Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

Fé suspeita

Novas séries demonizam igrejas e expõem escândalos de padre e pastores

Divulgação/AMC

O ator Dominic Cooper na série Preacher: reverendo com cigarro na boca e Bíblia na mão - Divulgação/AMC

O ator Dominic Cooper na série Preacher: reverendo com cigarro na boca e Bíblia na mão

JOÃO DA PAZ

Publicado em 3/7/2016 - 8h38

Uma nova onda de séries está demonizando igrejas e colocando em evidência padres e pastores que mancham a fé com escândalos e baixarias. Em Outcast, da Fox, o protagonista é um reverendo exorcista que bebe e joga pôquer. No drama Preacher, da AMC, um reverendo charlatão recebe uma entidade que lhe dá um poder "que não vem do Céu". E Greenleaf, produzida por Oprah Winfrey, traz um pastor ganancioso, dono de uma igreja riquíssima, investigada por desvios de verbas dos fiéis.

divulgação/cinemax

Em Outcast, Philip Glenister interpreta um reverendo exorcista clássico, com cruz e água benta

Reverando beberrão

Do mesmo criador de The Walking Dead, Outcast (Fox) conta a história do jovem Kyle Barnes (Patrick Fugit), que sofre possessões desde a infância e decide embarcar em uma jornada espiritual para se livrar da tormenta. Ao seu lado está o reverendo Anderson (Philip Glenister), que também tem um passado de demônios.

O reverendo, porém, percebe que perdeu o poder de exorcismo. Cético, embarca no mundo da devassidão, se entregando a cigarros, bebidas e jogos de azar. Na história em quadrinhos que originou a série, o personagem chega a faltar em um culto, alegando estar doente. O encontro com Kyle e benéfico para ambos: o jovem pode encontrar as respostas que procura e o reverendo, recuperar a unção perdida.

divulgação/AMc

Dominic Cooper interpreta reverendo possuído por uma entidade não divina na série Preacher

Reverendo possuído

Em Preacher, o religioso protagonista também curte uma bebida (uísque) e um cigarro, mas o problema dele é mais sério. Jesse Custer (Dominic Cooper) é um reverendo, filho de um veterano da Guerra do Vietnã (1955-1975), que tenta encontrar Deus em uma cidade pequena do interior do Estado do Texas. Fracassado e sem carisma na pregação, Jesse vê sua igreja humilde ficar cada dia mais vazia. Tudo muda quando uma entidade toma o corpo dele.

Chamada de Gênesis, a manifestação supernatural tentou antes, sem sucesso, incoporar em outros religiosos. As primeiras cobaias foram um pastor na África e um satanista _na ficção, até Tom Cruise, simpatizante da Cientologia, foi vítima. Todos explodiram ao serem possuídos. Gênesis encontra lar no corpo de Jesse, que passa a ter o poder do convencimento. O reverendo usa seu novo poder para ganhar novos fiéis, custe o que custar.

divulgação/own

Na série Greenleaf, Keith David dá vida a um pastor ganancioso de retórica convincente

Pastor ganancioso

A ganância das igrejas evangélicas é o tema central de Greenleaf, uma das principais apostas do ano. A série do canal OWN, de Oprah Winfrey, trata de uma família rica e poderosa da cidade de Memphis. O patriarca James (Keith David) é o comandante da igreja Calvary Fellowship World Ministries, com um templo com 4.000 lugares. Ganancioso, o autointitulado bispo tem uma retórica fascinante inspirada na Teologia da Prosperidade. Sua congregação é alvo de investigação no Senado americano. Suspeita-se do desvio do dízimo de fiéis, que, assim como no Brasil, não é tributado, para fins pessoais.

Enquanto cuida dos fiéis, o bispo luta para manter sua família unida. Uma filha acabou de morrer (aparentemente foi um suicídio),  a outra largou o ministério para ser jornalista e seu único filho homem trai a mulher com a secretaria do pai _o casal é apresentado transando nas instalações da igreja, ela com uma Bíblia na mão. Além de ter duas netas que usam maconha e cocaína na surdina. E um cunhado suspeito de pedofilia.


► Curta o Notícias da TV no Facebook e fique por dentro de tudo na televisão

► Siga o Notícias da TV no Twitter: @danielkastro

Leia também

Enquete

Pantanal perde audiência: novela está chata?

Mais lidas


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.