Atriz vencedora do Oscar

Escândalo sexual da Fox News vai virar filme protagonizado por Charlize Theron

Divulgação/Focus Features/NBC

Charlize Theron, à esq. no longa Tully (2018), será a jornalista Megyn Kelly em filme sobre a Fox News - Divulgação/Focus Features/NBC

Charlize Theron, à esq. no longa Tully (2018), será a jornalista Megyn Kelly em filme sobre a Fox News

REDAÇÃO - Publicado em 22/05/2018, às 12h44

Vencedora do Oscar por Monster - Desejo Assassino (2003), a atriz Charlize Theron foi escalada para um filme, ainda sem título, sobre o escândalo sexual que aterrorizou a Fox News em 2016. Ela interpretará a jornalista Megyn Kelly, uma das mulheres que acusaram o ex-presidente do canal de notícias, Roger Ailes (1940-2017), de assédio sexual.

Nomes de peso de Hollywood estão envolvidos com o projeto atrás das câmeras. O diretor será Jay Roach, de Trumbo: Lista Negra (2015), e o roteiro tem a assinatura de Charles Randolph, vencedor do Oscar por A Grande Aposta (2015).

O filme promete retratar como o escândalo começou, a partir da denúncia da jornalista Gretchen Carlson, que também será retratada na produção. A história contará ainda com personagens como Greta Van Susteren (ex-apresentadora do canal), Rupert Murdoch (presidente do grupo 21st Century Fox, do qual a Fox News faz parte), e Bill O'Reilly (jornalista também demitido após acusação de assédio).

A missão de Charlize será dar vida a Megyn Kelly, uma ex-advogada que entrou na Fox News como repórter e cresceu na empresa até ganhar um programa só seu, chamado de The Kelly File. Na época em que Gretchen acusou Ailes de assédio sexual, em julho de 2016, a Fox News pediu para Kelly vir a público e defender o chefe, pois ela era a principal estrela do canal. A jornalista se recusou.

Dias depois, descobriu-se o motivo do seu silêncio: ela também foi assediada por Ailes. A denúncia, dada primeiramente a investigadores que apuravam a veracidade das acusações internamente na Fox News, foi a gota d'água para Ailes deixar o cargo de presidente do canal.

O executivo fundou a Fox News e contribuiu para colocá-la na liderança de audiência nos Estados Unidos entre os canais de notícias, à frente da badalada CNN. Após 20 anos de trabalho, ele embolsou uma indenização de US$ 40 milhões (R$ 145 milhões) ao ser afastado da empresa. 

Megyn deixou a Fox News em janeiro do ano passado para investir em uma carreira na TV aberta. Ela abandonou o jornalismo de debate e opinativo no horário nobre da TV paga para apresentar um programa matutino na rede NBC.

Hoje, a jornalista de 46 anos é uma celebridade de primeira grandeza nos EUA, com um salário anual de US$ 23 milhões (R$ 83 milhões), um dos maiores da TV norte-americana entre os jornalistas. Megyn ganha mais até do que a atriz Kaley Cuoco, de The Big Bang Theory. A intérprete da loira Penny recebeu US$ 21,6 milhões (R$ 78 milhões) pela 11ª temporada da comédia nerd, encerrada neste mês.

Escândalo na TV
Conhecida por retratar casos reais, a série Law & Order: Special Victims Unit (SVU) dedicou um episódio aos acontecimentos que abalaram a Fox News. Intitulado de The Newsroom (A Redação), o capítulo da 18ª temporada foi inspirado no escândalo, mas sem colocar em cena os personagens reais envolvidos no caso polêmico, diferentemente do que ocorrerá no filme.

Leia também

 

+ Lidas

Enquete

O novo Vídeo Show tem chance de sucesso?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook