Shark Tank Brasil

Cientista autista encanta jurados de reality show com história de superação

Divulgação/Sony Channel

A empreendedora Michele de Souza durante sua apresentação no reality Shark Tank Brasil

A empreendedora Michele de Souza durante sua apresentação no reality Shark Tank Brasil

FERNANDA LOPES - Publicado em 18/10/2019, às 05h07

No último episódio da quarta temporada do Shark Tank Brasil, uma participante consegue um feito raro: conquista e emociona de forma unânime todos os jurados e a plateia. No programa, que vai ao ar nesta sexta (18) no Sony Channel, uma neuroengenheira autista apresenta sua empresa e conta sua incrível história de superação.

A protagonista do episódio é a curitibana Michele de Souza. Ela tem uma empresa que cria tecnologias com foco em impacto social, implantadas em produtos feitos para melhorar muito a vida de pessoas com deficiências físicas. Ela criou um exoesqueleto para quem não pode andar e uma mão eletrônica para pessoas que perderam ou nasceram sem mãos.

Os itens criados e desenvolvidos pela empresa de Michele por si só já deixam os "tubarões" muito impressionados. "Estou encantado por você", confessa o empresário Caito Maia.

Mas os investidores e o público (esse foi o primeiro episódio gravado em um teatro, com plateia de mais de 400 pessoas) ficam ainda mais encantados quando Michele conta sua história de vida.

Ela é portadora da síndrome de Asperger, um tipo leve de autismo. Na infância e adolescência, tinha muita dificuldade de socialização, era muito calada e chegou a ser expulsa de uma escola. "Um banheiro fechado era meu cenário perfeito", ela confessa. Michele foi entendendo que os estudos eram seu ponto de refúgio, e estudou muito para se tornar neuroengenheira, com várias especializações.

divulgação/sony channel

Michele de Souza conta sua história no Shark Tank, que foi gravado num teatro em São Paulo

Na vida adulta, Michele enfrentou mais dificuldades. A mulher com quem ela era casada sofria de um câncer ósseo muito grave, e foi por isso que a profissional começou a desenvolver produtos que auxiliassem pessoas com deficiências e dificuldades de locomoção.

A parceira não resistiu à doença e morreu há cerca de dez anos, poucos dias depois de Michele finalizar a tecnologia de seu primeiro produto. Ela pensou que não deveria deixar todo o trabalho que fez por sua amada morrer junto com ela e decidiu lutar para levar a empresa adiante.

Ao fim da história, a própria Michele se emociona e é aplaudida de pé pela plateia. Todos os jurados a parabenizam pela trajetória tão cheia de superação e méritos. Mas, na hora de negociar uma possível participação na empresa de Michele, eles discordam e discutem bastante sobre valores e as estratégias que ela deveria seguir.

Formato de sucesso em mais de 35 países, o novo episódio do reality show vai ao ar no Sony Channel nesta sexta-feira, às 22h.

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

Enquete

Quem é o personagem mais trouxa da TV?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook