Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

JUNTOS

Claro incorpora serviços da Net e vira líder no mercado da TV paga

Divulgação

Clientes da Net agora farão parte da Claro; na prática, nada muda para o consumidor - Divulgação

Clientes da Net agora farão parte da Claro; na prática, nada muda para o consumidor

REDAÇÃO

Publicado em 12/7/2019 - 12h39

Presente no Brasil desde 1991, a Net deixou de existir de forma independente. A operadora de TV paga, banda larga e telefonia agora opera sob a bandeira da Claro --as duas já pertenciam à mesma companhia, a controladora América Móvil, do bilionário mexicano Carlos Slim. Após a junção, a Claro torna-se líder do mercado de televisão por assinatura, com 8,2 milhões de clientes.

"A Claro, que é líder em telecomunicações na América Latina e a operadora que mais cresce no mercado móvel brasileiro, passa agora a deter também a liderança em TV por assinatura e banda larga no país. Ao concentrar os investimentos e atuação mercadológica, fica ainda maior e mais forte, com presença global e portfólio completo de serviços", destacou o presidente da Claro, José Antônio Félix, em nota divulgada à imprensa.

Segundo a empresa, quase nada muda para os clientes. Os planos e canais de atendimento permanecem os mesmos. Apenas lojas, sites e aplicativos serão atualizados para facilitar a interação e comunicar a novidade.

O Claro Clube, programa de benefícios que oferece descontos para teatro e cinema, além de permitir acúmulo de pontos e troca por aparelhos, serviços e passagens, agora passa a atender a todos os clientes do grupo.

A unificação da Claro com a Net já era esperada: na América Latina, todas as operadoras da América Móvil levam o nome Claro --exceto no México, que usa a marca Telcel.

O site da empresa já reflete as mudanças: agora, a Claro comercializa os serviços de banda larga, TV a cabo e telefonia fixo sob a mesma marca.

TUDO SOBRE

Claro

TV Paga

Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

Quem deve ser a nova Juma Marruá?