Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

FUGA NO HORÁRIO NOBRE

Com JN e novelas em baixa, Globo enfrenta crise de audiência sem precedentes

REPRODUÇÃO/TV GLOBO

William Bonner usa terno preto, camisa branca e gravata verde enquanto apresenta o Jornal Nacional na Globo

William Bonner no comando do Jornal Nacional: Globo tem perdido audiência no horário nobre

REDAÇÃO

redacao@noticiasdatv.com

Publicado em 4/12/2021 - 7h00

A Globo enfrenta uma das crises de audiência mais graves de toda a sua história. Apesar de ainda ser mais vista do que as três principais concorrentes somadas, a emissora não tem conseguido reverter a fuga de público e, pelo terceiro mês consecutivo, bateu recorde negativo de desempenho no mercado nacional. Os índices do Jornal Nacional e das novelas do horário nobre ilustram o tamanho do problema.

Pelo terceiro mês consecutivo, a Globo registrou o pior ibope mensal no PNT (Painel Nacional de Televisão), que indica a audiência das 15 maiores regiões metropolitanas do país. Em novembro, a média 24 horas (das 6h às 5h59) foi de 10,8 pontos.

Dados obtidos pelo Notícias da TV indicam que a emissora nunca havia ficado abaixo dos 11 pontos de média nessa medição antes de setembro deste ano, quando marcou 10,9. Chegou aos 10,8 em outubro, desempenho repetido em novembro.

Até então, os piores índices mensais tinham sido registrados em dezembro de 2018 (11,1) e dezembro de 2020 (11,2), o que é considerado normal, já que o último mês do ano tem um número menor de televisores ligados por conta do período de festas e viagens. Ou seja: ainda existe o risco de um novo recorde negativo acontecer em dezembro de 2021.

A Globo teve 30,9% de participação no universo das TVs ligadas na média das 24 horas de novembro, um pequeno aumento de 0,2% em relação ao mês anterior --quase um terço dos televisores no Brasil ainda ficam sintonizados na líder de audiência.

Vice-líder, a Record fechou com 4,8 pontos de ibope nessa medição, um crescimento de 5% em relação ao mês anterior. A emissora de Edir Macedo foi sintonizada por 13,7% dos brasileiros. O SBT, que havia marcado 3,4 de média em outubro, seu recorde negativo histórico, fechou com 3,5 em novembro.

Horário nobre em baixa

O sinal de alerta está ligado na Globo porque os seus principais produtos têm perdido audiência. Na comparação com Record, SBT e até a Band, que tem pretensões de entrar na disputa pela vice-liderança em 2022, a Globo foi quem mais sofreu com fuga de ibope no horário nobre de novembro de 2020 para o mesmo mês em 2021.

No período das 18h à 0h, quando a líder leva ao ar suas três principais novelas, o Jornal Nacional e atrações como The Voice Brasil e Globo Repórter, a queda foi de 10%: de 21,3 pontos em novembro do ano passado para 19,2 no mesmo mês deste ano.

Cauã Reymond em cena de Um Lugar ao Sol

Cauã Reymond em cena de Um Lugar ao Sol

Como comparação, o noticioso comandado por William Bonner e Renata Vasconcellos havia fechado com 26,0 pontos de média no PNT na última semana de novembro de 2020 --nesse mesmo período neste ano, o ibope foi de 21,6.

O SBT perdeu 6% (de 5,9 para 5,6) de audiência na faixa do horário nobre; a Band se manteve com 1,6 ponto; e a Record também ficou praticamente estável: subiu de 8,1 para 8,2.

Em 2020, ainda não havia vacina para a Covid-19 e mais pessoas estavam em casa por causa da pandemia, mas a participação na porcentagem de televisores ligados na Globo também foi a que mais caiu na faixa do horário nobre: de 35,8% para 34%.

Na Grande São Paulo, principal mercado publicitário do país, a queda da Globo foi ainda maior: de 23,0 para 19,7 pontos de um ano para o outro. Em novembro de 2020, era comum o Jornal Nacional registrar mais de 30 pontos de média, algo que não aconteceu em nenhuma edição do mês passado.

Um Lugar ao Sol e Quanto Mais Vida, Melhor!, as primeiras novelas das nove e das sete totalmente inéditas desde o início da pandemia, tiveram um começo ruim e até o momento são as piores da história da Globo em suas respectivas faixas.

Cadê a audiência?

A Globo tem perdido audiência, mas nenhuma de suas principais concorrentes na TV aberta têm registrado um aumento significativo de ibope mensal. Então, o que as pessoas têm assistido? A resposta está no online.

O vice-líder no consumo da TV não é a Record, mas sim o "conteúdo de TV/vídeo sem referência", que inclui não só serviços como Netflix, Globoplay, Prime Video, HBO Max, Disney+, PlayPlus e semelhantes, como também o YouTube e até videogames ou DVDs.

De novembro de 2020 para novembro de 2021, o salto dessa categoria foi de 5,6 para 6,1 pontos na média 24 horas --alta de 10%. Na faixa noturna, entre 18h e 20h, o crescimento foi de 12%: de 8,3 para 9,3 pontos.


Leia também

Enquete

Você gostou de Tadeu Schmidt no comando do BBB22?

Web Stories

+
Final de Malhação na Globo tem sequestro, incêndio e final feliz; saiba tudoPor que Ludmilla e Anitta brigaram? Entenda a treta que respingou no BBB 22BBB22: Cinco vezes em que Naiara Azevedo atraiu o ranço do público na primeira semanaFaustão na Band abala concorrentes com ibope histórico e equipe provoca RecordAntes da estreia, BBB22 já rendeu treta entre famosos, tentativa de redenção e mais

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas