Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

O DILEMA DAS REDES

Black Mirror da vida real, documentário da Netflix mostra o lado ruim das redes sociais

REPRODUÇÃO/NETFLIX

Ex-funcionário do Google, Tristan Harris, sentado em uma cadeira: ele olha para a frente e usa camisa social preta

Ex-funcionário do Google, Tristan Harris é um dos personagens principais do documentário da Netflix

Se em Black Mirror (2011-2019) o espectador acompanhava a obra fictícia de Charlie Brooker sabendo que toda a trama não é baseada na realidade, no documentário O Dilema das Redes (2020) o protagonista é o usuário real. A obra é uma verdadeira caixa de Pandora das mídias sociais. 

A produção mistura depoimentos reais de ex-funcionários de gigantes empresas de tecnologia e cenas fictícias da rotina de uma família norte-americana de classe média. Na trama, o comportamento dos personagens é moldado de acordo com o que eles encontram em seus "feeds". 

Com o uso dessa analogia, o título revela o lado obscuro das redes sociais: os algoritmos dessas plataformas são plenamente responsáveis por alterar o comportamento humano em prol do lucro. 

O modelo de negócio dessas empresas é baseado em lucrar por meio de visualizações de anúncios publicitários. Ou seja, o algoritmo dessas redes foi feito para que o usuário passe cada vez mais tempo "rolando" a tela do celular ou computador. 

No entanto, a pegadinha está na maneira como essa dinâmica é feita. Com a leitura exata de informações que o usuário deixa na plataforma, o algoritmo cria uma rotina personalizada e mostra somente o que é de interesse para ele.

A falta de conteúdos diferentes contribui para a criação de uma bolha, já que o usuário só interage com aquilo que lhe agrada. Mas também cria um ambiente que intensifica a disseminação de informações falsas ou distorcidas. O  algoritmo pode apresentar apenas conteúdos que corroboraram com o pensamento do espectador, mas que não necessariamente sejam verdade.

Esse foi um dos motivos que levou o ex-funcionário do Google Tristan Harris a pedir demissão da gigante de tecnologia. O especialista em tecnologia foi responsável pela criação do Gmail e do Google Drive. 

Conhecido como "a voz da consciência" do Vale do Silício, região nos Estados Unidos onde estão sediadas as maiores empresas do ramo tecnológico, Harris abriu mão de seu posto ao notar a passividade da empresa em resolver tais problemas.

Atualmente, ele é fundador do Center for Humane Technology, uma organização sem fins lucrativos que defende a ética da tecnologia do consumidor. Ele também viaja pelo mundo com palestras que reforçam o lado obscuro das redes sociais. E isso, realmente, é muito Black Mirror.

Confira o trailer de O Dilema das Redes:



Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

O que você achou do Disney+?