Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

FAZER O CERTO SAI CARO

Netflix perde R$ 126 milhões com demissão de Kevin Spacey por abuso sexual

Divulgação/Netflix

Kevin Spacey na quinta temporada de House of Cards: afastamento do astro custou caro - Divulgação/Netflix

Kevin Spacey na quinta temporada de House of Cards: afastamento do astro custou caro

REDAÇÃO

Publicado em 23/1/2018 - 14h22

Apesar de elogiada por demitir Kevin Spacey após o ator ser denunciado por abuso sexual de um menor de idade, a Netflix sentiu no bolso o peso da decisão: na segunda (22), durante a apresentação de seus resultados no último trimestre de 2017, a plataforma de streaming anunciou que o afastamento de Spacey lhe custou US$ 39 milhões (R$ 126 milhões).

O ator era protagonista da principal série da Netflix, o drama político House of Cards. Quando a primeira denúncia de assédio veio à tona, a produção da sexta temporada foi suspensa por tempo indeterminado. Depois, Spacey acabou demitido.

Todo o material já gravado foi jogado fora, e os produtores tiveram que reescrever os roteiros para eliminar o personagem Frank Underwood e dar destaque absoluto à sua mulher, Claire (Robin Wright), naquele que será o último ano da série.

Mesmo com as gravações interrompidas, a Netflix e a produtora Media Right Capital pagaram para manter a equipe sob contrato, o que não saiu barato. Além disso, a plataforma de streaming também se preparava para lançar o filme Gore, estrelado por Spacey e que já estava todo rodado quando o lançamento foi cancelado.

Apesar do dinheiro jogado fora, o chefe de conteúdo da Netflix, Ted Sarandos, disse que encara a perda de forma positiva. "É um bom indicador desenvolvermos vários projetos de alto nível ao mesmo tempo. Nós nos afastamos daquela ideia de concentrar muito risco em um único material", disse ele aos acionistas.

E, é claro, também pega bem para a imagem da empresa mostrar que quer fazer a coisa certa. Entre outubro e dezembro, a Netflix ganhou 8,3 milhões de assinantes no mundo todo, seu melhor trimestre até o momento.

Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

O que você achou do Disney+?