Carol Zoccoli

Eliminada por Monica Iozzi no CQC, atriz hoje leva a palhaçada a sério

Reprodução/CBC

A comediante Carol Zoccoli em apresentação de stand-up na emissora canadense CBC - Reprodução/CBC

A comediante Carol Zoccoli em apresentação de stand-up na emissora canadense CBC

FERNANDA LOPES - Publicado em 22/03/2018, às 06h06

Em menos de dez anos, Carol Zoccoli foi de participante eliminada de um programa de TV a professora de uma das mais importantes escolas para atores do mundo. A comediante ficou conhecida ao participar de um concurso para repórter do CQC, em 2009. Terminou em segundo lugar, superada por Monica Iozzi. Hoje, vive no Canadá, onde faz shows na TV e dá aulas em um curso que já revelou nomes como Tina Fey e Steve Carell.

Formada em Filosofia pela USP (Universidade de São Paulo) e atriz desde 2006, Carol se mudou para o Canadá em 2013. Morar fora do Brasil era um sonho antigo, que foi adiado enquanto ela tentava se emplacar como comediante no Brasil.

"Meus documentos só chegaram em 2009, justamente depois do concurso do CQC. Eu fiquei na dúvida se queria ir ou não, porque seria muito difícil fazer comédia lá fora. Além da língua, eu não sabia se conseguiria alcançar o nível dos comediantes norte-americanos", explica a profissional, hoje com 35 anos.

"Em 2013, esses documentos de imigração venceriam e, se eu não fosse, iria perder o direito. Então, decidi encarar o desafio de fazer comédia em outra língua e em outra cultura. Até porque tenho um diploma em Filosofia, quer dizer, eu não sei fazer nada! Comédia é minha única opção", brinca.

Agnews

Monica e Carol na fase final do concurso do CQC

Quando chegou em Toronto, no leste do Canadá, Carol foi estudar inglês e técnicas de comédia e improviso na Second City. A escola tem várias filiais pela América do Norte, e foi onde começaram também comediantes consagrados dos Estados Unidos, como Tina Fey, Amy Poehler, Steve Carell e Stephen Colbert.

"Hoje, dou aulas de improviso lá e faço shows de esquetes como atriz e improvisadora com uma das companhias [da escola]", explica Carol.

Ela também dá aulas de comédia no Brasil _volta pelo menos uma vez por ano ao país onde nasceu para cursos, apresentações e gravações.

Carol conta que teve de se esforçar muito para conquistar seu espaço na cena do stand-up canadense e ser bem-sucedida. Além da barreira por ser imigrante e ter sotaque, há a concorrência: só em Toronto, ela conta, há mais de 3 mil comediantes.

"É mais fácil [progredir no Canadá] no sentido de que todo mundo sabe o que é stand-up, mas mais difícil porque todas as piadas já foram feitas. Se você fizer algo com cara de 'piada velha', não cola de jeito nenhum. Tem que suar!", resume.

"Não dá para ser mediana, minha competência tem que ser inegável. Existe uma barreira por ser imigrante, ter sotaque, já rola uma dúvida mesmo antes de eu abrir a boca. Mas eu não paro pra ouvir os 'nãos'", afirma ela, determinada.

Em 2015, Carol ganhou o prêmio de comediante revelação da secretaria de Cultura de Ontário. Hoje, ela também apresenta seus shows de comédia em pé na CBC, emissora mais popular do país. Um deles será exibido nesta quinta (22), e ela gravará uma nova apresentação para abril.

reprodução/instagram

Carol Zoccoli hoje faz shows de comédia e dá aula em uma escola de improviso no palco

Legado do CQC
Carol começou a participar ativamente dos shows de comédia em pé no Brasil no fim da década de 2000. Foi nessa época que ela se inscreveu no concurso que selecionaria o oitavo integrante do CQC.

A atriz passou por dezenas de testes de desenvoltura e comédia e chegou até a final, ao lado de Monica Iozzi. Em escolha popular, ela teve 48% dos votos para ser contratada, contra 52% de Monica, que trabalhou no CQC durante quatro anos.

Mesmo com a derrota, a exposição na atração levou Carol a outros trabalhos. Ela atuou no É Tudo Improviso (2010-2012), também da Band, e no Saturday Night Live (2012), adaptação fracassada do humorístico norte-americano na RedeTV!. Ela acredita que o CQC teve um importante papel para que chegasse onde está hoje.

"Foi uma ótima experiência para mim. Até hoje as pessoas elogiam a minha atuação durante os testes, tanto nas redes sociais quanto ao vivo. A parte chata foi perder (risos)!", brinca.

"Acho que o caminho que a minha carreira tomou tem muito a ver comigo. Ter que sempre dar o meu máximo para fazer comédia em inglês na América do Norte, que é o 'berço do stand-up', me impulsiona. E o fato de estar conseguindo é imensamente gratificante", declara.

Leia também

 

 

Enquete

O que você achou do vaivém de Datena na Band?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook