Bastidores

Sem volta, punição de William Waack é comemorada e lamentada na Globo

Reprodução/TV Globo

William Waack no último Jornal da Globo que apresentou, na terça; volta é improvável - Reprodução/TV Globo

William Waack no último Jornal da Globo que apresentou, na terça; volta é improvável

DANIEL CASTRO - Publicado em 09/11/2017, às 11h10

O afastamento de William Waack do Jornal da Globo por causa de uma suposta declaração racista gravada em vídeo é visto como irreversível por executivos e jornalistas da emissora.

Nos bastidores da Globo, a notícia foi recebida com um misto de perplexidade e de celebração. Alguns comemoraram, pois Waack tem um histórico de arrogância, mas também teve muito profissional que lamentou, afinal ele também é um jornalista extremamente qualificado.

Em nota oficial, a Globo declarou que irá conversar com Waack, a partir de hoje (9), sobre os "próximos passos". Para observadores da cúpula da emissora, no entanto, esses "próximos passos" não incluem o retorno ao Jornal da Globo.

Na nota oficial (leia no final deste texto), a Globo aponta que o âncora fez "comentários, ao que tudo indica, de cunho racista". A afirmação reconhece margem para a dúvida, mas a dúvida deve persistir, já que Waack dificilmente conseguirá provar que é inocente.

E o recado já foi dado: a Globo não tolera manifestações racistas (nem atitudes machistas, como as que podem ter encerrado a carreira do ator José Mayer). Em outras palavras, a Globo não vai arcar com o ônus de falas e atos com os quais não concorda, posicionamento que ele deixa claro em documentos divulgados internamente.

Coisa de preto?
O vídeo que vazou na internet na quarta-feira (8) foi gravado há exatamente um ano. Waack estava em Washington para a cobertura das eleições dos Estados Unidos e se preparava para entrar no ar ao vivo, quando um motorista passou na rua, buzinando.

"Está buzinando por que, seu merda do cacete?", reclama Waack. Em seguida, ele se vira para o comentarista Paulo Sotero e afirma: "Deve ser um, com certeza, não vou nem falar de quem, eu sei quem é. Sabe o que é?".

Sotero parece confuso, e Waack move sua boca em um cochicho inaudível. Segundo internautas, ele teria dito "Preto, né? É coisa de preto com certeza". Segundo o comunicado da Globo, Waack afirmou não se lembrar do ocorrido, mas pediu sinceras desculpas.

Waack foi substituído ontem mesmo pela jornalista Renata Lo Prete, que leu no ar o comunicado oficial sobre seu afastamento _outro forte argumento dos que não acreditam no retorno do jornalista ao telejornal.

Sem supresas
Para boa parte dos profissionais da Globo em São Paulo, o vídeo que derrubou William Waack não foi nenhuma surpresa. Fontes ouvidas pelo Notícias da TV relatam que o âncora tem fama de ser arrogante e uma extensa lista de pessoas maltratadas.

Durante algum tempo, Waack estacionou seu carro em vaga de estacionamento destinada a deficientes físicos porque ela ficava mais próxima do acesso à Redação.

Reservadamente, jornalistas relatam que já ouviram de Waack afirmações machistas e racistas, mas ressalvam que não sabiam se ele estava falando sério ou não.

Os defensores de William Waack ressaltam sua qualificação profissional, que vai de sólidos conhecimentos de geopolítica, estratégia militar e aviação _ele é piloto. E lamentam que todo esse preparo não sirva de nada diante de um comentário que, até alguns anos atrás, era tolerado.

Confira o comunicado da Globo na íntegra:

"A Globo é visceralmente contra o racismo em todas as suas formas e manifestações. Nenhuma circunstância pode servir de atenuante. Diante disso, a Globo está afastando o apresentador William Waack de suas funções em decorrência do vídeo que passou hoje a circular na internet, até que a situação esteja esclarecida."

"Nele, minutos antes de ir ao ar num vivo durante a cobertura das eleições americanas do ano passado, alguém na rua dispara a buzina e, Waack, contrariado, faz comentários, ao que tudo indica, de cunho racista. Waack afirma não se lembrar do que disse, já que o áudio não tem clareza, mas pede sinceras desculpas àqueles que se sentiram ultrajados pela situação."

"William Waack é um dos mais respeitados profissionais brasileiros, com um extenso currículo de serviços ao jornalismo. A Globo, a partir de amanhã [9], iniciará conversas com ele para decidir como se desenrolarão os próximos passos."

Veja o vídeo que vazou na internet na quarta-feira (8):

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Para utilizá-lo, você deve estar logado no Facebook. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

 

+ Lidas

Bloco de Notas

Crimes na floresta

Ciro Guerra recebe Prêmio Fênix pela direção do filme Abraço da Serpente, de 2015 - Reprodução A Netflix anunciou que fará uma série ambientada na floresta amazônica. Ainda sem nome definido, a produção se passará na fronteira da Colômbia com o Brasil e mostrará um jovem detetive e seu parceiro durante ... Leia +

Leia todas as notas

Enquete

Você pretende assistir Apocalipse, nova novela da Record?

Redes sociais

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook