TALK SHOW

Raul Gil explica por que foi demitido e recontratado por Silvio Santos

Antonio Chahestian/RecordTV

Raul Gil em entrevista para Fábio Porchat que foi exibida na madrugada desta terça (11) - Antonio Chahestian/RecordTV

Raul Gil em entrevista para Fábio Porchat que foi exibida na madrugada desta terça (11)

REDAÇÃO - Publicado em 10/07/2017, às 16h28 - Atualizado em 11/07/2017, às 01h10

Em entrevista a Fábio Porchat, Raul Gil falou pela primeira vez sobre os motivos que levaram Silvio Santos a demiti-lo no ano passado e recontratá-lo apenas dois meses depois. De acordo com o apresentador, o dono do SBT deveria pagar a ele cerca de R$ 200 mil a mais por programa, referentes a anúncios de produtos do Grupo Silvio Santos.

O contrato de Raul com o SBT é diferenciado, feito em um esquema de sociedade: no acordo, a emissora e o artista dividem tanto os gastos com a produção quanto as receitas recebidas com publicidade. "Mas com as propagandas do Baú da Felicidade, do hotel [Jequitimar], Jequiti, eu deveria ganhar uns R$ 200 mil a mais", contou.

Na época, Raul comentou com um colega de emissora sobre a situação envolvendo o repasse de renda desses produtos. A conversa chegou aos ouvidos de Silvio, que chamou o apresentador de 79 anos para um papo em seu camarim.

"Era um sábado, estava passando meu programa. Ele sentou e falou: 'Eu vou tirar você do ar. Está reclamando muito'. 'Mas eu não reclamando, Silvio'. 'Me falaram que você está reclamando porque não recebe da Jequiti'. Pronto, eu já sabia quem tinha falado", disse Raul, que não quis revelar a Porchat quem era o amigo fofoqueiro: "Deixa isso pra lá".

Raul continuou a história: "Eu bati na mão dele, dois velhinhos amigos desde 1961, e falei: 'Silvio, a Jequiti, o Carnê da Felicidade, isso é tudo seu. Se você está me dispensando, tudo bem'. 'Você vai pra Record?', ele perguntou. 'Não, a Record não me quer, eu sou velho demais'. 'Vai pra RedeTV!, então?'. 'Eu não vou pra canto nenhum, vou parar, não preciso mais ganhar dinheiro'", lembrou Raul.

Depois de duas semanas, Raul foi chamado para assinar a rescisão do seu contrato. "Mas a minha intuição dizia que em dois meses eu estaria de volta", contou ele, que inicialmente ficaria no ar apenas até 24 de dezembro.

Silvio, então, chamou o apresentador para explicar que, em janeiro, colocaria desenhos e filmes para preencher a faixa de programação até a estreia do novo programa de Celso Portiolli. "Falei que não precisava, que eu ficaria até o Portiolli estar pronto para entrar no ar. Amigo é para essas coisas, né?", explicou Raul.

Em janeiro, Raul recebeu um telefonema de Guilherme Stoliar, sobrinho de Silvio Santos e presidente do SBT. O executivo foi direto: "Posso pedir para meu tio para você não ir embora?". Duas horas depois, outra ligação: o apresentador teria seu contrato renovado com a emissora.

De acordo com Raul, Silvio estava de férias nos Estados Unidos e perguntou ao sobrinho como estava o apresentador. "Você mandou ele embora", disse Stoliar. "Eu? Eu não! Vai pro Brasil agora e acerta com ele, então", respondeu Silvio.

Apesar da mudança de atitude súbita, Raul disse que Silvio não está ficando senil. "É tudo pensado. Quando ele deixa a calça cair, é porque está preparado por baixo".

Segundo Raul Gil, a confusão não gerou ressentimentos: "O Silvio Santos me ensinou a viver, a ganhar dinheiro. Se comecei como animador, eu me inspirei em Silvio Santos. Eu amo o Silvio Santos. Ele é um vencedor, sempre me espelhei nele".

A Fábio Porchat, Raul também previu que Silvio vai continuar na televisão por muito tempo: "Toda noite eu oro para ele ter uma vida muito longa. Ele vai morrer com 110 anos no palco", especulou o apresentador.

Sem papas na língua, Raul também falou sobre Luan Santana e outros artistas que ele revelou em seu programa e que, depois do sucesso, não voltaram mais para seu palco. O apresentador disse que não tem raiva e desconversou: "Não tem problema, fico feliz com o sucesso deles. Não tenho mágoa nenhuma. Você não precisa de vingança, Deus está vendo tudo".

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Para utilizá-lo, você deve estar logado no Facebook. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

 

+ Lidas

Bloco de Notas

Crimes na floresta

Ciro Guerra recebe Prêmio Fênix pela direção do filme Abraço da Serpente, de 2015 - Reprodução A Netflix anunciou que fará uma série ambientada na floresta amazônica. Ainda sem nome definido, a produção se passará na fronteira da Colômbia com o Brasil e mostrará um jovem detetive e seu parceiro durante ... Leia +

Leia todas as notas

Enquete

Você pretende assistir Apocalipse, nova novela da Record?

Redes sociais

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook