Inês Galvão

Após cuidar do marido com câncer, atriz se transforma para retomar carreira na TV

Divulgação

Inês Galvão, ex-Bebê a Bordo, quer retomar a carreira como atriz na televisão e no teatro - Divulgação

Inês Galvão, ex-Bebê a Bordo, quer retomar a carreira como atriz na televisão e no teatro

FERNANDA LOPES - Publicado em 31/01/2018, às 06h17

Desde 2001, Inês Galvão não atua em novelas e séries de TV. A atriz, que participou de novelas como Roda de Fogo (1986) e Bebê a Bordo (1988), passou as últimas décadas dedicada à família: ela morou em Cuiabá, no Mato Grosso, e durante sete anos cuidou do marido, que não resistiu às complicações de um câncer. De volta ao Rio, em 2018 ela quer cuidar mais de si. Aos 58 anos, Inês está mudando bastante o visual com um objetivo em vista: retomar a carreira de atriz.

"Agora eu sinto falta da TV, antes não sentia. Estava muito envolvida com a família, com meu marido. Ele estava doente, eu estava cuidando dele. Agora que meu marido foi embora, quero voltar a trabalhar, produzir. Vou olhar para mim. Antes, eu era a mulher, mãe de família. Mas a atriz está gritando mais alto", explica.

"O ano passado eu tirei pra investir em mim. Voltei ao peso ideal, também estou deixando o cabelo crescer, porque estava muito curto, era uma praticidade por tudo o que eu estava vivendo com meu marido. Mexi nos meus dentes, tive que colocar aparelho. Em fevereiro eu tiro, já vou estar com o peso que eu quero, com cabelo comprido. Aí, vou cair com tudo", promete.

Inês foi casada durante 25 anos com o ex-jogador de futebol Luís Carlos Tóffoli (1964-2016), mais conhecido como Gaúcho. Ela conta que até o início da década de 2000 estava trabalhando demais, emendando uma novela na outra, e desejava ter uma vida mais tranquila com o marido, ampliar a família.

Assim, os dois se mudaram para Cuiabá, onde ele abriu uma escola de futebol e ela deu aulas de teatro. "Fui amarradona, eu era enlouquecidamente apaixonada por ele, foi o amor da minha vida. Nem olhei pra trás. Fiquei 14 anos lá. Depois decidimos voltar pro Rio, foi quando descobrimos a doença dele", diz.

Gaúcho desenvolveu câncer de próstata, que teve metástase nos ossos e no fígado. Ficou totalmente dependente de Inês, que cuidou dele até a morte. Hoje, ela vive da renda de empresas e fazendas de gado que o marido lhe deixou.

"Estou administrando da melhor forma, mas vou ter que vender tudo. Tentei tocar as fazendas e não consegui, a convivência com a família do meu marido não é boa. Sou budista, quero viver em paz. Vou vender e cuidar da minha vida artística", declara.

divulgação/viva

Inês Galvão como a vilã Soninha, da novela Bebê a Bordo, atualmente reprisada no canal Viva

Trabalhos de Inês
Inês teve uma carreira agitada na Globo. Estreou no humorístico Planeta dos Homens (1978) e, em seguida, atuou em novelas como Roda de Fogo (1986), Rainha da Sucata (1990) e Quatro por Quatro (1994).

Em Bebê a Bordo, reprisada atualmente no canal Viva, a personagem dela cresceu e ganhou destaque. Inês estava grávida quando viveu a esnobe Soninha, mulher de Tonico (Tony Ramos), que vivia em pé de guerra com o marido e o próprio filho, Juninho (João Rebello).

"Eu era antagonista, mas as pessoas torciam pra mim. Achavam muito engraçada a maneira como eu tratava meu filho. Eu empurrava, chamava de garoto cansativo, chato. Tem uma cena em que eu penso que devia estar possuída pra fazer, saio arrastando o menino pela beira da piscina. Hoje, isso ia dar problema, imagina. Mas as pessoas gostavam, e o menino amava. Tinha dia que eu estava cansada, e ele falava: 'Você não vai me bater hoje, não?'", lembra.

A última novela de Inês na Globo foi Uga Uga (2000). Em Cuiabá, chegou a apresentar na TV local um programa de sorteios (como Telesena), parte de um título de capitalização do qual seu marido era sócio. Só se afastou do negócio quando Gaúcho começou a tratar da doença.

Hoje, Inês não pensa em voltar a apresentar nada, mas já começou a se mexer para retomar o trabalho como atriz. Além do visual, ela prepara um monólogo para o teatro e tem esperanças de ser chamada para papéis na TV.

"Estou ensaiando uma peça para estrear em março, se chama Plural. É uma junção de poemas e poesias, misturando um pouco com a minha experiência de vida. É diferente, um desafio. E soube pelo meu agente que a Record andou procurando um vídeo meu, mas até agora ninguém falou nada. Estou aguardando [oportunidades], muita gente ainda nem sabe que estou de volta", anuncia. 

Leia também

 

+ Lidas

Enquete

O novo Vídeo Show tem chance de sucesso?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook