Fernando Belo

Ex-mocinho de novela, ator troca Globo por Los Angeles e dirige série lésbica

Divulgação

O ator e diretor Fernando Belo, que participou de Saramandaia (2013) e Sete Vidas (2015) - Divulgação

O ator e diretor Fernando Belo, que participou de Saramandaia (2013) e Sete Vidas (2015)

FERNANDA LOPES - Publicado em 05/06/2018, às 05h25

Após viver bons-moços em novelas, como Saramandaia (2013) e Boogie Oogie (2014), o ator Fernando Belo resolveu focar sua carreira em produção e direção. Aos 34 anos, ele vive em Los Angeles, nos Estados Unidos, e é dono de uma produtora em que faz de tudo um pouco. Seu trabalho de maior repercussão é a série Red, que em quatro temporadas conta a história de amor entre duas mulheres.

Criada em 2014, Red foi uma ideia que Belo desenvolveu, com duas autoras, por acreditar que ainda faltava muita representação LGBTI (sigla para Lésbicas, Gays, Bissexuais, Transgêneros e Intersexuais) na mídia, principalmente nas novelas brasileiras. "Na época, ainda tinham muito medo de mostrar o relacionamento entre pessoas do mesmo sexo", opina.

Eles então escreveram a história, sobre duas atrizes que se conhecem durante as gravações de um curta metragem e iniciam um relacionamento conturbado, e produziram tudo sem financiamento ou patrocínio algum.

A série foi publicada na plataforma Vimeo e, desde então, já teve mais de 5 milhões de visualizações. A quarta temporada foi lançada no fim de maio, e pela primeira vez entrou em sistema de video on demand. Os telespectadores pagam US$ 9,99 (cerca de R$ 37) para assistir os dez novos episódios.

"A série hoje é totalmente financiada pelos fãs, que compram os episódios e também contribuem com o nosso crowdfunding anual. Red tem como missão contribuir para um maior espaço para histórias LGBTI na mídia e nos veículos de comunicação e também mostrar o amor entre pessoas do mesmo sexo sem os preconceitos e conservadorismos que ainda vemos por aí", explica.

"A mídia de massa e os grandes produtores de cinema e televisão ainda têm um certo pudor e até mesmo medo de abordar temáticas. O sucesso de séries independentes [com personagens LGBTI e outras minorias] com certeza vai chamar a atenção deles e fazê-los perceber que eles estão deixando de atender um público enorme e sedento de conteúdo", complementa.

reprodução/red

As atrizes Luciana Bollina e Ana Paula Lima, que vivem o casal protagonista de Red

Crescimento nos EUA
Ator desde 2000, Belo começou sua empreitada nos Estados Unidos em 2010, quando fez mestrado em interpretação em uma universidade da Califórnia. Depois de formado, voltou ao Brasil, onde logo conseguiu papéis na Globo.

Há cinco anos, estreou em Saramandaia (2013) na pele de Lua Viana, o prefeito bonzinho da cidade. No ano seguinte, viveu Alex, noivo de Sandra (Isis Valverde) que morre em um acidente de avião em Boogie Oogie. Em 2015, foi o namorado de Júlia (Isabelle Drummond) em Sete Vidas.

Logo após o fim da trama, recebeu propostas para voltar aos Estados Unidos a trabalho, e hoje não pensa mais em morar definitivamente ao Brasil.

"Em Los Angeles, tive a oportunidade de me desenvolver em várias frentes, como diretor, ator, produtor. Foi aqui que comecei a me interessar por cinema. Acho que se eu tivesse ficado no Brasil minha vida teria ido por outro caminho. Quero continuar criando cada vez mais conteúdo, atuando e aprendendo novas formas de me expressar artisticamente", afirma.

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

Enquete

Você pretende assistir a novela Espelho da Vida?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook