Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

Memória da TV

Primeiro MasterChef, em 1990, era 'cerebral' e não tinha drama

Reprodução/BBC

Joan Bunting, primeira vencedora do MasterChef, em 1990, ao lado do apresentador e dos jurados - Reprodução/BBC

Joan Bunting, primeira vencedora do MasterChef, em 1990, ao lado do apresentador e dos jurados

THELL DE CASTRO

Publicado em 6/9/2015 - 9h31

Produzido em mais de 40 países, MasterChef surgiu em 1990, no Reino Unido, e era bem diferente do atual formato de reality show. Após alguns anos restrito ao mercado inglês, o programa foi relançado em 2005 e virou febre em diversos países, como Austrália, Estados Unidos e Brasil, onde chegou somente no ano passado, na Band.

Criado pelo cineasta e documentarista britânico Franc Roddam para o canal BBC One, MasterChef, em seus primeiros anos, contava com a participação de três cozinheiros amadores por episódio. Eram nove eliminatórias, além de três semifinais e uma final.

Não existiam caixas-surpresas ou missões quase impossíveis de serem cumpridas em tão pouco tempo. Os concorrentes tinham que preparar três pratos em menos de duas horas, mas podiam cozinhar o que quisessem, inclusive sem limite de preço nos ingredientes utilizados.

A atração tinha um apresentador, Loyd Grossman, acompanhado por dois juízes, sendo um chef profissional e uma celebridade. Esse formato persistiu até 2000.

Em entrevista ao jornal inglês Daily Mirror, a primeira vencedora do programa, Joan Bunting, disse que existe uma grande diferença entre o antigo formato e o atual, que é exibido há alguns anos. Ela afirmou que naquele tempo o programa era somente focado em culinária, diferentemente de hoje, em que prioriza o drama e o lado performático dos participantes, para obter maior audiência.

"Era mais cerebral", destacou. "Os chefs hoje disputam grandes prêmios. Eu nunca segui a carreira culinária", completou.

Em 2001, o programa migrou para outro o canal BBC 2 e sofreu uma grande reformulação. Não deu certo: as mudanças foram duramente criticadas, rejeitadas pelo público, e a atração saiu do ar.

A reviravolta veio em 2005, quando o próprio Franc Roddam relançou o formato ao lado dos produtores John Silver e Karen Ross. Nascia, aí, o MasterChef nos moldes que conhecemos atualmente, com pequenos ajustes ao longo dos anos.

Variações

Se existe um país onde MasterChef faz muito sucesso é a Austrália. No ar desde 2009, já foram realizadas sete temporadas. Para se ter uma ideia, a final da segunda temporada, em 2010, se tornou um dos programas mais vistos da história da televisão local.

O MasterChef está presente em países que tradicionalmente consomem formatos de reality show, como Estados Unidos, Canadá e França, mas também foi produzido em Bangladesh, Islândia, Albânia e Paquistão.

O formato do reality show conta com diversas variações, como a versão Júnior, para crianças, que surgiu em 1994, ainda no Reino Unido, e já está sendo produzida pela Band, com exibição a partir de outubro. Também existem formatos para cozinheiros profissionais (MasterChef: The Professionals) e para celebridades (Celebrity MasterChef). Na Austrália, em 2012, foi realizada uma edição com ex-participantes para levantar fundos para instituições de caridade.


► Curta o Notícias da TV no Facebook e fique por dentro de tudo na televisão

► Siga o Notícias da TV no Twitter: @danielkastro

Leia também

Enquete

Qual o personagem mais chato de Pantanal?

Mais lidas


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.