LUTO

Morre Paulo Silvino, grande nome do humor, eterno porteiro do Projac

Divulgação/Globo

O humorista Paulo Silvino em cena como o personagem Severino de Zorra Total, em 2015 - Divulgação/Globo

O humorista Paulo Silvino em cena como o personagem Severino de Zorra Total, em 2015

REDAÇÃO - Publicado em 17/08/2017, às 11h28

Morreu na manhã desta quinta-feira (17), aos 78 anos, o ator Paulo Silvino (1939-2017). Segundo a TV Globo, ele estava em sua casa, no Rio de Janeiro, e não resistiu a complicações de um câncer no estômago, contra o qual lutava desde o ano passado. Silvino ficou consagrado como comediante ao participar do elenco de diversos programas humorísticos ao longo 50 anos na emissora.

Paulo Silvino começou a carreira artística na música: aos 20 anos, lançou um disco de samba, no qual cantava canções de sua autoria. Na década de 1960, passou a trabalhar mais no teatro e também atuou em emissoras como TV Tupi, TV Rio e TV Excelsior.

A estreia na Globo aconteceu em 1966 como apresentador do programa Canal 0, que tirava sarro da programação das emissoras no Brasil. 

O talento de Silvino foi, a partir de então, explorado em outras atrações da Globo: ele se destacou em programas como Faça Humor, Não Faça Guerra (1970-1973), Satiricom (1973-1975), Planeta dos Homens (1976-1982) e Viva o Gordo (1981-1987). O humorista chegou a substituir Chacrinha no Cassino do Chacrinha, em 1988.

Silvino também passou pelo SBT de 1989 a 1992, quando atuou em A Praça É Nossa e na Escolinha do Golias, ao lado de Ronald Golias (1929-2005). De volta à Globo, foi o aluno Olegário Carnaval da Escolinha do Professor Raimundo, de 1993 a 1995.

Na década de 1990, Silvino enfrentou um drama na família. Seu filho Flávio, que também era ator e cantor, sofreu um grave acidente de carro, em 1993, e ficou três meses em coma. Ele vive até hoje com sequelas cerebrais e fez apenas breves participações na TV desde então.

O humorista, no entanto, continuou o trabalho na Globo nas décadas de 2000 e 2010. No Zorra Total, ele interpretou vários personagens, e Severino foi o mais famoso deles (com o bordão "Cara crachá"). Deixou o programa neste ano.

Em 2016, o ator descobriu que tinha um endocarcinoma (câncer de estômago) e foi submetido a uma cirurgia e sessões de quimioterapia. A doença, no entanto, se espalhou, e a família preferiu manter o humorista em casa.

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Para utilizá-lo, você deve estar logado no Facebook. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

 

+ Lidas

Bloco de Notas

Três É Demais

Jodie Sweetin (centro) como Stephanie em Fuller House, reboot de Três É Demais - Divulgação/Netflix A atriz Jodie Sweetin, que viveu a Stephanie na série Três É Demais (1987-1995) e repete a personagem em Fuller House, confessou nunca ter visto um episódio completo da atração em que atuou quando era ... Leia +

Leia todas as notas

Enquete

Quem é seu jurado preferido do The Voice?

Redes sociais

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook
Fechar
Click Click