Insegurança

Taís Araújo: 'Deixei de ir à praia porque minha bunda é cheia de estria'

João Miguel Júnior/TV Globo

Taís Araújo revela que aceitou imperfeições no corpo e assume erro na carreira - João Miguel Júnior/TV Globo

Taís Araújo revela que aceitou imperfeições no corpo e assume erro na carreira

MÁRCIA PEREIRA - Publicado em 07/04/2018, às 06h25

Rumo aos 40 anos, Taís Araújo diz que amadurecer é uma bênção. Ela afirma que atualmente assume seu corpo com todos os defeitos sem sofrer. Mas nem sempre foi assim. "Eu deixei muito de ir à praia porque minha bunda é cheia de estria. Quanto eu deixei de curtir porque eu tinha vergonha! Hoje, eu não estou nem aí. Acho que é uma conquista da idade", diz.

A atriz afirma que, como todo mundo, se olha no espelho e não gosta de algumas coisas. "Até penso: 'Tenho de parar de beber. Olha só, estou cheia de celulite. É a cachaça que faz isso comigo'. Mas adoro uma bebidinha", confidencia.

Taís conta que esses pensamentos, no entanto, são momentâneos e que não abre mão de alguns pequenos prazeres. Afirma que comer aquilo que tem vontade e enfiar o pé na jaca de vez em quando lhe fazem muito bem.

"Alguém pode ir jantar n'A Casa do Porco [restaurante paulistano]? Não, né? Mas eu fui ontem [dia 5]. Isso me dá prazer. Quando você vai envelhecendo, as conquistas são tantas, sou tão orgulhosa da minha trajetória que não é uma celulite, uma estria, uma coisa assim que vai fazer com que essa história seja desmerecida", comenta.

A atriz voltará ao ar na quarta temporada de Mister Brau a partir do próximo dia 24. A intérprete de Michele diz que faz dietas quando precisa, se cuida, mas não tem nenhuma obsessão em ter um corpo perfeito.

"Trabalho muito, muitas horas, fico longe dos meus filhos, do meu marido, da minha casa. Então, quero o que me dá prazer. Isso está além do que vemos no espelho. Mas eu falo isso agora, com 18 [anos] eu estava cagadinha", dispara, aos risos.

A mulher de Lázaro Ramos revela qual foi o momento em que se sentiu mais insegura na carreira. Taís ficou estremamente abalada com as críticas que recebeu quando fez a protagonista Helena, da novela Viver a Vida (2009), de Manoel Carlos. 

reprodução/tv globo

Taís Araújo em cena com José Mayer em Viver a Vida, novela exibida em 2009 pela Globo

"No meio de uma situação de crise, é muito difícil você enxergar o que realmente está acontecendo. Eu estava muito fragilizada. Dei crédito e falei: 'Não dá pra mim. Sou péssima, minha carreira acabou aqui'", recorda.

Após um tempo querendo escolher outra profissão, ela lembra que, dentro dela, algo dizia que mudar era fugir do problema. Não era um desejo genuíno. Por isso, ela decidiu voltar para o começo de sua história na interpretação.

"Fui produzir teatro para escolher um texto que não seria natuaralmente oferecido a mim. Provavelmente, eu ia passar a vida fazendo um tipo único de personagem. Aí eu fui escolher os textos que eu queria e da maneira que eu queria. Fiz peça para 20 pessoas em um teatro na Consolação [região central de São Paulo] que tem capacidade para 150. Fiquei um ano fazendo isso", conta.

Foi aí que surgiu um papel de sucesso: a empreguete Penha, de Cheias de Charme (2012). "Mesmo assim, eu ainda não tinha a certeza de ter dado o passo certo."

Fazendo uma reflexão, ela afirma que passaria por tudo isso de novo. "A atriz que eu sou hoje partiu da frustração, do erro, do momento de insegurança. O erro é fundamental. Nem sempre a gente acerta, e o erro não era só meu."

Leia também

 

 

Enquete

O que você achou do vaivém de Datena na Band?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook