FULLER HOUSE

De agressão doméstica a prisão e rehab: a série Três É Demais que ninguém vê

Divulgação/Netflix

O elenco da série Fuller House em cena da terceira temporada, que estreia na sexta-feira (22) - Divulgação/Netflix

O elenco da série Fuller House em cena da terceira temporada, que estreia na sexta-feira (22)

MARCELA BONAZZI - Publicado em 19/09/2017, às 05h38

Em 22 de setembro de 1987, estreava Full House, que ficaria famosa no Brasil como Três É Demais. O sucesso foi tanto que, 21 anos depois do seu término, a série foi resgatada pela Netflix em 2016 para um revival, chamado Fuller House, que mostra as crianças da produção original crescidas e passando pela mesma situação que viveram quando crianças: precisam se unir para cuidar dos filhos de DJ (Candace Cameron Bure) depois da morte do seu marido.

Mas nem tudo são flores, e muitas polêmicas cercam a nova produção, que já teve duas temporadas. As gêmeas Mary-Kate e Ashley Olsen, que se revezavam na pele de Michelle Tanner, a filha caçula de Danny (Bob Saget), não aceitaram voltar para a nova leva de episódios. E a atriz Jodie Sweetin, intérprete de Stephanie Tanner, teve de gravar com o pé engessado após sofrer uma agressão do ex-namorado.

A seguir, sete curiosidades obscuras sobre os bastidores de Fuller House, que estreia sua terceira nova temporada na plataforma de streaming nesta sexta-feira (22), mesmo dia em que a série original celebra seus 30 anos:

REPRODUÇÃO/INSTAGRAM

A atriz Jodie Sweetin fraturou o tornozelo; problemas pessoais provocaram mudanças na série

Violência doméstica
Jodie Sweetin, intérprete de Stephanie Tanner, fraturou o tornozelo esquerdo no fim de janeiro de 2017, poucas semanas antes de a produção da terceira temporada se iniciar. Os roteiristas tiveram que correr contra o tempo para alterar a história da personagem e incluir essa mudança na história _tanto que, no trailer, ela aparece com a bota em algumas cenas e sem ela em outras.

Ao E! Online, Jodie explicou que os produtores não tiveram escolha a não ser mudar a história: "Não tem como esconder que não consigo andar. Eu só posso ser um enfeite em cena em alguns momentos, mas não posso ficar imóvel o tempo todo".

O que pouca gente sabe é que a história contada por Jodie, de que teria se machucado pulando uma cerca, era apenas um disfarce para uma agressão doméstica. Ela estava noiva de Justin Hodak. Terminou com ele em março e conseguiu uma ordem de restrição alguns dias depois. Ele violou a determinação, chegou perto da casa da atriz e ameaçou se matar. Acabou preso.

reprodução/netflix

Dave Coulier guardou boneco que usou nos anos 1990 de souvenir, mas teve que usar réplica

A morte do senhor Rói Tudo
Infelizmente, o senhor Rói Tudo não sobreviveu aos anos 1990. O boneco, manipulado por Joey (Dave Coulier) e chamado em inglês de Mister Woodchuck, precisou de uma réplica depois que um cachorro comeu o fantoche original, pouco depois do término da atração.

O ator contou ao Mashable: "Eu coloquei o Mister Woodchuck no final do corredor na minha casa e, quando o Ranger era filhote, ele rosnava para ele. Um dia cheguei em casa e vi os olhos do Mister Woodchuck e um monte de espuma no chão. Meu cachorro tinha comido a cara do boneco".

Quem presenteou a produção com uma nova versão do fantoche foi o apresentador Jimmy Fallon, que comanda o The Tonight Show.

reprodução/abc

A casa usada como cenário da série fica no número 1709 da rua Broderick, em San Francisco

A casa da discórdia
Quando um cenário é famoso, como o apartamento de Friends ou a casa de Carrie Bradshaw em Sex and the City, o ponto acaba virando parada turística. Foi o que ocorreu com a casa usada como fachada para Três É Demais, que fica em San Francisco. Mas os antigos donos da propriedade não gostaram nada da quantidade de fãs que visitavam o local todos os dias (em torno de 250 pessoas) e resolveram vendê-la. Sabe quem a comprou? Jeff Franklin, o criador da sitcom!

Ele reformou toda a propriedade, que era de 1883, e pagou US$ 4 milhões (R$ 12,52 milhões), garantindo que manteria a propriedade com a mesma aparência da série para que os fãs pudessem curti-la.

"Ninguém nos permitiu rodar nenhuma cena naquela casa desde que fizemos a primeira gravação em abril de 1987. Nossos telespectadores viram os mesmos carros passando em frente àquela casa por 29 anos. Vai ser bacana ver novos veículos passar", contou ele em entrevista ao Hollywood Reporter.

reprodução/netflix

Fox e Dashiell Messitt dão vida a Tommy Jr. (à esq.), filho caçula de DJ no revival da Netflix

Bebês distraídos
Trabalhar com bebês não é nada fácil, até porque eles são bastante imprevisíveis. Com as gêmeas Olsen ou até Blake e Dylan Tuomy-Wilhoit (que viveram Nicky e Alex na série original e fazem pontas na nova produção), o improviso era não só bem-vindo, como abraçado. Com Fox e Dashiell Messitt (que interpretam Tommy Jr.), os atores transformaram os imprevistos em piada interna.

Os bebês se distraem sempre com as luzes do estúdio ou com os microfones que pairam acima do elenco. Então, os atores sempre brincam em cena que Tommy está enxergando algo que ninguém mais pode ver, o que resulta em todos os personagens olhando para cima e procurando algo inexistente.

divulgação/netflix

A sala da casa se tornou icônica e teve que ser refeita e pensada nos mínimos detalhes

Binge watching
Para alguns fãs, rever todos os episódios é um prazer; porém, para a equipe de produção, virou uma obrigação. Acontece que, quando foram montar os estúdios para Fuller House, as plantas de Três É Demais não foram encontradas, então uma grande maratona foi feita para que a casa fosse refeita nos mínimos detalhes.

divulgação/netflix

John Stamos faz par com Lori Laughlin na série: sua passagem pela rehab atrasou a produção

Prisão e rehab
John Stamos é um dos destaques da série na pele do roqueiro tio Jesse, mas, fora das câmeras, ele não foi tão exemplar assim: antes de começar a produção da primeira temporada da Fuller House, ele foi preso por dirigir sob a influência de drogas e teve que passar um período de 30 dias em uma clínica de reabilitação, atrasando o começo das gravações.

Divulgação/abc

Mary-Kate e Ashley Olsen se dividiam na função de interpretar a caçula da família, Michelle

Sem Olsen
Uma das maiores frustrações dos fãs é que as gêmeas Olsen não toparam voltar para o revival. Os produtores chegaram a considerar uma nova atriz para o papel: a preferida era a russa Olesya Rulin, por sua semelhança física com as irmãs.

Mas acabaram optando por fazer piada com essa ausência, justificando que Michelle estava ocupada demais construindo seu império da moda em Nova York; o que Mary-Kate e Ashley Olsen realmente estão fazendo.

Do elenco, só as duas realmente não mantiveram um relacionamento próximo com o resto do elenco, tanto que Mary-Kate se casou com o francês Olivier Sarkozy enquanto a primeira temporada do revival era rodada e nenhum dos antigos colegas foi chamado. Em 2014, quando Dave Coulier se casou com Melissa Bring, John Stamos (Jesse), Candace Cameron Bure (DJ), Andrea Barber (Kimmy) e Bob Saget (Danny) foram prestigiar a união do colega.

Tudo sobre

Netflix

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

Enquete

Quem é a mãe mais surtada de Amor de Mãe?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook