MARCAS DO PASSADO

De Escrava Isaura a Anita: dez protagonistas de um papel só

Fotos de Divulgação/Memória Globo

Lucélia Santos ainda é conhecida como Isaura 40 anos depos; Mel Lisboa nunca superou Anita - Fotos de Divulgação/Memória Globo

Lucélia Santos ainda é conhecida como Isaura 40 anos depos; Mel Lisboa nunca superou Anita

LUCIANO GUARALDO - Publicado em 04/09/2017, às 05h23

A primeira versão de Escrava Isaura saiu do ar em 1977. Quatro décadas depois, Lucélia Santos ainda é conhecida como a protagonista de uma das novelas brasileiras mais vistas no mundo. A obra de Gilberto Braga fez a guerra da Croácia parar e transformou Lucélia em celebridade até na China, mas o papel foi grande demais para a atriz, que nunca superou a escrava branca com outro personagem de peso.

E Lucélia não é a única atriz a ficar presa em um papel: Mel Lisboa até hoje carrega a pressão de ter estreado na TV como a Anita de Presença de Anita (2001). E Claudia Ohana ficou tão marcada na pele de Natasha em Vamp (1991) que voltou a interpretar a vampira no teatro 15 anos depois.

Há ainda casos como o de Ricardo Macchi, que até hoje é motivo de piada por sua atuação como o cigano Igor de Explode Coração (1995). Sua parceira na novela, Tereza Seiblitz, também entrou para o imaginário popular como a cigana Dara Sbano.

Estrear com papéis de peso pode ser uma faca de dois gumes: Sérgio Hondjakoff, por exemplo, fez tanto sucesso em Malhação que permaneceu na novelinha durante seis temporadas. Já Vinicius Tardio teve o azar de estrear como protagonista do fracasso Além do Horizonte (2015). Em lados opostos da repercussão, os dois tiveram dificuldade em voltar a trabalhar na TV.

Confira dez atores marcados por um único papel: 

divulgação/memória globo

Lucélia Santos e Edwin Luisi em cena da novela Escrava Isaura: vista em mais de 80 países

Lucélia Santos (Isaura - 1976)
A atriz de 60 anos tinha apenas 19 quando estreou na TV na pele da escrava branca Isaura dos Anjos, protagonista de Escrava Isaura (1976). Lucélia foi chamada para o papel pelo diretor Herval Rossano, que se impressionou com o talento da jovem na peça Transe no 18. A obra foi exportada para mais de 80 países e o governo cubano até cancelou o racionamento de energia para que a população a assistisse.

Mas Lucélia nunca conseguiu repetir o sucesso da personagem. Não faz novelas desde 2006, quando atuou em Cidadão Brasileiro, da Record. E, no ano passado, fez uma participação no seriado Vai que Cola interpretando a própria escrava Isaura. 

divulgação/memória globo

Natasha marcou tanto a carreira de Claudia Ohana que a atriz voltou a interpretá-la neste ano

Claudia Ohana (Natasha - 1991)
Claudia já tinha interpretado a versão jovem de Tieta em 1989 e participado de Rainha da Sucata (1990), mas foi com Vamp (1991) que virou um fenômeno. Na pele da vampira roqueira Natasha, que vendeu sua alma ao conde Vlad (Ney Latorraca) para fazer sucesso como cantora.

A personagem marcou tanto a carreira de Claudia que, neste ano, quando Jorge Fernando decidiu levar a novela para os palcos, Natasha voltou a ser interpretada pela atriz. Depois de uma temporada de sucesso no Rio de Janeiro, o musical chega a São Paulo em 15 de setembro. Com Claudia no elenco, é claro. 

reprodução/tv globo

Marcos Frota com Denise Milfont em cena de Mulheres de Areia: ator chora revendo a novela

Marcos Frota (Tonho da Lua - 1993)
Ao longo de 40 anos de carreira, o ator fez mais de 25 novelas. Mas até hoje é lembrado por Tonho da Lua, responsável por esculpir mulheres de areia na novela de 1993. Apaixonado por Ruth (Gloria Pires) e com ódio da malvada Raquel (Gloria Pires), o personagem caiu no gosto do público e marcou o ator.

No ano passado, em um quadro do Tá no Ar, Frota voltou a incorporar o personagem, chamado no humorístico de Tonho de Luca (uma mistura de Tonho da Lua com o apresentador Bruno de Luca). O ator já disse que não se incomoda de estar associado ao papel quase 25 anos depois e que até chora ao rever cenas da novela. 

divulgação/memória globo

Tereza Seiblitz com o ator Ivan Cardoso em Explode Coração: atriz dedicada, mas marcada

Tereza Seiblitz (Dara - 1995)
Durante seu casamento com Luiz Fernando Carvalho, Tereza Seiblitz ganhou papéis coadjuvantes nas novelas Pedra Sobre Pedra (1992) e Renascer (1993) e o papel principal do especial Uma Mulher Vestida de Sol (1994), todos comandados pelo marido. Mas sua grande chance veio em uma trama dirigida por Dennis Carvalho, Explode Coração (1995), na qual vivia a cigana Dara.

Dedicada, a atriz fez aulas diárias de dança cigana, estudou a cultura, frequentou festas do grupo e conversou com ciganos durante mais de um mês. Apesar da boa audiência da novela, Tereza nunca mais foi chamada para protagonizar obras na Globo, limitando-se a papéis menores em séries. Seu último trabalho na TV foi um episódio da série Milagres de Jesus, da Record, em 2015.

divulgação/memória globo

Igor (Ricardo Macchi) enfrenta Júlio (Edson Celulari) em Explode Coração: ícone da canastrice

Ricardo Macchi (Igor - 1995)
Se Tereza já tinha uma carreira antes de protagonizar Explode Coração, Ricardo Macchi não contava com o mesmo currículo. Ex-modelo, ele estreou na TV como o cigano Igor da novela de Gloria Perez e virou chacota por sua interpretação que deixou a desejar.

Macchi até ganhou uma outra chance na novela Por Amor (1997), na qual fez menos feio como o jardineiro galã Genésio. Mas o estrago do cigano já estava feito. Sem conseguir vencer o rótulo de canastrão, o gaúcho aproveita para lucrar em cima e já fez piada com a falta de talento em um comercial ao lado de Dustin Hoffman.

divulgação/memória globo

Natália Lage e Rodrigo Santoro em O Amor Está no Ar: ele foi para Hollywood; ela faz pontas

Natália Lage (Lu - 1997)
Promessa jovem da década de 1990 da Globo, Natália participou de Perigosas Peruas (1992), O Mapa da Mina (1993) e Tropicaliente (1994) até ganhar sua primeira protagonista, a Lu da novela O Amor Está no Ar (1997). A adolescente problemática se via em um triângulo amoroso com o aviador Léo (Rodrigo Santoro) e o alienígena João (Eriberto Leão).

Com a baixa audiência da novela, Natália nunca mais foi protagonista. Fez três temporadas de Malhação (1999-2001) e migrou para as séries, como a Gina de A Grande Família (2001-2014) e a Lucilene de Tapas & Beijos (2011-2015). Neste ano, ela participou de um episódio da série médica Sob Pressão.

reprodução/tv globo

Cláudio Heinrich passou boa parte de Uga Uga seminu: tímido, não consegue nem usar sunga

Cláudio Heinrich (Tatuapu - 2000)
Passar uma novela inteira de tanga pode deixar a imagem de um ator gravada na memória do público. Que o diga Cláudio Heinrich, intérprete do índio Tatuapu de Uga Uga (2000). Ex-paquito, ele estreou como ator como o professor de jiu-jítsu Dado nas primeiras temporadas de Malhação (1995-1997), mas roubou a cena na novela de Carlos Lombardi.

No ano passado, o ator participou do Vídeo Show e confessou que até hoje tem dificuldade de vestir sunga. "Não me sinto bem. E o personagem, vocês podem ver, roupa é uma coisa que ele não se importa. Imagina naquela época eu quebrar essa barreira?", disse. Longe da TV desde 2014, ele virou professor de luta.

reprodução/gshow

Após passar seis anos como o divertido Cabeção, Sérgio Hondjakoff virou caixa de restaurante

Sérgio Hondjakoff (Cabeção - 2000-2005)
Nascido em Nova York, o ator tinha feito pequenas participações na TV até ganhar um papel na sétima temporada de Malhação (2000) como Artur Malta, o Cabeção. Com seu jeito atrapalhado e tentativas frustradas de arranjar uma namorada, o personagem acabou ficando na novelinha durante seis anos, superando até o clássico Mocotó (André Marques) em longevidade.

Mas fazer o papel por tanto tempo pesou: muito associado a Cabeção, Hondjakoff nunca mais repetiu o sucesso. Fez Pé na Jaca (2006) e Bela, a Feia (2009), virou repórter do Vídeo Show (2014) e do Pânico na Band (2015). Sem emplacar, agora trabalha como caixa de restaurante nos Estados Unidos.

divulgação/memória globo

Mel Lisboa teve cenas sensuais com José Mayer; hoje, ela prefere ser lembrada como Rita Lee

Mel Lisboa (Anita - 2001)
Como Lucélia Santos, Mel tinha 19 anos quando estreou na TV na minissérie Presença de Anita (2001). Na pele da ninfeta fogosa que destruía a vida familiar de Nando (José Mayer), chamou a atenção do público masculino. Anita lhe rendeu ainda a capa da edição de aniversário da revista Playboy.

O sucesso não se repetiu: em 2002, fez Desejos de Mulher, mas sua Gabriela não emplacou. A vilã Lenita, de Como Uma Onda (2004), também deixou a desejar. Na Record, até protagonizou a minissérie Sansão e Dalila, mas não obteve a mesma repercussão. Seu papel pós-Anita de maior destaque foi a roqueira Rita Lee, que interpretou durante dois anos e meio no teatro.

divulgação/tv globo

Estreante em um dos maiores fracassos da TV, Vinícius até mudou seu sobrenome artístico

Vinícius Tardio (Rafa - 2013)
Estrear como protagonista em um dos maiores fracassos recentes da dramaturgia da Globo não fez bem para a carreira de Vinícius Tardio. O jovem ator interpretava Rafa, que se juntava a Lili (Juliana Paiva) e William (Thiago Rodrigues) em uma aventura no meio da floresta.

Com mistérios que remetiam à série Lost (2004-2010) e uma "lama gulosa" que engolia personagens, a novela de Marcos Bernstein e Carlos Gregório teve média geral de 19,9 pontos na Grande São Paulo. Tardio perdeu espaço durante a trama e sumiu da Globo. Atualmente, estrela a série Perrengue, da MTV, com outro nome artístico: Vinícius Redd. Uma forma de apagar o vexame?

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

Enquete

O Vídeo Show tem salvação?

Últimas notícias

Notícias da TV
Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook