Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

MEMÓRIA DA TV

De Xuxa a Galvão Bueno: Silvio Santos tentou contratar diversas estrelas da Globo

REPRODUÇÃO/SBT

Xuxa Meneghel segurando estatuetas, em frente a Silvio Santos durante Troféu Imprensa

Xuxa Meneghel e Silvio Santos durante Troféu Imprensa; apresentadora foi sondada pelo SBT

THELL DE CASTRO

Publicado em 5/12/2021 - 7h06

Ao longo da trajetória de 40 anos do SBT, Silvio Santos já desferiu alguns golpes na Globo e tirou da emissora estrelas como Sérgio Chapelin, Jô Soares, Lilian Witte Fibe e Ana Paula Padrão. Contudo, o animador também tentou contratar outros famosos da casa, oferecendo contratos milionários em diversas ocasiões, mas não teve sucesso.

Um dos principais exemplos é Xuxa Meneghel. Estrela da Globo a partir de 1986, a Rainha dos Baixinhos foi convidada algumas vezes por Silvio Santos para ingressar no SBT, mas nunca fechou negócio.

Em 1988, quando Silvio e Roberto Marinho costuraram acordo para que Gugu permanecesse no SBT após ser contratado pela Globo, o dono da emissora líder teria pedido para que o "homem do baú" não fizesse mais propostas milionárias para seus astros, incluindo Xuxa.

Mas isso não aconteceu: em 1994, por exemplo, a mídia registrou diversas conversas da apresentadora com Silvio, que, no entanto, não foram adiante.

Amigo de longa data de Silvio Santos, já que eles começaram a carreira juntos em um concurso para locutores, Chico Anysio também era um sonho de consumo do dono do SBT. O humorista recebeu algumas propostas ao longo da vida para trocar de emissora. 

Uma delas, inclusive, foi revelada publicamente: quando o humorista foi ao Show de Calouros, em 1989, receber o Troféu Imprensa, Silvio contou que Anysio esteve em sua casa para conversar. Ele também disse esperava que um dia o comediante aceitasse a proposta do SBT, o que nunca aconteceu.

De Galvão Bueno a Cid Moreira

Titular absoluto do microfone esportivo da Globo após as saídas de Luciano do Valle e Osmar Santos, nos anos 1980, Galvão Bueno deixou a emissora em 1992 para aventurar-se na novata Rede OM, da família Martinez, onde assumiu o cargo de diretor de esportes. No entanto, a empreitada durou pouco, e, em 1993, ele já estava de volta à antiga casa.

Antes de fechar com a Globo, entretanto, Galvão recebeu propostas do SBT e da Manchete, de acordo com informações divulgadas pela mídia na época.

Quem também teve propostas do SBT desde os anos 1980 foi o quarteto formado por Renato Aragão, Dedé Santana, Mussum e Zacarias, que formavam Os Trapalhões.

Em 1993, por exemplo, já sem Zacarias, que havia morrido em 1990, a Folha de S.Paulo informou que o grupo estava negociando sua ida para o SBT, com intermediação de Carlos Alberto de Nóbrega, que havia trabalhado com eles anteriormente. Mas o negócio não deu em nada.

Para completar, o SBT também cortejou Cid Moreira. No comando do Jornal Nacional desde 1969, o veterano locutor deixou o noticiário em 1996 e voltou ao Fantástico, que já havia apresentado anteriormente.

Em 1997, quando Boris Casoy trocou o SBT pela Record, Cid foi o primeiro nome da lista para substituí-lo, seguido por Paulo Henrique Amorim, Chico Pinheiro e Lilian Witte Fibe.

No entanto, o SBT teria que arcar com uma multa milionária para tirá-lo da Globo, o que inviabilizou o negócio.

O TJ Brasil, que ficou no ar somente até dezembro daquele ano, teve o comando de Hermano Henning. Já Cid, envolvido recentemente em uma polêmica envolvendo sua família, é contratado da Globo até hoje, aos 94 anos.


Leia também

Enquete

Você gostou dos participantes escolhidos para o BBB22?

Web Stories

+
Faustão na Band abala concorrentes com ibope histórico e equipe provoca RecordAntes da estreia, BBB22 já rendeu treta entre famosos, tentativa de redenção e maisBBB22: Após frustrar público, Globo anuncia participantes nesta sexta-feiraSunga branca, esponjão e recorde no paredão: 10 momentos para o BBB22 tentar superarSabrina Sato volta à Globo; apresentadora já foi Bailarina do Faustão e esteve no BBB

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas