Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

RENATA CAPUCCI

Jornalista da Globo revela ter tido depressão após diagnóstico de Parkinson

DIVULGAÇÃO/RAQUEL CUNHA/GLOBO

Renata Capucci em sala de gravações da TV Globo

Renata Capucci admite ter passado por depressão ao receber diagnóstico do Mal de Parkinson

IGRAÍNNE MARQUES

igrainne@noticiasdatv.com

Publicado em 26/6/2022 - 22h06

A jornalista da Globo Renata Capucci revelou ter passado por uma depressão ao receber o diagnóstico de Parkinson em 2018, quando gravava o programa Popstar. Na época, a comunicadora decidiu manter o assunto em privado, mas admitiu que passou pela fase de negação da doença. "Caiu como uma bigorna em cima da minha cabeça", disse. 

"Chegou a minha hora, chegou a minha vez de me libertar. Porque viver com esse segredo é ruim. Você se sente vivendo uma vida fake, porque parte de você é de um jeito e você fica escondendo a outra parte de outras pessoas, no meu caso a maioria das pessoas, porque eu sou uma pessoa pública", começou a jornalista em um dos podcasts do Fantástico, o Prazer, Renata.

"Eu fui diagnosticada com doença de Parkinson em outubro de 2018, quando eu tinha 45 anos. Hoje, eu tenho 49", continuou. Na época, Renata mostrou os primeiros sinais da doença ao passar a ter problemas em uma das pernas, sem perceber. "As pessoas falavam para mim: 'Por que você está mancando, Renata?'. E eu falava: 'Eu não estou mancando'. Eu não percebia que eu estava mancando", contou.

Em resposta, a jornalista explicou que tentou de tudo para resolver o problema: fisioterapia e até osteopatia. Mas nada mudou. "Em um dado momento, no meio do Popstar, depois do sexto programa, eu estava em casa e o meu braço subiu sozinho, enrijecido", lembrou.

"E o meu marido, que é médico, logo depois do programa, me levou para um hospital que tinha emergência neurológica, e eu fui diagnosticada com Parkinson. Aquilo caiu como uma bigorna em cima da minha cabeça", admitiu a jornalista, acrescentando que enxerga a doença de modo muito diferente daquela época. 

"Só que eu estou aqui para dizer isso para vocês, para quem está ouvindo o podcast, porque eu estou viva. Quatro anos depois, eu estou bem, eu sou feliz. Eu não quero virar mártir. Eu não quero que tenham pena de mim. Ao contrário, eu tenho orgulho da minha trajetória. Eu tenho orgulho da maneira como eu encaro essa doença, porque eu encaro ela de frente hoje", revelou.

"Já passei por todas as fases, da depressão, da negação. Hoje, eu estou na fase cinco que eu olho essa doença de frente e eu falo assim: ‘Senhor Parkinson, eu tenho você, você não me tem’. Eu faço tudo o que eu posso de exercício, de remédio e eu tenho uma vida positiva", continuou. 

"Eu me sinto feliz, apesar de tudo. Eu não sou café com leite por ter doença de Parkinson, eu faço todas as matérias. Não me sinto diminuída”, reforçou. 

Mesmo com o diagnóstico no meio das gravações de Popstar, Renata Capucci conseguiu alcançar, naquele ano, a final do programa. O ex-jogador de futebol Jakson Follmann foi quem venceu a disputa. 

De acordo com dados da OMS (Organização Mundial da Saúde), apenas de 10% a 15% dos pacientes com Parkinson têm menos de 50 anos. Atualmente, cerca de 200 mil pessoas no Brasil convivem com a doença.


Leia também

Enquete

Qual o personagem mais chato de Pantanal?

Mais lidas


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.