Atriz vencedora do Oscar

Escândalo sexual da Fox News vai virar filme protagonizado por Charlize Theron

Divulgação/Focus Features/NBC

Charlize Theron, à esq. no longa Tully (2018), será a jornalista Megyn Kelly em filme sobre a Fox News - Divulgação/Focus Features/NBC

Charlize Theron, à esq. no longa Tully (2018), será a jornalista Megyn Kelly em filme sobre a Fox News

REDAÇÃO - Publicado em 22/05/2018, às 12h44

Vencedora do Oscar por Monster - Desejo Assassino (2003), a atriz Charlize Theron foi escalada para um filme, ainda sem título, sobre o escândalo sexual que aterrorizou a Fox News em 2016. Ela interpretará a jornalista Megyn Kelly, uma das mulheres que acusaram o ex-presidente do canal de notícias, Roger Ailes (1940-2017), de assédio sexual.

Nomes de peso de Hollywood estão envolvidos com o projeto atrás das câmeras. O diretor será Jay Roach, de Trumbo: Lista Negra (2015), e o roteiro tem a assinatura de Charles Randolph, vencedor do Oscar por A Grande Aposta (2015).

O filme promete retratar como o escândalo começou, a partir da denúncia da jornalista Gretchen Carlson, que também será retratada na produção. A história contará ainda com personagens como Greta Van Susteren (ex-apresentadora do canal), Rupert Murdoch (presidente do grupo 21st Century Fox, do qual a Fox News faz parte), e Bill O'Reilly (jornalista também demitido após acusação de assédio).

A missão de Charlize será dar vida a Megyn Kelly, uma ex-advogada que entrou na Fox News como repórter e cresceu na empresa até ganhar um programa só seu, chamado de The Kelly File. Na época em que Gretchen acusou Ailes de assédio sexual, em julho de 2016, a Fox News pediu para Kelly vir a público e defender o chefe, pois ela era a principal estrela do canal. A jornalista se recusou.

Dias depois, descobriu-se o motivo do seu silêncio: ela também foi assediada por Ailes. A denúncia, dada primeiramente a investigadores que apuravam a veracidade das acusações internamente na Fox News, foi a gota d'água para Ailes deixar o cargo de presidente do canal.

O executivo fundou a Fox News e contribuiu para colocá-la na liderança de audiência nos Estados Unidos entre os canais de notícias, à frente da badalada CNN. Após 20 anos de trabalho, ele embolsou uma indenização de US$ 40 milhões (R$ 145 milhões) ao ser afastado da empresa. 

Megyn deixou a Fox News em janeiro do ano passado para investir em uma carreira na TV aberta. Ela abandonou o jornalismo de debate e opinativo no horário nobre da TV paga para apresentar um programa matutino na rede NBC.

Hoje, a jornalista de 46 anos é uma celebridade de primeira grandeza nos EUA, com um salário anual de US$ 23 milhões (R$ 83 milhões), um dos maiores da TV norte-americana entre os jornalistas. Megyn ganha mais até do que a atriz Kaley Cuoco, de The Big Bang Theory. A intérprete da loira Penny recebeu US$ 21,6 milhões (R$ 78 milhões) pela 11ª temporada da comédia nerd, encerrada neste mês.

Escândalo na TV
Conhecida por retratar casos reais, a série Law & Order: Special Victims Unit (SVU) dedicou um episódio aos acontecimentos que abalaram a Fox News. Intitulado de The Newsroom (A Redação), o capítulo da 18ª temporada foi inspirado no escândalo, mas sem colocar em cena os personagens reais envolvidos no caso polêmico, diferentemente do que ocorrerá no filme.

Leia também

 

 

Enquete

Quem deve ter o pior final em Deus Salve o Rei?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook