Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

Humor

Em teste no CQC, 'Seu Barriga' revela que ficou preso em barril de Chaves

Divulgação/Band

Édgar Vivar, o Seu Barriga, e Rafael Cortez durante gravação de quadro do CQC - Divulgação/Band

Édgar Vivar, o Seu Barriga, e Rafael Cortez durante gravação de quadro do CQC

REDAÇÃO

Publicado em 16/10/2015 - 11h16

No Brasil para divulgar um aplicativo, o ator mexicano Édgar Vivar gravou uma participação no CQC que a Band exibe na próxima segunda-feira (19). O intérprete do personagem Seu Barriga do seriado Chaves respondeu a um questionário elaborado por Rafael Cortez, no quadro Verdadeiro ou Falso?.

Entre as "lendas" que circulam sobre a série, Cortez quis saber se é verdade que Vivar entrou no barril de Chaves, durante uma gravação, e ficou preso lá dentro. O ator confirmou que a história é verdadeira, que só se livrou do barril com a ajuda dos bombeiros. Vivar também respondeu a outras questões que atormentam os fãs da série reprisada pelo SBT há três décadas. Entre elas, essa aqui: Existe mesmo um episódio "perdido" da série em que o Seu Madruga (Ramón Valdés) paga os alugueis atrasados do Seu Barriga? 

Vivar e Cortez também conversaram sobre outros assuntos, principalmente sobre a carreira do ator e de sua relação com o Brasil. "Fiquei surpreso com o quanto ele conhece nossa língua e nossa cultura, apesar de ele não saber quem é o Faustão", conta o apresentador e repórter do CQC. “Apesar de eu não ter entrevistado todos os integrantes de Chaves, Vivar me parece ser o mais sentimental e saudosista em relação ao seriado e aos colegas de elenco”, completa Cortez.


► Curta o Notícias da TV no Facebook e fique por dentro de tudo na televisão

► Siga o Notícias da TV no Twitter: @danielkastro

Leia também

Enquete

Qual o personagem mais chato de Pantanal?

Mais lidas


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.