius de Moraes (1913-1980) e João Gilberto, 86.

Intitulado Bossa Nova, o projeto será ambientado no Rio de Janeiro nos anos 1960. Com personagens fictícios, vai abordar o surgimento do ritmo que se tornou um dos mais influentes e relevantes da história da Música Popular Brasileira, com fama internacional.

O projeto de Bossa Nova foi apresentado à Globo por Felipe Hirsch, que irá dirigi-lo. O roteiro ficará sob a responsabilidade de Júlio Fischer, que dividiu com Walther Negrão e Suzana Pires a autoria de Sol Nascente, novela das seis encerrada em março. A sinopse ainda está sendo elaborada.

Hirsch foi contratado pela Globo apenas para este projeto. Ele é considerado pela imprensa especializada um dos diretores mais geniais e transgressores do teatro brasileiro contemporâneo.

Durante mais de 20 anos, foi diretor artístico da Sutil Companhia. No seu currículo estão peças como Avenida Dropsie, Os Solitários (com Marco Nanini, Wagner Moura e Marieta Severo), A Vida É Cheia de Som & Fúria (com Guilherme Weber) e Viver Sem Tempos Mortos (com Fernanda Montenegro), entre dezenas de outras.

Na TV, Hirsch assinou a minissérie A Menina Sem Qualidades, exibida pela MTV em 2013 e vencedora de dois prêmios da APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte). Bossa Nova será sua estreia na Globo.

Leia também

Enquete

Pantanal perde audiência: novela está chata?

Mais lidas


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.