Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

Amores Livres

Série mostra pessoas que largaram a monogamia para viver o poliamor

Divulgação/GNT

Fada, Bardo e Aline formam o 'trisal' mostrado no primeiro episódio da série Amores Livres, do GNT - Divulgação/GNT

Fada, Bardo e Aline formam o 'trisal' mostrado no primeiro episódio da série Amores Livres, do GNT

ODARA GALLO

odara@noticiasdatv.com

Publicado em 4/8/2015 - 0h36
Atualizado em 5/8/2015 - 5h13

Se há um tema que rende uma infinidade de clichês e conceitos definidos, é o amor e suas relações. Apesar disso, a nova série documental Amores Livres, que estreia nesta quarta (5), às 22h30, no canal pago GNT, consegue fugir da mesmice e mostrar formas não convencionais, e até inusitadas, com as quais as pessoas vivem seus romances, como o poliamor, a relação aberta e o swing, entre outros "modelos".

No comando da produção, o diretor João Jardim já pode ser considerado um especialista quando o assunto é relação amorosa. Em 2011, ele estreou o longa Amor?, em que mostrava histórias reais de relacionamentos doentios, com depoimentos interpretados por atores, entre eles Júlia Lemmertz, Lilia Cabral, Mariana Lima e Fabiula Nascimento.

Desta vez, ele apresenta pessoas que também amam demais, mas buscaram alternativas aos tradicionais casais. “Essa questão de amar mais de uma pessoa de uma única vez é uma fantasia na cabeça de todo mundo. Quando começamos a fazer a série, não tínhamos noção do que íamos encontrar”, conta Jardim.

O primeiro dos dez episódios conta a história de Bardo e Fada, casados há 12 anos e pais de duas meninas. Eles falam que sempre tiveram tendências poliamorosas, mas abriram mão por conta do casamento. No entanto, há seis anos, após muitas conversas, resolveram abrir a relação. Foi quando encontraram Aline, a mulher que se apaixonou primeiramente por Fada e pediu os dois em casamento. Os três passaram a viver na mesma casa por um tempo, mas o desgaste da rotina fez com que o “trisal” _como o casal e Aline se chamam_ continuasse, mas em casas separadas.

O programa procura mostrar como essas pessoas resolvem problemas comuns no cotidiano de qualquer casal. Em uma das cenas, Bardo e Fada, que são músicos, estão trabalhando e ligam para Aline buscar uma das filhas e levar ao médico por causa de uma uma dor de ouvido.

"Fomos pesquisando e vendo que as pessoas que viviam aquilo encaravam com muita naturalidade. Era um lugar onde a vida as colocou. E elas justificavam isso de maneira muito coerente, a gente só tentou aproveitar essa coerência, porque não é uma coisa leviana, de transar com um monte de gente. Tivemos uma preocupação de expor essa coerência de que não é necessário ter preconceito com isso", explicou o diretor.

O receio de sofrer preconceito, segundo o diretor, foi a maior dificuldade encontrada na produção da série. "Muitas dessas relações são escondidas ainda. Foi difícil encontrar quem quisesse falar sobre o assunto", disse. Por isso, as redes sociais serviram como ponte para alcançar os personagens do documentário.

E foi em um desses grupos que a produção descobriu a Rede Relações Livres. "É um coletivo de pessoas superorganizadas que se relacionam entre si. Tem um enfoque até político, anticapitalista. É muito interessante você inserir uma relação afetiva, amorosa, com um enfoque político", lembra Jardim.

Entre tantas formas inusitadas de demonstrar e viver amores, Jardim destaca dois aspectos presentes na maioria dos casos retratados no programa. "O que mais me surpreendeu é que, diferente do que se espera, tem o protagonismo da mulher nisso tudo, ela que conduz essa situação muitas vezes. A mulher que está ali no meio dizendo que quer experimentar uma coisa diferente. Outro aspecto, que é separado desse, é a questão da bissexualidade, pessoas que tem a vontade de viver plenamente a sua sexualidade, tanto com homem quanto com mulheres. Muito diferente daquela coisa do homossexual enrustido", destaca.


► Curta o Notícias da TV no Facebook e fique por dentro de tudo na televisão

► Siga o Notícias da TV no Twitter: @danielkastro

TUDO SOBRE

GNT


Leia também

Enquete

Você gostou do primeiro mês de Um Lugar ao Sol?

Web Stories

+
De Eva Todor a Henrique César: Veja atores de O Cravo e a Rosa que já morreramTeste de fidelidade? A Fazenda 13 coloca relacionamento de peões em xequeTraída, enganada e desprezada: 7 vezes em que Bárbara quebrou a cara em Um Lugar ao SolMansão nova, presença VIP e publis: Saiba tudo sobre a carreira de Deolane BezerraÚltima temporada de La Casa de Papel: Após o fim, série já tem spin-off confirmado

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas